Chá das Cinco edita “Jogos na Noite”, de Sherrilyn Kenyon

A Chá das Cinco, do grupo Saída de Emergência, lança em Janeiro Jogos na Noite, de Sherrilyn Kenyon, autora de O Abraço da Noite, Dança com o Diabo e O Beijo da Noite.

Sobre o livro: «Bride McTierney está farta de homens.
São reles, egocêntricos e nunca a amam pelo que ela é.
Mas embora Bride tenha orgulho na sua independência, no fundo deseja o seu príncipe encantado. Apenas nunca pensou que este pudesse ocultar-se sob uma pele de lobo!
Alguém tão perigoso e atormentado como Vane Kattalakis não é quem parece.
Um Predador do Homem na forma de lobo, ele é um alvo a abater pelos muitos inimigos. Vane não está à procura de uma parceira, mas as Parcas marcaram Bride como sua. Agora tem três semanas para a convencer de que o sobrenatural é real ou perderá o respeito dos seus pares.
Mas como é que um lobo convence uma mulher a confiar-lhe a vida quando tem inimigos na sua peugada? Num mundo tão cruel como o dos Predadores humanos, o amor fará alguma diferença?»

“O Livro que Voa” de Rébecca Dautremer chega em Janeiro numa edição Educação Nacional

A Educação Nacional vai lançar em Janeiro mais um álbum de Rébecca Dautremer (O Livro que Voa) e completa a sua oferta para o primeiro mês de 2011 com duas novas obras da colecção As Fadas do Vale Encantado e Sussu e o Grafismo.

O Livro que Voa – Pierre Laury / Rébecca Dautremer
«Um livro é uma janela imaginária que nos faz sonhar. Esta é a história de um livro que não está abrigado numa casa, numa livraria, numa biblioteca… É a história de um livro perdido, um livro que caiu na água da chuva, que levou Ícaro nas asas do vento… Um livro que voa!»

A Fada Margarida e a Encenação Perfeita – 3 e A Fada Rosa e o Amigo Ternurento – 4 – Kate Bloom / Emma Pack
«A colecção As Fadas do Vale Encantado conta a história de quatro fadas cuja missão é ajudar as crianças a realizar desejos especiais. Com um enredo dinâmico e ilustrações que pintam a história de vivacidade, estes livros transportam os leitores para um vale de mil encantos»

Sussu e o Grafismo – Lucília Carvalho
«Potenciar o desenvolvimento, a aprendizagem, a motivação e a autonomia da criança é o objectivo esta colecção, concebida no âmbito das directrizes para a Educação Pré-escolar. As actividades propostas desenvolvem a destreza física e o raciocínio da criança, despertando os seus sentidos e promovendo a obtenção de bases sólidas para o sucesso escolar.»

Primeiro semestre de 2011 da Cavalo de Ferro conta com Shirley Jackson e Knut Hamsun e apresenta nomes como Flann O’Brien e Adam Haslett

A Cavalo de Ferro desvendou parcialmente o seu plano de acção para 2011 e assim ficamos desde já a saber que no primeiro semestre teremos novas obras de autores já no catálogo, como Shirley Jackson (foto da esquerda), Knut Hamsun (foto da direita), Zoran Zivkovic e Luigi Pirandello. A Cavalo de Ferro irá apostar ainda na divulgação de escritores como Samanta Schweblin, Flann O’Brien e Adam Haslett, entre outros.

Novidades de autores já no catálogo:
Victoria, de Knut Hamsun
O Último Livro, de Zoran Zivkovic
O Turno, de Luigi Pirandello
A Maldição da Casa da Colina, de Shirley Jackson

Novos autores no catálogo:
A argentina Samanta Schweblin, com o volume de contos Pássaros na Boca.
O irlandês Flann O’Brien, com Um Rio de Tinta Irlandesa.
O norte-americano Adam Haslett, com Union Atlantic. Este autor foi finalista do Pulitzer e do National Book Award com a obra You Are Not a Stranger Here.
A jugoslava Drubavka Ugresic, com Museu da Rendição Incondicional.
Os contos de Ryunosuke Akutagawa, Rashomon e Outras Histórias, com prefácio de Haruki Murakami.

Destaque ainda para a reedição de Viagem ao País da Manhã, de Hermann Hesse, e de Auto de Fé, de Elias Canetti, ambos Nobel da Lietratura.

Hello Kitty dá uma ajuda às adolescentes

A Porto Editora lançou recentemente o Guia das Adolescentes Hello Kitty, criado por duas jovens sociólogas portuguesas, que aborda temas-chave de um período do desenvolvimento humano normalmente caracterizado por dúvidas, inquietações e problemas.

