Category Archives: Artigo

Eu e os comics e o Rocket Raccoon

m-rr1Estranhamente, sempre tive uma relação complicada com os comics. Sempre gostei de banda desenhada, principalmente franco-belga, mas nunca consegui abraçar em definitivo os comics. E tenho constantemente a perceção de que ando a perder algo de muito bom. A ideia com que fico é que nunca quis apanhar um comboio em andamento e com destinos múltiplos, porque a verdade é que nos comics as histórias são essencialmente em continuação e eu nunca sabia por onde lhes pegar. Depois, são invariavelmente universos complexos, desdobrados em várias latitudes, onde quase era preciso um guia para um leitor se orientar.
Assim, fui deixando os comics de parte, com umas tentativas esporádicas de me lançar nesse mundo que ao mesmo tempo me atraía para logo me rechaçar. Confesso que todos aqueles universos de super-heróis me «assustavam».
Mas resolvi fazer mais uma tentativa e socorri-me de uma muleta: Star Wars. Comecei a ler aqueles livros que têm saído com coleções completas e a experiência está a valer bem a pena.
Assim sendo, resolvi dar um novo passo e iniciar-me numa coleção que estivesse a começar agora. Precisava de um pretexto e encontrei-o. A 28 de dezembro de 2016 começaram a sair na Marvel as novas histórias do Rocket Raccoon (personagem de Os Guardiões da Galáxia) desenhadas pelo português Jorge Coelho. Comprei o primeiro número e fiquei bastante satisfeito. Com a história, com o humor da mesma e o rumo que pode tomar e também (o que para mim é essencial) com os desenhos. São mesmo do tipo que eu aprecio, com cor e vida e traços bem definidos. Assim, fiquei cliente e aguardo a saída do próximo número, na esperança de confirmar se este será o pontapé de saída para começar a lançar-me definitivamente no universo fantástico dos comics.
E já que está na moda dizer que se deve dar prioridade aos produtos portugueses, imitem-me. Apanhem o comboio comigo. O Jorge Coelho é mesmo bom. Também se não fosse não estaria na Marvel, certo?

É verdade, vem aí o novo Astérix, mas há muito mais para ler em outubro

AstérixTêm saído, ou estão para sair, alguns livros de autores estrangeiros que me parecem interessantes e que acho que merecem algum destaque.
Não poderia deixar de realçar o regresso de Astérix, que a 22 de outubro tem uma nova aventura aí pelas livrarias, chamada O Papiro de César. O herói da BD criado por Uderzo e Goscinny, e editado entre nós pela ASA, ganha de novo vida pela mão de Jean-Yves Ferri (argumentista) e Didier Conrad (desenhador), que já foram os responsáveis por Astérix entre os Pictos, que de certa forma reanimou esta série clássica da 9.ª Arte. O criador Albert Uderzo e Anne Goscinny (filha de René Goscinny) continuam a supervisionar a obra para que respeite o espírito de Astérix e companhia.
Segundo a ASA, O Papiro de César trata-se de «uma aventura na linha da mais pura tradição dos álbuns de Astérix», que tem por pano de fundo a Gália, que será visitada por Júlio César. Já se sabe também que haverá um novo vilão, Bónus Vendetudus, um conselheiro de César que será «uma sábia mistura de personagens incontornáveis do nosso mundo atual».  Fiquei ainda a saber aqui no Público que há uma personagem inspirada em Julian Assange, fundador da Wikileaks.
CAPA CARAVAGGIOMas há mais novidades em termos de BD, nomeadamente com o surgimento de uma nova chancela, A Arte de Autor, que arranca, a 14 de outubro, com uma obra do consagrado Milo Manara, Caravaggio – 1ª parte – O pincel e a espada. Aqui fica a sinopse: «Outono de 1592. O jovem Michelangelo Merisi da Caravaggio, que ficará conhecido como Caravaggio, chega a Roma com a intenção de se converter no maior pintor de Itália. Inspirando-se nas sombras e nas cores de uma cidade que se debate entre a grandeza e a decadência – bem como nas personagens que nela habitam – tornar-se-á rapidamente admirado pelo seu talento ao mesmo tempo que alguns lhe criticam a liberdade artística, nomeadamente no que refere aos modelos a que recorre (frequentemente mendigos e prostitutas) para pintar temas religiosos.»


Capa O Que Vemos Quando Lemos
Dose dupla da Elsinore
A Elsinore, a nova chancela da 20|20 Editora, pôs por estes dias à venda O Que Vemos Quando Lemos, do conceituado designer Peter Mendelsund, que pretende responder à pergunta «como visualizamos imagens a partir da leitura de obras literárias?» Fica aqui um excerto da sinopse para «visualizarmos» melhor o que nos propõe esta obra: «O conjunto de imagens fragmentadas numa página — uma orelha elegante ali, uma madeixa rebelde acolá, um chapéu posicionado de determinada maneira — e outras pistas e significantes ajudam-nos a imaginar uma personagem. Mas, na verdade, a sensação de conhecermos intimamente uma personagem tem pouco que ver com a nossa capacidade de imaginarmos as figuras literárias que amamos (ou odiamos).»
Capa Arranha-CéusAinda na Elsinore há outra obra, esta de ficção, que me desperta (e muito) a curiosidade; de tal maneira que o livro já está ali pousado para eu lhe pegar não tarda nada. Trata-se de Arranha-Céus, de J.G. Ballard – Lembram-se daquele rapazinho maluco por aviões que protagoniza o filme O Império do Sol, de Steven Spielberg? Pois bem, esse rapazinho é precisamente este Ballard escritor.  Fiquem aqui com a sinopse e digam lá se não parece prometedor: «Num imponente edifício de quarenta andares, o último grito da arquitetura contemporânea, vive Robert Laing, um bem-sucedido professor de medicina, e duas mil pessoas. Para desfrutarem desta vida luxuosa, não precisam sequer de sair do prédio: ginásio, piscina, supermercado, tudo se encontra à distância de um elevador. Mas alguma coisa estranha borbulha por baixo desta superfície de rotina. Primeiro vandalizam-se os automóveis do parque de estacionamento, depois assaltam-se os habitantes. Um incidente conduz a outro e, acossados, os habitantes separam-se por pisos. Quando aparecem as primeiras vítimas, a festa mal começou. O realizador de documentários Richard Wilder resolve avançar, de câmara em punho, numa viagem por esta inexplicável orgia de destruição, testemunhando o colapso do que nos torna humanos.
Entre a alucinação e a anarquia, a visão futurista de J. G. Ballard oferece-nos o retrato demencial, lógico de como a vida moderna nos pode empurrar, não para um estádio mais avançado na evolução, mas para as mais primitivas formas de sociedade.»

Dois Anos, Oito Meses e Vinte e Oito NoitesSalman Rushdie e as lendas do Oriente
Outra nota de destaque na ficção teria de ser dedicada a Salman Rushdie, cujo romance Dois Anos, Oito Meses e Vinte e Oito Noites acaba de ser lançado pela Dom Quixote. Segundo a editora é uma obra inspirado nas tradicionais «lendas maravilhosas» do Oriente, «que combina História, mitologia e uma narrativa de amor intemporal». Indica ainda a sinopse: «No futuro próximo, depois de Nova Iorque ser assolada por uma tempestade, principiam os estranhos acontecimentos: um jardineiro descobre que os seus pés já não tocam no chão; um autor de banda desenhada acorda no seu quarto e vê uma misteriosa entidade que se assemelha à personagem dos seus livros; uma bebé identifica a corrupção apenas com a sua presença, marcando os culpados com manchas e pústulas; uma sedutora mulher é recrutada para combater forças que ultrapassam a imaginação…»

pe-usbequeDo Chile ao Usbequistão
A venturosa história do usbeque mudo
é o novo romance do chileno Luis Sepúlveda, que chega às livrarias a 22 de outubro numa edição Porto Editora. Aqui, neste conjunto de histórias, são narradas muitas das peripécias clandestinas dos jovens militantes chilenos da Juventude Comunista e da Federação Juvenil Socialista. Regressamos ao Chile dos anos sessenta, quando os jovens do país começaram a lutar para derrubar o regime. O texto que dá nome ao livro surge na sequência da promessa feita por Sepúlveda de contar a aventura de um amigo peruano que se fez passar por mudo para sair do Usbequistão e regressar a Moscovo.

Transformacao_de_Steve_JobsAcha que já conhece Steve Jobs? Olhe que não…
Regressemos à não-ficção, agora para referir a edição de uma biografia de Steve Jobs pela Saída de Emergência, intitulada A Transformação de Steve Jobs – De Jovem Rebelde a Líder Visionário. A obra vem assinada pelos jornalistas Brent Schlender e Rick Tetzeli, e por este livro ponho eu as mãos no fogo. Já o li, pois fui eu o tradutor, e cativou-me imenso, pois sendo exaustivo nunca cai no fútil ou desnecessário e tem uma estrutura bem montada que prende o leitor, com histórias já conhecidas e outras por conhecer, algumas mais parecendo ficção. Mas, na verdade, quem é que quer ler biografias de pessoas banais? Não se trata de um recital de elogios, pois os muitos defeitos de Jobs vêm aqui bem aprofundados. E estejam atentos à capa holográfica, vale bem a pena brincar com ela.

fisicaFísica para todos
Ainda pela não-ficção, retenham este título: Sete Breves Lições de Física, de Carlo Rovelli, uma edição Objectiva. Uma matéria complexa como a Física é aqui abordada de uma forma clara e simples, mas sem perder precisão e exatidão. Uma espécie de Física para Totós, escrita com qualidade e gosto por um físico que nos quis facilitar a vida explicando-nos de forma «fácil» coisas como a Teoria da Relatividade de Einstein, a mecânica quântica, buracos negros, etc. Já comecei a ler e, até ver, Rovelli está a cumprir muito bem a sua missão.

Nascente edita «Coragem – Ultrapassar o Medo e Promover a Autoconfiança», de Debbie Ford

Capa Coragem - Ultrapassar o medo e promover a autoconfiançaAcaba de ser editado Coragem: Ultrapassar o Medo e Promover a Autoconfiança, da norte-americana Debbie Ford, primeiro livro que traduzi para a Nascente, da editora 20|20.
Debbie Ford, autora bestseller de desenvolvimento pessoal, partilha nesta obra pormenores íntimos da sua vida, nomeadamente a dependência de drogas, uma traição dolorosa, um divórcio e um diagnóstico de cancro.
Ao longo da sua jornada para superar tais problemas, revelando, como explica, a coragem que sempre residiu dentro dela, a autora descobriu sete princípios poderosos, que decidiu partilhar com os seus leitores. Segundo a própria, «estes princípios irão revelar a sua coragem e mudar a sua vida, permitindo que confie em si mesma e se expresse sem medo».

Assim, o livro propõe ao leitor que:

• Descubra como aceitar e vencer as suas falhas, dúvidas, fraquezas e medos.
• Aprenda a ser confiante e a sentir-se bem com a sua vida.
• Encontre a sua verdadeira força, explorando a parte de si que tem o poder de concretizar tudo.

Em suma, Debbie Ford apela: «Liberte-se dos seus medos e inseguranças. Converta-os em poder, força e confiança.»
É possível ler os primeiros capítulos da obra em www.nascente.pt.
Coragem: Ultrapassar o Medo e Promover a Autoconfiança tem 256 paginas e está à venda por 16,59€

n-dfBiografia cedida pela Nascente
«Debbie Ford é conferencista, formadora e especialista em transformação pessoal. Durante mais de 20 anos, orientou dezenas de milhares de pessoas no processo de aprenderem a amar, a confiar e a reconhecer como são.
Pioneira na inclusão do estudo e da integração da sombra humana na psicologia moderna e nas práticas espirituais, foi produtora executiva do filme The Shadow Effect, um documentário transformacional apaixonante e visualmente empolgante com a participação de Deepak Chopra e Marianne Williamson. Fundadora do Ford Institute for Transformational Training, organização de formação emocional e espiritual, recebeu o prémio Alumni pela sua contribuição nos campos da Psicologia e da Espiritualidade.»

Rui Azeredo

O Porta-Livros faz hoje cinco anos – Parabéns a todos!

DSC_1793O Porta-Livros completa hoje, 15 de dezembro de 2013, cinco anos. 1 043 459 visualizações depois, continua a ser um prazer estar aqui na blogosfera e espero que gostem tanto de ler o que escrevo como eu gosto de escrever o que leem.
O que começou por ser (inocentemente) uma espécie de arquivo público de textos acabou por se tornar num blogue visitado diariamente por centenas de pessoas, maioritariamente de Portugal, mas também em grande parte do Brasil. Por exemplo, nestes últimos 365 dias houve 112 708 visualizações com origem em Portugal, 54 554 do Brasil, 3635 dos Estados Unidos, 1131 de Espanha e 819 de França. Reino Unido (707), Angola (653), Alemanha (578), Suíça (501) e Moçambique (475) encerram o top 10, mas tenho recebido visitas de todo o mundo, inclusive do Irão, Ilhas Virgens, Síria, Barbados, Egito, Iraque, Haiti, Israel, Porto Rico, Omã e Austrália, entre muitos outros.
E o que procuram todos estes leitores? A minha opinião sobre o romance Nómada, de Stephenie Meyer, foi neste último ano o post mais procurado (2231 Visualizações), o que não é de estranhar dado que continua a ser o preferido ao fim destes cinco anos (17 423).
Mas vamos aos números:

Top 10 geral

1.º Nómada – Stephenie Meyer 17 423
2.º No Teu Deserto – Miguel Sousa Tavares 15 945
3.º Marina – Carlos Ruiz Zafón 14 913
4.º A Invenção de Hugo Cabret  – Brian Selznick 14 088
5.º Margarida Rebelo Pinto apresenta O dia em que te esqueci a 25 de Novembro 13 143
6.º História de uma Gaivota e do Gato que a Ensinou a Voar  – Luis Sepúlveda, com ilustrações de Sabine Wilharm 12 857
7.º Gailivro ataca 2010 com zombies e Christopher Paolini 7 089
8.º O Coração das Trevas – Joseph Conrad 6 246
9.º O Planalto e a Estepe – Pepetela 5 977
10.º About Rui Azeredo 4 885

Top 10 do último ano

1.º Nómada – Stephenie Meyer 2231
2.º O Coração das Trevas – Joseph Conrad 2029
3.º No Teu Deserto – Miguel Sousa Tavares 1932
4.º Deus não gosta de nós – Hank Moody 1356
5.º José Rodrigues dos Santos romanceia vida de Calouste Gulbenkian em O Homem de Constantinopla, a sair a 19 de setembro 1343
6.º A Invenção de Hugo Cabret – Brian Selznick 1331
7.º História de uma Gaivota e do Gato que a Ensinou a Voar – Luis Sepúlveda, com ilustrações de Sabine Wilharm 1235
8.º O Corsário Negro – Emilio Salgari 1223
9.º Marina – Carlos Ruiz Zafón 1010
10.º Inferno, novo romance de Dan Brown, chega a Portugal em Julho 989

Perante estes números, resta-me agradecer as vossas visitas, naturalmente, assim como todo o apoio das editoras, desde os editores aos sempre prestáveis elementos dos departamentos de comunicação, sem esquecer, claro, os escritores, pois sem eles não haveria livros nem Porta-Livros.

Obrigado a todos e venha o sexto!