Sobre o livro: «Coisas tão diferentes como perceber por que razão o corpo está a mudar ou decidir o que vestir são abordadas de forma clara nesta obra, que dá conselhos e dicas práticas. Mas há mais: “Estudar é uma chatice?”, “Estás sempre a pensar naquele rapaz?”, “Não te entendes com os teus pais?”. Este livro é para quem quer ter respostas para estas e outras perguntas.
Neste Guia das Adolescentes Hello Kitty encontram-se bases de apoio para uma adolescência feliz: conselhos da amiga Hello Kitty, uma das personagens preferidas das jovens portuguesas, para uma adolescência que não tem de ser uma montanha de problemas.»

Janeiro de fantasia na Saída de Emergência

A Saída de Emergência revelou que em Janeiro vai editar romances de Patricia Briggs, Melissa Marr, Terry Pratchett e Charlaine Harris, todas eles vagueando pelo mundo da fantasia.

Vínculo de Sangue – Patricia Briggs
«A fantasia urbana tem uma nova heroína: Mercy Thompson.
Ela é forte e independente, mas num mundo repleto de perigos, será isso suficiente?
Mercy tem amigos em lugares estranhos e sombrios. E agora deve um favor a um desses amigos: o vampiro Stefan precisa das capacidades de metamorfose de Mercy para entregar uma mensagem a um vampiro recém-chegado à cidade. O que Mercy não sabe é que este novo vampiro tem um segredo: na verdade é um feiticeiro possuído por um demónio prestes a lançar o caos na cidade.»

Tatuagem – Melissa Marr
«Leslie, de dezassete anos, não sabe nada sobre fadas nem sobre as suas lutas obscuras pelo poder. Quando se sente atraída por uma tatuagem estranhamente bela, só sabe que tem de a ter, convencendo-se de ter encontrado um símbolo tangível das mudanças de que precisa desesperadamente na sua vida.»

Nação – Terry Pratchett
«No dia em que o mundo acaba o jovem Mau vai a caminho de casa, vindo da Ilha dos Rapazes. Em breve, será um homem. É então que chega uma onda enorme, arrastando atrás de si a noite escura e trazendo também um navio, o Doce Judy. Quando a marcha do navio é travada com estrondo, apenas uma alma sobrevive (ou duas, incluindo o papagaio). A aldeia desapareceu. A Nação, tal como a conhecia, desapareceu. Resta apenas o jovem Mau, que não veste quase nada, uma rapariga dos homens-calças, que veste demasiado, e um monte de mal-entendidos.»

Laços de Sangue – Charlaine Harris
«Depois do desastre natural do furacão Katrina e do horror criado pelo homem da explosão na cimeira de Vampiros, Sookie Stackhouse vive segura mas atordoada, ansiando que as coisas voltem ao normal. Mas o seu namorado, Quinn, é um dos desaparecidos. E as coisas mudam, quer isso agrade ou não aos lobisomens e aos vampiros do seu canto do Louisiana. Nas batalhas que se seguem, Sookie enfrenta perigo, morte… e, mais uma vez, a traição de alguém que ama.»

Terrorismo, Lady Gaga e fado na ementa da Planeta

A Planeta Manuscrito lançou recentemente O Palestiniano, obra de investigação de um jornalista que assina com o pseudónimo Antonio Salas que faz aqui “um mergulho no terrorismo internacional”, depois de já se ter dedicado a skinheads e à máfia. Para este trabalho visitou 13 países onde enfrentou situações d vida ou morte. Outras novidades recentes da Planeta são Lady Gaga – Rainha da Pop, Ícone da Moda, de Lizzy Goodman, e Tudo Isto é Fado, de Clara Azevedo e Luís Chimeno Garrido

O Palestiniano – Antonio Salas
«Armado com uma câmara oculta e sob a identidade de Muhammad Abdallah, um muçulmano nascido na Venezuela e com raízes palestinianas, o autor viverá de muito perto os atentados suicidas de Amã e de Casablanca, os assassínios selectivos da MOSSAD, os laços que irmanam jihad e suástica, a captação de integristas islâmicos nas mesquitas europeias, a luta nos bairros mais perigosos da Venezuela ou o treino terrorista nos campos das FARC. A realidade de uma rede bélica, política e mediática. No seu trajecto cruzar-se-á com personagens como o líder palestiniano Aiman Abu Aita, o cabecilha tupamaro Chino Carías, o etarra Arturo Cubillas, o fundador do Hizbullah-Venezuela, Teodoro Darnott, o comandante Eduardo Rózsa ou o terrorista internacional Ilich Ramírez, aliás Carlos, o Chacal, de que chegou a ser o homem de confiança.»