Rui Azeredo

Sugestão de Natal para os mais novos (dos 0 aos 17)

Deixo-vos agora umas quantas sugestões de Natal para os mais jovens e mais pequenos, grupo a que se entendeu chamar de infanto-juvenil, nome demasiado técnico para livros com tanta vida e cor.

ts-MRComeço pelos mais velhos de entre os novos, para quem sugiro uma boa história de aventuras escrita pelo «enérgico» James Patterson. Maximum Ride – Salvar o Mundo é o terceiro volume desta coleção, mas pode ser lido de forma independente. Está garantida muita ação, muita imaginação e nada de momentos mortos. Combates, viagens, reviravoltas, há de tudo neste livro (e na coleção) que entre nós é editada pela Topseller.
Sinopse: «Alerta! Um grupo de seis jovens com poderes extraordinários está em fuga. O seu líder é Maximum Ride, ou Max, uma rapariga de 14 anos que consegue voar. Deve ser considerada perigosa. Max e o seu bando estão destinados a grandes voos. Vivem em condições difíceis e não podem dar muito nas vistas. Afinal, seis miúdos com asas a atravessar os céus não passam despercebidos…
Nesta aventura o grupo vai ter de escapar ao terrível plano genocida criado por cientistas maléficos, os batas-brancas. E como se não bastasse, há um traidor entre eles. A união entre todos os elementos vai ser posta à prova enquanto enfrentam os inimigos mais poderosos de todos os tempos.
Será que um romance insuspeito, um blogue seguido por milhões de fãs e algumas revelações vão contribuir para que a missão de salvar o mundo seja realmente possível? Os leitores de James Patterson não vão descansar enquanto não tiverem a resposta certa. Mas cuidado: estas páginas são completamente viciantes.»

Como Treinar Teu DragaoTambém trepidante, enérgico e emotivo é sem dúvida Como Treinares o Teu Dragão, de Cressida Cowell, que foi editado pela Bertrand. Este livro dirige-se a um público um bocadinho mais jovem do que o de Maximum Ride, mas o prazer da leitura será idêntico. Recorde-se que esta obra deu origem a um dos melhores filmes de animação dos últimos anos, com o mesmo nome; presentemente passa na SIC aos sábados e domingos de manhã a série Dragões – O Esquadrão de Berk, que dá seguimento à história.
Sinopse: «Como Treinares o teu Dragão conta a atribulada aventura que Hiccup Hadoque Horrendo Terceiro tem para se tornar membro da tribo e tudo começa por passar no Programa de Iniciação aos Dragões. Ele tem de arranjar o seu próprio dragão e treiná-lo.
Será que o dragão que conseguiu apanhar se vai revelar o companheiro de que o Hiccup precisa, ajudando-o a tornar-se o Herói que o filho do Chefe da tribo deve ser? Para pôr o Hiccup e o Desdentado à prova, nada como um gigantesco dragão-marinho, que aparece na ilha de Berk para devorar todos os vikings!»

Aventuras de João Sem MedoAposta segura para adolescentes (e adultos) é o livro de José Gomes Ferreira, Aventuras de João Sem Medo, reeditado este ano pela Dom Quixote para assinalar o 50.º aniversário da obra. Incluído no Plano Nacional de Leitura, vai já na 37.ª edição, pelo que, se ainda não o fez, já estará na hora de o ler ou oferecer.
Sinopse: «João Sem Medo habita na aldeia Chora-Que-Logo-Bebes, cujos habitantes vivem presos à tradição de que tanto se orgulham: chorar de manhã à noite. Um dia, o nosso herói decide saltar o Muro que protege a aldeia da Floresta Branca, local onde “os homens, perdidos dos enigmas da infância, haviam estalado uma espécie de Parque de Reserva de Entes Fantásticos”. Tem assim início uma viagem surpreendente, na qual João Sem Medo se irá cruzar com bichas de sete cabeças, gigantes de cinco braços, fadas, bruxas, animais que falam e ainda com o mítico Príncipe das Orelhas de Burro.
História fantástica que recorre ao imaginário mágico, por vezes de inspiração surrealista, este romance de José Gomes Ferreira é um prodígio de efabulação e engenho narrativo.»

gatoJames Joyce, autor de Ulisses, não se tornou conhecido pelos seus contos infantis, mas não custa espreitar este O Gato e o Diabo, que foi entre nós editado pela Nova Vega. O livro, escrito em 1936 sobre forma de carta para o seu neto Stephen Joyce, foi ilustrado pelo croata Tomislav Torjanac.
Sinopse: «Havia em França uma cidade dividida por um grande rio que só podia ser atravessado de barco, o que dificultava a comunicação entre os habitantes. Um dia, o Diabo, sempre atento aos anseios das pessoas, visitou o Presidente da Câmara dessa cidade e propôs-lhe construir uma ponte que ligasse as duas margens do rio, a título quase, quase gratuito. Só queria mesmo levar para o Inferno a primeira pessoa que atravessasse a ponte. Mas o Presidente da Câmara, que era um político muito hábil, arranjou uma maneira de enganar o Diabo…»

Capa_450_piadasEste livro que se segue é para os mais pequenos, mas pode e deve ser lido por todos, pois não há quem não goste de uma boa anedota. Neste caso são 450 as propostas nesta obra da Booksmile, intitulada 450 Piadas = 1 Milhão de Risadas.
Sinopse: «As anedotas são uma excelente ferramenta para estimular o relacionamento social nas crianças, ajudam a enriquecer o vocabulário, e proporcionam momentos de bom humor.  E é do conhecimento comum que rir (o principal objetivo da piada) é um ato saudável, pois liberta endorfinas que nos proporcionam momentos de bem-estar e aliviam a tensão.
Com anedotas hiperanimadas e ilustrações mega-engraçadas, o resultado só poderia ser 1 milhão de risadas!
Um livro indispensável que todas as crianças deviam ter em casa para ler, e colocarem o sentido de humor dos pais à prova!»

pe-alfaJá para um público mais pequeno a sugestão é As Canções do Alfa, com todas os temas que Luísa Ducla Soares escreveu para esta personagem reunidas em livro e CD. O Alfa é o protagonista de um projeto criado pela Porto Editora, em 2009, para o 1.º ano do Ciclo do Ensino Básico. Trata-se de um extraterrestre amarelo, do planeta Maquineta, que chegou à Terra para aprender, ajudar a aprender e fazer amigos.
Sinopse: «Esta obra oferece uma forma divertida e original de aprender as letras, os números e as formas geométricas. Com ela, crianças dos 4 aos 6 anos podem ler e ouvir os poemas ou acompanhar a leitura com a música.
As Canções do Alfa é um livro que estimula a leitura, o canto e a dança, de forma divertida.»

os primeiros 5 anos - Flores_peqA sugestão que se segue destina-se a ser oferecida a bebés, embora caiba aos pais tomar as rédeas da situação. Falo de Os Meus Primeiros Cinco Anos, da fotógrafa Anne Geddes, já um verdadeiro clássico. Editado pela Bertrand, surge com três capas distintas, embora o interior seja igual para todos.
Sinopse: «O clássico de Anne Geddes é um diário que incentiva os pais a registar os momentos especiais dos filhos, do nascimento aos cinco anos de idade, incluindo espaços para inserir fotos, o primeiro aniversário, a primeira mecha de cabelo cortado, o primeiro dente caído, a impressão do pezinho e todos os pormenores a que a fotógrafa já nos habituou.»

os primeiros 5 anos - bolotas_peqos primeiros 5 anos - abelhinhas

Sugestões de Natal para os mais crescidos

O tempo para as compras de Natal começa a escassear e por isso resolvi dar-vos uma ajuda. Segue-se aqui (mais) uma lista de sugestões de prendas, que tanto pode servir para o orientar na seleção de oferendas para os outros como para si próprio. Felizmente, não faltam livros interessantes e com as campanhas promocionais que por ainda abundam poderá encontrar muita coisa interessante.

O Boneco de NeveDada a quadra que atravessamos, nada melhor do que começar com O Boneco de Neve. Mas, atenção, nada de oferecer este a crianças, pois trata-se um boneco manchado de sangue. E só podia, pois é um thriller do norueguês Jo Nesbo, um dos mais conhecidos (e sangrentos) autores de policiais da atualidade e que entre nós é editado pelo Dom Quixote.
Sinopse: «Noite escura. Lá fora começa a nevar. A primeira neve do ano. No conforto da sua casa, Jonas acorda a meio da noite, chama pela mãe, mas o único rasto que encontra são as pegadas húmidas no chão das escadas. No jardim, a mesma figura solitária que vira durante o dia: o boneco de neve, agora banhado pelo luar, com os olhos negros fixos na janela do quarto. E no pescoço um agasalho: o cachecol cor-de-rosa que oferecera à mãe.
Encarregado da investigação, o Inspector Harry Hole está convencido de que existe uma ligação entre o estranho desaparecimento da mãe de Jonas e uma carta ameaçadora que recebeu alguns meses antes.»

Capa Alex Cross - A CaçaSem sair da temática criminal, sugiro também A Caça, mais uma aventura de Alex Cross escrita naquele jeito tão trepidante e frenético de James Patterson, autor que domina os tops norte-americanos e que coleciona sucessos um pouco por todo o mundo. Este A Caça é um policial que decorre a um ritmo galopante, com momentos de extrema violência e que nos leva dos EUA a África, a África violenta das grandes cidades e das zonas remotas. Se gostar de policiais que não nos permitem respirar, este livro editado pela Topseller é indicado para si.
Sinopse: «Uma cidade mergulhada no caos. Um assassino de uma crueldade assombrosa. Só um homem será capaz de o travar.
O detetive Alex Cross é chamado ao local do pior crime a que alguma vez assistiu. Uma família inteira foi assassinada de forma brutal e impiedosa, e uma das vítimas era uma antiga paixão sua.
O mesmo tipo de crimes sucede-se, mantendo um padrão semelhante: a morte de famílias inteiras, cujos corpos são depois objeto de uma crueldade violenta. Alex Cross e a sua namorada atual, Brianna Stone, mergulham neste caso e enredam-se na teia do mortífero submundo de Washington DC. Aquilo que descobrem é tão chocante que mal conseguem compreendê-lo: os assassinos pertencem a um gangue altamente organizado, encabeçado por um diabólico senhor da guerra conhecido como Tigre. Quando o rasto deste temível assassino desemboca em África, Alex sabe que tem de segui-lo. Desprotegido e só, Alex é torturado e perseguido pelo gangue do Tigre.
Conseguirá Alex caçar o seu inimigo, ou será ele próprio a caça?»

SonoDeixemos o sangue e a ação de parte por agora, e dediquemo-nos ao Sono. Este é o título de mais uma obra de Haruki Murakami, que surge numa bela edição de capa dura da Casa das Letras, com a «agravante» ainda de vir recheado com ilustrações atraentes de Kat Menschik.
Sinopse: «“Há dezassete dias que não durmo”.
Assim tem início a história que Haruki Murakami imaginou e escreveu sobre uma mulher que, certo dia, deixou de conseguir dormir. Pela calada da noite, enquanto o marido e o filho dormem o sono dos justos, ela começa uma segunda vida. E, de um momento para o outro, as noites tornam-se de longe mais interessantes do que os dias… mas também, escusado será dizer, mais perigosas.»

Hobbit2013E eis-nos chegados a um verdadeiro clássico, e por isso muito adequado para oferecer, pois para obter tal estatuto é porque já conquistou as graças do público. E quem poderá dizer o contrário em relação a O Hobbit, de J.R.R. Tolkien? Ainda para mais, o segundo «tomo» do filme está aí a estrear e a Europa-América apostou em refrescar o romance com uma nova capa.
Sinopse: «Esta é a história da aventura de um Baggins, que deu consigo a fazer e a dizer coisas completamente impensáveis…
Bilbo Baggins é um hobbit que desfruta de uma vida confortável e sem qualquer ambição. Ele raramente se aventura em viagens, não indo mais longe do que até à dispensa de sua casa, no Fundo do Saco. Mas este conforto será perturbado por Gandalf, o feiticeiro, e por um grupo de treze anões, que num belo dia chegam para o levar numa viagem “de ida e volta”. Eles têm um plano para pilhar o espantoso tesouro de Smaug, o Magnífico, um dragão enorme e extremamente perigoso.
Encontros inesperados com elfos, gnomos e aranhas gigantes, um dragão que fala, e ainda a presença involuntária na Batalha dos Cinco Exércitos, são apenas algumas das experiências por que Bilbo passará.»

civ-transColum McCann é o senhor que se segue nesta lista de sugestões. Transatlântico é o nome do romance, editado pela Civilização, que nos leva em viagens contínuas, no espaço e no tempo, entre a América e a Irlanda. O que não é de estranhar num escritor nascido em Dublin, mas que vive em Nova Iorque.
Sinopse: «1919. Emily Ehrlich vê dois aviadores, Alcock e Brown, erguerem-se do massacre da Primeira Guerra Mundial para pilotar o primeiro voo transatlântico sem paragens, desde a Terra Nova até ao Oeste da Irlanda. Entre as cartas levadas no avião, está uma que só será aberta quase cem anos mais tarde.
1998. O Senador George Mitchell atravessa repetidamente o oceano em busca da promessa de paz na Irlanda. Quantas mães e avós enlutados terá ele ainda de conhecer até ser alcançado um acordo?
1845. Frederick Douglas, um escravo negro americano, desembarca na Irlanda para promover ideias de democracia e liberdade, e depara-se com uma onda de fome. Nas suas viagens, inspira uma jovem criada a ir para Nova Iorque ao encontro de um mundo livre, mas nem sempre o país cumpre a sua promessa. Dos violentos campos de batalha da guerra civil aos lagos gelados do Missouri, é a sua filha mais nova, Emily, quem acaba por encontrar o caminho de regresso à Irlanda.
Podemos passar do mundo novo para o velho mundo? Como é que o passado molda o futuro?»

EquadorMas se prefere literatura portuguesa, pode estar na altura de voltar a pensar em Miguel Sousa Tavares, que viu recentemente o seu Equador receber uma edição comemorativa do seu décimo aniversário, desta feita com a chancela Clube do Autor. Não há como dar a volta, Equador é efetivamente um dos livros portugueses mais marcantes deste início de século e uma prenda segura para oferecer neste Natal… desde que o beneficiado não seja um professor, naturalmente J
Sinopse: «Equador é um retrato brilhante da sociedade portuguesa nos últimos dias da Monarquia, uma obra que traça um paralelo entre os serões mundanos da capital e o ambiente duro e retrógrado das colónias. Comovente e perturbador, continua a ser um dos romances mais admirados de Miguel Sousa Tavares.
Quando naquela manhã chuvosa de Dezembro de 1905, Luís Bernardo é chamado por El-Rei D. Carlos a Vila Viçosa, não imaginava o que o futuro lhe reservava. Não sabia que teria de trocar a sua vida despreocupada na sociedade cosmopolita de Lisboa por uma missão tão patriótica quanto arriscada na distante ilha de S. Tomé. Não esperava que o cargo de governador e a defesa da dignidade dos trabalhadores das roças o lançassem numa rede de conflitos e interesses com a metrópole. E não contava que a descoberta do amor lhe viesse mudar a vida.»

aa-lorcaSe prefere oferecer poesia, como evitar Federico García Lorca, de quem recentemente foi editada uma antologia pela Assírio & Alvim, intitulada… Poemas? Simples e direto! Trata-se de uma seleção de Eugénio de Andrade, que também traduziu a obra.
Aqui não há sinopses, pois o melhor é mesmo deixar-vos com um dos poemas:
O Silêncio
Ouve, meu filho, o silêncio.
É um silêncio ondulado,
um silêncio
donde resvalam ecos e vales,
e que inclina a fronte
para o chão.