Lady Gaga – Rainha da Pop, Ícone da Moda – Lizzy Goodman
«Lady Gaga começou por inventar roupas knockoff com o objectivo de trabalhar com Alexander McQueen, Hedi Slimane e Thierry Mugler, entre outros. As suas influências musicais foram artistas como David Bowie, Madonna e Freddie Mercury, que misturavam a moda com a sua música, criando assim os próprios mundos.
Nos capítulos como “Estilos de Roupa, Escrava da Moda”, “Os Chapéus”, Lady Gaga: Rainha da Pop, Ícone da Moda analisa as suas influências da cultura pop, para projectar o seu estilo e ideias de como ser uma celebridade. Lady Gaga entrou em contacto com o seu próprio e estranho mundo impulsivo e deseja que todos os fãs, os seus «pequenos monstros”, possam fazer o mesmo. Leia e aprenda!»

Tudo Isto é Fado – Clara Azevedo e Luís Chimeno Garrido
«Ao longo de várias semanas, ouvimos poetas, vozes abençoadas, histórias de vidas. “Provámos” de tudo um pouco, tendo por companhia o som único da guitarra portuguesa e da guitarra clássica, e sendo envolvidos pela “Luz da Noite” que José Manuel dos Santos tão bem descreve no seu prefácio.
Decididamente o fado é uma parte da nossa alma, o oxigénio da nossa saudade… uma história que se conta a cantar. Pelos autores.

Como se fez…
Fazer um roteiro sobre o fado não é tarefa fácil. Fazer um “roteiro para provar e ouvir o fado em Lisboa”, é ainda mais complicado, mas é também um prazer redobrado que põe à prova todos os sentidos. Há cada vez mais casas de fado, tertúlias de amigos que se reúnem para “fadistar” nas tasquinhas, e até inúmeros bares frequentados por uma geração mais nova, e que incluem a tradição do fado na sua programação. Com tantas alternativas, optámos por fazer uma selecção que incluísse todas estas tendências. Nas nossas sugestões podem ouvir desde o fado profissional, passando pelo fado amador, até ao chamado fado vadio.»

“Milagrário Pessoal” – José Eduardo Agualusa

Já li, relativamente a Milagrário Pessoal (Publicações Dom Quixote), que será uma obra menor de José Eduardo Agualusa. Posso (e devo) respeitar, mas não concordo, nem sequer entendo. Tem, logo à partida, uma grande vantagem: está muito bem escrito. O escritor angolano domina como quer a língua portuguesa e aplica o seu conhecimento numa escrita fluida, colorida e viva que bastaria para cativar um leitor mesmo que escrevesse sobre nada. Bastaria para satisfazer só pelo prazer da leitura… até podia estar a falar de cimento ou alcatrão.
O enredo não terá nada de muito original? Posso concordar, pois tudo começa e assenta numa história de amor, impossível como manda a tradição. Mas essa história serve de pretexto para homenagear a língua portuguesa, através de uma busca, por parte das suas principais personagens, dos neologismos do português. E bem encaixados no meio da história (ou das histórias, mas a isso já lá vamos) surgem os neologismos, como uma aula na qual nem se repara, mas onde tudo se aprende. De Portugal a Angola, passando pelo Brasil e outros, corremos os olhos por jogos de palavras (novas e velhas, dependendo por vezes da geografia) bem lançados por Agualusa.
E depois temos as tais histórias (referidas mais atrás). Milagrário Pessoal é quase uma compilação de pequenas histórias que se vertem ordeiramente e com sentido nas páginas do romance, abordando temáticas tão díspares como as guerras em Angola (e as suas consequências) ou Zé do Telhado e a sua troca de correspondência com Camilo Castelo Branco. E, entre personagens reais e fictícias, todos têm algo de interessante a acrescentar ao enredo.
Parece que estou a escrever sobre um livro didáctico, mas não. É só uma história onde por acaso se pode aprender umas coisas e da forma mais interessante: sem se dar por isso.
Já deu para perceber, não é? Gostei muito de Milagrário Pessoal.

Leia aqui entrevista de José Agualusa ao Porta-Livros sobre Milagrário Pessoal.

Amália e Almeida Garrett apresentados aos mais novos

Chamo-me… Amália e Chamo-me… Almeida Garrett são as mais recentes edições da colecção “Chamo-me…”, da Didáctica Editora, (do grupo Plátano), dedicada ao público juvenil e já com mais de 40 números.
Trata-se de uma colecção juvenil de biografias de grandes nomes da história, das ciências e das artes. Já foram lançadas obras sobre Fernando Pessoa, Eça de Queirós, Eusébio, Padre António Vieira, Bocage, Einstein e Marie Curie, entre outros.
Os dois novos volumes, como o nome indica, são dedicados a duas figuras da cultura portuguesa: Amália Rodrigues e Almeida Garrett. O livro da fadista tem texto de Maria Inês Almeida e ilustrações conjuntas de Sérgio Agostinho e Cláudia Dias. Chamo-me… Almeida Garrett , também assinado por Maria Inês Almeida, é ilustrado por João Concha.