Deixemos então a ficção e dediquemo-nos a um tipo de livros que tem um nome um pouco «estranho». Trata-se da não-ficção, onde se inclui de tudo um pouco, desde que seja real. Documentos, biografia, história, etc.

ca-guerraComeço por um tema nada natalício, mas sem dúvida muito interessante: a Primeira Guerra Mundial. O Clube do Autor lançou recentemente o quinto livro da coleção de obras do Canal História, que se intitula A História da Grande Guerra.
Sinopse: «Trata-se pois de um livro fundamental para conhecer toda a história do conflito que fez cerca de 10 milhões de mortos em combate, o triplo de feridos e deixou seis milhões e meio de inválidos, mais de quatro milhões de viúvas e o dobro de órfãos. O rastro de destruição na Europa foi avassalador e as suas consequências duradouras.
Antecipando a comemoração do centenário da Primeira Guerra Mundial, que se assinala em 2014, este livro evoca o período mais conturbado da nossa história recente e segue o rasto da violência em grande escala que assolou a Europa no verão de 1914.
Desde a Belle Époque aos primeiros confrontos, passando pelas novidades bélicas e pelo papel das mulheres durante aquele período, e até ao renovado mapa da europa, A História da Grande Guerra é um livro essencial para todos os que se interessam pela nossa História.»

civ-infernoMas passo da Primeira para a Segunda Guerra Mundial, sugerindo Inferno – O Mundo em Guerra: 1939-43, do jornalista e historiador Max Hastings, que foi editado pela Civilização.
Sinopse: «Inferno reflete os 35 anos de pesquisa de Max Hastings sobre a Segunda Guerra Mundial e descreve a trajetória dos acontecimentos, concentrando-se sobretudo na experiência humana, que foi radicalmente diferente de campanha para campanha e de continente para continente.
O autor destaca a frente russa, onde morreram mais de noventa por cento dos soldados alemães que pereceram nesta guerra. Argumenta que, embora o exército de Hitler combatesse muitas vezes de forma brilhante, os Nazis conduziam o esforço de guerra com “espantosa incompetência”.
Sugere que a marinha britânica e americana prestaram os mais notáveis serviços de combate dos seus países, mas que o contributo da indústria americana foi muito mais importante para a vitória dos Aliados do que o próprio exército americano.
Algumas das explicações e comentários de Hastings vão surpreender os estudiosos deste conflito, havendo descrições vívidas de tragédias e triunfos de uma série de pessoas comuns, militares e civis. “O cliché é absolutamente verdade”, afirma o autor. “Entre 1939 e 1945 o mundo viu seres humanos mergulharem na mais profunda vilania, e outros alcançarem o auge da coragem e da nobreza.” Esta é a “história do homem comum”, uma tentativa de responder à pergunta: “Como foi a Segunda Guerra Mundial?”, e também uma visão global do conflito.

asa-interiorMudando radicalmente de tema, que tal oferecer um livro de Paul Auster? É garantido que está bem escrito, pelo que o risco é mínimo. Falo de Relatório do Interior, editado pela ASA, uma obra que, como o título indica, leva o leitor ao interior do autor. Mas qualquer viagem ao interior de alguém é inevitavelmente uma viagem ao mundo que o rodeia e condiciona, por isso, ao ler-se este relatório está-se a conhecer também uma certa América. E garanto-vos que é uma leitura bem interessante.
Sinopse: «No início, tudo estava vivo.
Os mais pequenos objetos eram dotados de corações pulsantes, e até as nuvens tinham nomes…
Figura cimeira da literatura mundial, Paul Auster escreveu no notável Diário de Inverno as memórias do seu “eu” físico. Em Relatório do Interior, vai mais além ao explorar a sua mente, a sua memória e as influências que fizeram dele o homem que atualmente é.
Do mundo pequeno e protegido da sua infância – na sua essência, o universo –, ao mundo grande que ainda hoje está a descobrir, Paul Auster revela-se corajosamente na sua mais profunda intimidade.»

Boas férias, boas leituras e até já!

O Porta-Livros vai de férias – regressará «algures» na última semana de Agosto –, mas não quis partir sem deixar aqui umas quantas sugestões de leitura de entre lançamentos ou reedições recentes que ainda não tinham sido divulgadas neste blogue. A quem for, ou estiver de férias, desejo um bom descanso, se possível com um livro entre as mãos. Aos outros, arranjem também tempo para umas leituras, que só faz bem!
As férias do Porta-Livros poderão ser momentaneamente interrompidas se entretanto quiser deixar aqui a minha opinião sobre algum livro entretanto lido.
Cumprimentos, abraços e beijos, e até já.
Boas leituras.
Rui Azeredo

O Que Morre no Verao_FinalO que Morre no Verão – Tom Wright (Bertrand)
«“Fiz o que fiz, e assumo-o.”
Desde a primeira frase do livro, Tom Wright envolve-nos numa história de inocência perdida. Jim tem um toque da Visão. Nada de muito assustador, e geralmente bastante inútil, pelo menos até ao verão em que a sua prima, L. A., se muda para a casa onde ele vive com a avó. Quando Jim e L. A. descobrem o cadáver de uma rapariga no campo, brutalmente violada e assassinada, dá-se início a uma investigação que porá em perigo a vida de ambos. O que Morre no Verão é um romance que enfeitiça o leitor logo na primeira página e deixa nele uma marca indelével.»

chamempolicia_capa.inddInferno e Paraíso – Peter S. Hawkins (Saída de Emergência)
«Onde acaba a realidade? Onde começa a ficção? Saiba todos os segredos da vida de Dante. O criador da obra mais épica de todos os tempos.
Durante mais de sete séculos, Dante e a sua obra-prima, A Divina Comédia, ocuparam uma posição especial na cultura ocidental. O poema é simultaneamente uma viagem vívida através do Inferno até alcançar o Paraíso, uma tocante história de amor e um retrato do relacionamento da humanidade com Deus. É tão ricamente imaginativo que uma primeira leitura poderá ser avassaladora. Em resposta, Peter Hawkins escreveu uma introdução inspirada ao poeta, à sua maior obra e à sua influência continuada. O seu conhecimento de Dante e o entusiasmo sentido pela sua visão tornam-no um guia exímio para o leitor interessado.»

DC_filhosdojacarandaOs Filhos do Jacarandá – Zahar Delijani (Divina Comédia)
«Neda nasceu na prisão de Evin, em Teerão. A mãe cuidou dela durante alguns meses, até ao dia em que apareceu um guarda e a levou.
Aos três anos, Omid estava sentado à mesa da cozinha, a comer iogurte, e assistiu à detenção dos pais, activistas políticos.
Mais de vinte anos após a sangrenta purga levada a cabo nas prisões de Teerão, Sheida descobre que o pai foi uma das vítimas da chacina.
Estes são Os Filhos do Jacarandá.
Situado no período pós-revolucionário do Irão (1983 – 2011) e baseado na dolorosa experiência da autora, da sua família e amigos, Os Filhos do Jacarandá é um magnífico romance que acompanha três gerações de homens e mulheres movidos pelo amor, inspirados pela poesia e motivados por sonhos de justiça e liberdade.
Um olhar surpreendente e evocativo sobre o lado intimidante da revolução e uma extraordinária homenagem a quem soube responder ao apelo da História.»

asa-herdeiraA Herdeira Acidental – Vikas Swarup (Edições Asa)
«A jovem Sapna está destroçada. Obrigada a abandonar a universidade para se dedicar a um emprego medíocre como vendedora de eletrodomésticos em Nova Deli, ela é agora a única responsável pelo sustento da mãe doente e da fútil irmã mais nova. Mesmo para um coração otimista como o seu, é cada vez mais difícil acreditar num futuro melhor… até que um dia, quando o seu desespero é absoluto, algo insólito acontece: um milionário excêntrico quer fazer dela sua herdeira. Sapna pode vir a receber mais dinheiro do que alguma vez sonhou e, com ele, mudar a sua vida e a de todos os que ama. Em troca, terá “apenas” de superar os sete testes do “livro da vida”. Sete testes sobre os quais o seu estranho benfeitor mantém segredo absoluto.
Assim começa uma viagem rocambolesca que vai testar o seu caráter, a sua coragem e o seu coração. Pelo caminho, conhece pessoas inesquecíveis. De um casal de noivos em fuga a um sex symbol de Bollywood ou a uma insuspeita cleptomaníaca, todos vão, de alguma forma, transformá-la. E quando se depara com o sétimo e último teste – aquele para o qual a vida não a preparara –, Sapna questiona até que ponto será capaz de se sacrificar por um sonho.»

pe-lunaContos de Eva Luna – Isabel Allende (Porto Editora)
«
Em Eva Luna, o seu romance mais ambicioso até à data, Isabel Allende narra a vida aventureira de uma jovem latino-americana que encontra a amizade, o amor e o sucesso no mundo graças às suas qualidades como contadora de histórias. Em Contos de Eva Luna, a autora volta a presentear-nos com um valioso tesouro. Nesta memorável coletânea de histórias, reencontramos várias das personagens bem conhecidas dos leitores dessa obra magistral, como Rolf Carlé, o fotógrafo marcado pelos horrores da guerra, Riad Halabí, o árabe de coração compassivo, a professora Inês ou o Benfeitor. Narrados com prodigiosa imaginação e ternura, estes contos confirmam Isabel Allende como uma das escritoras mais admiradas em todo o mundo.»

PrintOs Anéis de Saturno – W. G. Sebald (Quetzal)
«Como outros livros de W.G. Sebald, Os Anéis de Saturno é de impossível classificação: é ficção, viagem, biografia, mito, enciclopédia. Uma viagem a pé pelo litoral inglês de Suffolk e um relato autorreferencial transformam-se numa longa romagem melancólica por lugares da literatura, da arte e da história, as grandiosas (ou malfadadas) construções do espírito humano. Aqui, como em outros livros, Sebald conduz um paciente trabalho de arqueólogo, resgatando do esquecimento dos homens os prodígios da natureza e da criação lado a lado com a destruição, o horror do holocausto, da guerra, da escravatura.
O movimento exploratório do individual para o universal (e vice-versa), os grandes temas recorrentes do tempo, da memória e da identidade (inesgotáveis em si mesmos e na inimaginável riqueza de manifestações que Sebald observa) mantêm-se em Os Anéis de Saturno. Mas este será talvez o seu livro mais sombrio, mais arrebatador – e mais belo.»

PrintAcqua Toffana – Patrícia Melo (Quetzal)
«Uma mulher suspeita que o marido a trai e procura a polícia, convencida de que ele é também o brutal assassino de mulheres que habita as manchetes dos jornais.
O funcionário de um cartório, pai de família aparentemente exemplar, vê a sua vida transformar-se diante do ódio incontrolável que o faz aproximar-se de uma vizinha para planear minuciosamente a sua morte.
Ciúme e ódio, testemunha e perpetrador, em duas narrativas paralelas – que se cruzam de forma inesperada – e em que o sexo surge como o poderoso elo entre o assassino e a vítima.»

Preces_AtendidasTudo o que Nunca Te Disse – Romana Petri (Bertrand)
«Mario e Cristiana já passaram os sessenta anos e estão divorciados há quinze. Ele é engenheiro hidráulico, acabado de se mudar para o Rio de Janeiro com a sua jovem mulher e o filho com pouco mais de um ano. Ela vive em Roma, com os dois filhos já crescidos e um segundo casamento, feliz.
Certo dia, Cristiana recebe uma carta estranha de Mario, do Brasil. Escreve-lhe dizendo que se sente velho, que gostaria de re-encontrar um pouco da juventude trocando cartas com ela. Diz que só assim, voltando atrás com quem se foi jovem, se pode continuar a sê-lo. Mas quais serão verdadeiramente as suas intenções? Através das respostas de Cristiana, o leitor verá desfilarem diante dos seus olhos, ao mesmo tempo que a história de um amor naufragado, os tiques e os mal-estares de toda uma geração: as falsas utopias, a crise das relações entre homens e mulheres, a revolução fracassada, o terrorismo, os muitos ideais que se esfumaram, deixando espaço apenas para a realidade banal. E depois os rancores, as traições mútuas, todas as coisas nunca ditas que finalmente vêm ao de cima de maneira violenta, brutal, impiedosa. Até se chegar a um verdadeiro ajuste de contas, no qual todas as cartas são postas na mesa.»

jardim AlfazemaDeslumbrante – Madeline Hunter (Edições Asa)
«Ela acredita não ter limites.
Numa época em que a reputação de uma mulher é o seu bem mais precioso, Audrianna desafia todas as convenções. Ela é uma jovem determinada, independente… e disposta a tudo para aniquilar o seu adversário, o altivo Lord Sebastian Sommerhayes. A uni-los está um homem: o pai de Audrianna, que morreu envolto nas malhas de uma conspiração. Para Audrianna, essa tragédia significou o fim da sua inocência. Para Sebastian, que liderou a investigação, foi apenas uma morte merecida. Audrianna jurou limpar o nome do pai, mas nunca esperou sentir um desejo tão avassalador pelo homem que o arrasou.
A busca pela verdade vai levá-la demasiado longe numa sociedade que é implacável perante a ousadia feminina. Ao ver-se mergulhada num escândalo que pode ser-lhe fatal, Audrianna tem apenas uma inconcebível opção…»

ber-servaA História de Uma Serva
– Margaret Atwood (Bertrand)
«Extremistas cristãos de direita derrubaram o governo norte-americano e queimaram a Constituição. A América é agora Gilead, um estado policial fundamentalista onde as mulheres férteis, conhecidas como Servas, são obrigadas a conceber filhos para a elite estéril. Offred é uma Serva na república de Gilead e acaba de ser transferida para casa do enigmático Comandante e da sua ciumenta mulher. Pode ir uma vez por dia aos mercados, cujas tabuletas agora são imagens, porque as mulheres estão proibidas de ler. Tem de rezar para que o Comandante a engravide, já que, numa época de grande decréscimo do número de nascimentos, o valor de Defred reside na sua fertilidade e o fracasso significa exílio nas Colónias, perigosamente poluídas. Defred lembra-se de um tempo, antes de perder tudo, incluindo o nome, em que vivia com o marido e a filha e tinha um emprego. Essas memórias vão-se agora misturando com ideias perigosas de rebelião e amor.»

ME_darcyAs Cinquenta Sombras de Mr. Darcy  William Codpiece Thwackery (Máquina de Escrever)
«As Cinquenta Sombras de Mr. Darcy desata o espartilho da própria literatura, numa paródia cómica e empolgante ao bestseller que está a deixar toda a gente “em brasa”.
Lizzy Bennet foi educada para ser uma dama ― de boas maneiras, hábil na conversa e uma referência na comunidade. Mas quando Elliot Bingley vem fazer a corte à sua irmã, surge a oportunidade a Lizzy de aprender um conjunto de habilidades um pouco diferentes, ao ser apresentada a Fitzwilliam Darcy, amigo de Bingley. Um encontro apenas com este homem intrigante atrai Lizzy para o mundo secreto de Darcy, de práticas lascivas e impulsos luxuriosos. Darcy não faz declarações de amor, na verdade, as suas intenções eram claras desde o início. Mas mesmo a mais inocente e bem-educada das jovens tem impulsos… Lizzy descobre que um chicote não é apenas usado para apressar o seu pónei – é um novo mundo que se lhe revela.
Este é um livro hilariante, que recupera, apimentando, o clássico Orgulho e Preconceito, de Jane Austen.

capaOs Teus Desejos São Ordens – M. L. Castro (Matéria-Prima)
«
Verónica abandona o seu país, à procura de segurança, depois de sucessivas ameaças de morte. A jornalista foge para o outro lado do mundo, contrariando aquilo que o coração e o corpo pediam. Deixa para trás um trabalho promissor, amizades inabaláveis e uma paixão arrebatadora.
No seu novo destino, Verónica acaba se deixar levar pela vertigem do desejo e da sedução, vivendo tudo o que nem a sua imaginação ousava arriscar. Entre tórridas noites e festas exuberantes, a jornalista transforma-se: muda de nome, de visual, de pele. Mas quando tudo parecia distante e um novo caminho se começava a desenhar, o melhor e o pior do seu passado decidem voltar à sua vida.
Confrontada com a maior das tentações e também com o maior dos perigos, Verónica vive momentos de sobressalto, repletos de desejo e luxúria, em que os corpos falam mais alto do que razão. Sem nunca pensar que a maior surpresa ainda estava por acontecer.
Em Os Teus Desejos São Ordens, deixe-se levar para um destino exótico, numa espiral de emoções à flor da pele. Viva um verdadeiro teste aos limites do amor e do prazer, como nunca os imaginou.»

dc-vence-osSe não podes juntar-te a eles, vence-os – Filipe Homem Fonseca (Objectiva)
«
Podia ter acontecido por causa de um desastre natural, o terramoto. À falta dele, aconteceu o que bem sabem, está a passar em todos os canais.
Acabam-se os sítios para ocupar, que os sítios estão a deixar de ser sítios, estão a desaparecer os lugares do mundo. Sente-se o tempo a doer-nos sem darmos por ele a passar. Tudo está perfeito como está, por pior que esteja, o futuro não é coisa que se leve até ao fim.
Folhagem que rasga o asfalto, explosões da alma e do coração. Sol a fugir do fumo e uma mulher manchada de sangue. Um bebé protesta antes de nascer. Dois homens abandonam uma irrepreensível vontade de ter medo da mudança.
Portugal está cheio de crimes violentos, paixões loucas e boa pastelaria. A Europa, o mundo inteiro, é isto: as pessoas vão morrendo aos poucos, às vezes morrem muitas de uma vez.
O mundo acaba com um encolher de ombros.»

Capa Portugueses IlustresPortugueses Ilustres – Pinheiro Chagas (Vogais)
«Este clássico do final do século xix é um compêndio de pequenas biografias dos portugueses mais ilustres de sempre, escrito num tom de exaltação dos grandes feitos nacionais.
Começando em Viriato e terminando em Almeida Garrett, Portugueses Ilustres apresenta aos leitores as vidas e conquistas de 133 personalidades, tais como D. Afonso Henriques, D. Dinis, Fernão de Magalhães, Vasco da Gama, Marquês de Pombal, Camões, Padre António Vieira ou Gil Vicente — exemplos de esperança que vêm da História.
Escrito numa linguagem simples e acessível, esta é uma obra indispensável para adultos e crianças conhecerem  algumas das personalidades mais importantes da História de Portugal. Em tempo de descrença nas elites nacionais, este é um livro que recorda os feitos dos grandes Portugueses, exemplos de esperança que vêm da História.»

CapaLaços Familiares – Danielle Steel (Bertrand)
«
Annie era uma jovem e brilhante arquiteta de Manhattan. Cheia de talento, bonita, a começar o primeiro emprego, apartamento e namorado novos, tinha o mundo na palma da mão – até que um único telefonema mudou a sua vida para sempre. Do dia para a noite, tornou-se a mãe dos três filhos da irmã, agora órfãos. Annie manteve a promessa que nunca se arrependeu de ter feito, apesar de isso significar que a sua própria vida ia ficar em suspenso.
Agora com 42 anos, mais independente que nunca, com uma boa carreira e uma família que é tudo para ela, Annie sente-se confortável sendo solteira, e assim planeia ficar. Com o sobrinho e as sobrinhas agora adultos e a depararem com os seus próprios desafios, Annie encontra-se naquela fase de transição em que tem simultaneamente de lhes dar uma mão e de os deixar partir, vendo-se subitamente obrigada a enfrentar uma casa vazia.
Liz, de 28 anos, uma editora na Vogue que trabalha de mais, nunca deixou que nenhum homem se aproximasse dela o suficiente para a poder magoar. Aos 24 anos, Ted, sério e trabalhador, estuda Direito e sente-se cativado por uma mulher muito mais velha e já com filhos. E a mais nova, Katie, de vinte e um anos, impulsiva, artística e rebelde, estuda arte e está prestes a tomar uma decisão que a conduzirá a um mundo totalmente diferente, que quer abraçar, mas para o qual não está minimamente preparada.
É então que, quando menos se espera, um encontro muda novamente a vida de Annie, no mais inesperado dos sentidos.
De Manhattan a Paris e Teerão, Laços Familiares relembra-nos como a vida é imprevisível e um constante desafio e que os laços de família são os mais fortes de todos.»

????????????????E Depois, a Paulette… – Barbara Constantine (Bertrand)
«
Ferdinand vive sozinho na sua grande quinta vazia, coisa que não o deixa muito feliz. Um dia, depois de uma violenta tempestade, passa com os netos pela vizinha e descobre que o teto da casa dela está a ponto de desabar. Claramente, a vizinha não tem para onde ir. E com grande naturalidade, os meninos, de seis e oito anos, sugerem ao avô que a convide para ficar na quinta. Mas a realidade não é assim tão simples, há certas coisas que se fazem, e outras que não…
Depois de uma longa noite de reflexão, ele acaba por ir procurá-la na mesma. Uma coisa leva à outra e a quinta começa a encher-se, a agitar-se, recomeça a funcionar. Um amigo de infância agora velho, duas senhoras muito velhas em estado de pânico, estudantes que andam um pouco perdidos, um amor que nasce, animais. E depois, a Paulette…»

Preces_AtendidasEstereótipas – Luz Sánchez-Mellado (Bertrand)
«
Engenhosas, contundentes, sem misericórdia, brutalmente divertidas, as estereotipas provocam gargalhadas enquanto contam as suas vidas. Riem-se de todos e de todas, mas riem-se sobretudo delas próprias.
Aproveitar todas as ofertas e promoções e transformar-se numa Lady Ganga; retirar o maior proveito do próprio corpo, nem que seja com artifícios para se autoproclamar Miss Próteses; celebrar o aniversário em estilo e debater-se com as novas tecnologias para que não lhe chamem Velha Patética; mudar-se para os subúrbios e sobreviver como uma espécie de Lady Piscinas; divorciar-se e regressar ao mercado das Predadoras e Presas; atirar-se à jugular da melhor amiga, à ex do namorado ou à sogra de sempre como uma boa Irmã Loba; combater o stress com a armadura da Conciliadora, a super-heroína que concilia o trabalho com a família, e poder contá-lo com todos os pormenores, glórias e misérias, orgulhosas de serem Incontinentes Verbais, com muita honra – assim é o mundo bipolar dos estereótipos.
Disseram-lhes desde o berço que têm de ser perfeitas e o pior é que acreditaram nisso sem reservas. Lutam corpo a corpo na selva da vida e saem a perder quase sempre, mas com dignidade e com estilo. Contraditórias e coerentes, mesquinhas e sublimes, cobardes e audazes, capazes do melhor e do pior para salvar a pele e as aparências. Divinas, mas muito humanas.»

sde-sagracaoA Sagração da Primavera – Alejo Carpentier (Saída de Emergência)
O conhecido ballet de Stravinski A Sagração da Primavera, com os seus motivos de morte e renascimento como ritos de passagem da natureza, dá título a uma das mais ambiciosas obras literárias de Alejo Carpentier (1904 – 1980), cuja trama gira em torno de dois personagens: Vera, bailarina russa que fugiu do seu país após os acontecimentos de 1917, que atua na companhia de Diaghilev, e Enrique, membro de uma família cubana endinheirada, que, por sua militância contra a ditadura de Gerardo Machado, se vê obrigado a exilar-se no Paris boémio dos anos 30.
Uma obra na qual o autor aprofunda alguns dos mais destacados acontecimentos sociais e políticos do século XX, desde a guerra civil espanhola até à revolução cubana, refletindo-se nela o processo de iniciação artística de Carpentier e onde se exalta o vigor colossal das forças da arte e da revolução para renovar e rejuvenescer os processos históricos.»

Capa_Espada_e_Cimitarra.aiEspada e Cimitarra – Simon Scarrow (Saída de Emergência)
«Uma batalha entre dois continentes
No ano de 1565, a Europa ameaça desmoronar-se. Dividida, não consegue fazer frente a um implacável Império Otomano em expansão.
Quando uma gigantesca frota turca se aproxima, toda a esperança de um continente caído em desgraça está numa minúscula ilha no meio do Mediterrâneo: Malta. E para a defender apenas restam os Cavaleiros da Ordem de Malta.
Um homem dividido
Entre os convocados para resistir e morrer está o veterano caído em desgraça, Sir Thomas Barrett. O instinto de honra força-o a colocar a Ordem acima de tudo, mas o seu desejo secreto é o de voltar a ver a mulher que sempre amou. Para piorar tudo, é incumbido de uma missão secreta pela rainha Isabel, que vê nos Cavaleiros uma ameaça ao seu reino.
Um dia para mudar a História
Enquanto sir Thomas confronta o passado que lhe custou a honra, um grandioso exército inimigo lança o cerco à ilha. No meio de gritos e morte tudo se decidirá: o destino da fé cristã, o fim ou a glória dos Cavaleiros de Malta, e o futuro de uma Europa que nunca esteve tão próxima da aniquilação total.»

alfaguara o legadoO Legado – C.J. Daugherty (Alfaguara)
«Passou um ano desde que Allie entrou na Academia Cimmeria, onde encontrou novos amigos, um novo amor e, sobretudo, um porto de abrigo. Mas dentro dos muros de Cimmeria existe um grave perigo. Um grupo misterioso e perverso está a tentar destruir a academia e tudo quanto esta representa. Os alunos correm perigo e, como se não bastasse, a família de Allie está no centro da tempestade. Consciente de que os segredos podem destruir até a relação mais forte, a rapariga terá de escolher entre salvar a família e confiar nos amigos. A vida de Allie transformou-se numa perigosa encruzilhada, onde tudo está em jogo. Até o amor…
O Legado é o 2º volume da série A Escola Noturna»

asa-katie

Coração sem Limites – Katie Davis (Edições Asa)
«Uma história de amor incondicional.
O que levou uma jovem americana de 18 anos a desapontar os pais, afastar-se do irmão, desistir da universidade, perder a maior parte dos amigos e terminar a relação com o amor da sua vida? Tudo para se mudar para um país africano, onde só conhecia uma pessoa e não falava a língua nativa. Para Katie, a resposta foi simples: O desejo profundo de ajudar o próximo e contribuir para um mundo melhor.
Katie Davis era uma das raparigas mais populares do liceu e tinha uma vida familiar invejável. O seu namorado era um atleta de sucesso e adorava-a. Mas antes de cumprir o sonho de entrar numa das melhores universidades americanas, Katie decide fazer uma pausa e dedicar-se a uma missão humanitária de curta duração em África. A sua vida nunca mais seria a mesma.
A bondade e simplicidade das pessoas que conheceu no Uganda tocaram fundo no seu coração. Perante aquele povo abandonado à sua sorte e privado dos bens mais essenciais, Katie percebeu que a sua missão não seria breve. Aquela seria, sim, a missão da sua vida. A pouco e pouco, ela tem contribuído ativamente para fazer do Uganda um país melhor e está, atualmente, no processo de adotar treze crianças. A sua coragem e abnegação abalaram o mundo e granjearam-lhe o epíteto de Mulher do Ano 2012 pela revista Glamour.
Coração sem Limites leva o leitor numa jornada inesquecível pelos caminhos do coração humano. Porque é possível mudar o mundo, uma pessoa de cada vez.»

pe-asasO Império das Asas – Claire Corbett (Porto Editora)
«
Voar deixou de ser um sonho impossível, mas apenas os ricos e poderosos podem pagar a cirurgia, medicamentos e manipulação genética para tal. Peri, uma jovem de classe baixa, está disposta a qualquer coisa para conseguir as suas asas e juntar-se à elite, mas cedo descobre que o preço do seu sonho é mais elevado do que alguma vez imaginara. Será ela capaz de abdicar de tudo o que lhe é fundamental na vida?»

ctp_Consp365vingancaConspiração 365 – Vingança – Gabrielle Lord (Contraponto)
«
Após 365 dias como fugitivo, Cal Ormond voltou finalmente para junto da família e dos amigos, e a vida parece correr-lhe bem. Contudo, certa noite, Cal recebe uma mensagem misteriosa: “30 dias”. Será realmente um aviso ou uma mera partida? Terá o seu terrível passado voltado para o perseguir?
Quando Cal desaparece subitamente, os seus amigos não sabem o que pensar. Terá decidido afastar-te devido à pressão dos paparazzi ou a verdade é mais sinistra? Irão encontrar Cal antes que seja tarde demais?
O relógio não para… Cada segundo pode ser o último…»

Capa Heidi, A Menina dos AlpesHeidi: A Menina dos Alpes – Johanna Spyri (Booksmile)
«Órfã desde tenra idade, Heidi vive com a sua tia. Após receber uma proposta de trabalho irrecusável, a tia é obrigada a entregar Heidi ao seu avô, um velho zangado com o mundo, vivendo isolado num planalto nos Alpes. Ao chegar ao novo lugar, Heidi apaixona-se de imediato pelas paisagens esplendorosas e pelos animais dos vales e das montanhas.  Com o passar do tempo conquista também  o coração do avô,  mostrando-lhe que é possível ser feliz e reencontrar a paz.
Mas essa felicidade desaparece quando a tia regressa aos Alpes e leva a menina para Frankfurt. Na cidade, Heidi irá viver na casa do senhor Sasemann, um homem rico que precisa de companhia para Clara, a sua filha paraplégica. Apesar da amizade que nasce entre as duas meninas, e de todas as coisas boas que aprende em Frankfurt, Heidi não consegue afastar as saudades do avô e dos dias felizes na montanha… Será ela capaz de regressar ao seu lar nos Alpes e concretizar os seus sonhos?»

Capa Heidi, O Milagre da MontanhaHeidi: O Milagre da Montanha – Johanna Spyri (Booksmile)
«Heidi é uma menina feliz e encantadora que vive com o seu avô nos Alpes, rodeada de flores, animais maravilhosos e prados deslumbrantes, verdes no verão e brancos de neve no inverno. Ela adora passear nas montanhas com o seu amigo Pedro, pastor de cabras, e visitar a avó dele para se deliciar com histórias de encantar. Apesar de ser muito feliz, Heidi tem saudades de Clara, a menina paraplégica que conheceu em Frankfurt. Na cidade, Clara também sente a ausência da sua amiga, sonhando com uma visita aos Alpes. E esse dia surgirá muito em breve…
Mas o que mudará com a chegada de Clara à montanha? Através da bondade e da inocência de Heidi,  a família e os amigos perceberão que é possível ultrapassar todas as dificuldades  — até os obstáculos aparentemente intransponíveis. dos dias felizes na montanha… Será ela capaz de regressar ao seu lar nos Alpes e concretizar os seus sonhos?»

me-gatoAlma de Gato – Ruth Berger (Máquina de Escrever)
«
Milhões de pessoas partilham a sua vida com gatos.
Alma de Gato é uma antologia inesquecível sobre a amizade com o mais belo e selvagem dos animais domésticos.
Este livro reúne mais de setenta histórias sobre os gatos de estimação de pessoas famosas, como John Lennon, Churchill, Edgar Allan Poe ou Freddie Mercury, mas também sobre os companheiros felinos de cidadãos anónimos, com relatos emocionados de pessoas cujas mascotes as ajudaram a ultrapassar momentos difíceis ou doenças prolongadas.
Ora comoventes, ora cómicos, são testemunhos de grande cumplicidade e amor incondicional, que nos fazem sorrir e reflectir.»

asa-smurfOs Smurfs em Paris (Edições Asa)
«Após o retumbante êxito da primeira aventura dos Smurfs no nosso planeta, no verão de 2011, eis que chega às salas de cinema de todo o país aquele que promete ser o filme do verão de 2013! Quando se apercebem de que a Smurfina foi raptada e que tal catástrofe só pode ser obra do Gargamel, os Smurfs não hesitam em se lançar no seu encalço. Não sabem é que o palco desta aventura é a magnífica mas atribulada cidade de Paris, em tudo diferente da sossegada aldeia dos Smurfs. Ainda bem que os pequenos seres azuis podem contar novamente com os seus amigos humanos, a família Winslow!»