Monthly Archives: Junho 2011

Brad Thor regressa com «O Apóstolo», um thriller que decorre no Afeganistão

A Bertrand lança a 1 de Julho o thriller O Apóstolo, de Brad Thor, autor de O Último Patriota e O Primeiro Mandamento, que aproveita a sua experiência no Departamento de Segurança Interna para enriquecer as suas obras. A acção de O Apóstolo decorre no Afeganistão.

Sobre o livro: «Scot Harvath é um homem com uma missão: resgatar a filha de uma assessora do presidente dos Estados Unidos. Com relutância, viaja para um Afeganistão dilacerado pela guerra na tentativa de conseguir recuperar a refém.
Brad Thor, ex-membro do Departamento de Segurança Interna, transporta-nos com a mestria da sua escrita numa viagem intensa e envolvente onde se revela o quotidiano dos talibãs e as suas tradições em confronto com o mundo ocidental, também ele marcado por contradições e particularidades.
“Da guerra que a nação americana trava contra o terrorismo emergiu uma nova casta de agentes. Completamente dedicados à sua arte, ignoram os suplícios e as dificuldades da sua profissão e trabalham incansavelmente com apoios limitados e burocracias exacerbadas para atingirem um só objectivo – o êxito das suas missões.
Anteriormente chamados «crentes fervorosos», este termo já não se lhes aplica. Estes guerreiros transformaram-se em apóstolos.” »

 

Trilogia A Primeira Lei, de Joe Abercrombie, arranca com «A Lâmina»

A 11 de Julho a Gailivro lança aquela que considera uma das maiores revelações do fantástico da actualidade: Joe Abercrombie. O escritor britânico apresenta então, na colecção 1001 Mundos, o seu primeiro romance, A Lâmina, que dá início à trilogia A Primeira Lei.

Sobre o livro: «Sólido, complexo e apaixonante, A Lâmina combina com mestria os elementos típicos do Fantástico, mas acrescenta-lhes a crueldade sanguinária e o humor mordaz que conduzem o leitor aos labirintos mais negros da condição humana. Este não é de certeza um livro “inocente”, com bons de um lado e maus do outro – é um romance de profunda humanidade, que nos coloca perante o espelho arrasador dos nossos pecados e fraquezas.
Perversamente divertido, excitante e imprevisível, e repleto de personagens memoráveis, A Lâmina é uma fantasia com muito de verdade. No mundo medieval criado por Joe Abercrombie, a sorte de Logen Novededos, bárbaro infame, esgotou-se finalmente. Apanhado num combate em que não se deveria ter envolvido, está prestes a tornar-se um bárbaro morto, deixando para trás apenas canções más e amigos mortos.
Jezal dan Luthar, modelo de egoísmo, não tem em mente nada mais perigoso do que conquistar a glória no círculo de esgrima. Mas a guerra aproxima-se e, nos campos de batalha do Norte gélido, luta-se com regras mais sangrentas.
Ao inquisidor Glokta, torturado convertido em torturador, nada agradaria mais do que ver Jezal regressar a casa num caixão. Mas também é verdade que o seu ódio será extensível a todos os que conhece. Extirpar a traição no coração da União, uma confissão de cada vez, não deixa um grande espaço para amizades e o mais recente rasto de cadáveres poderá conduzir directamente ao coração enfermo do Governo… se conseguir sobreviver durante tempo suficiente para o seguir…»

Série Beyblade chega às livrarias por acção da Educação Nacional

A série de desenhos animados Beyblade Metal Fusion, transmitida no Canal Panda, passa em Julho para o papel por iniciativa da Editora Educação Nacional.
A série relata as aventuras dos Bladers Gingka, Kyoya, Benkei, Kenta, Madoka, Doji e Ryuga, entre outros, que personalizam a eterna luta entre o bem e o mal.
Serão para já lançados os títulos O Pégaso Aterrou, O Rugido do Leão, A Ambição do Lobo e O Poder do Touro, assim como um livro de actividades e outro de autocolantes.
Ainda na Educação Nacional, destaque para o lançamento de um novo livro da colecção Quero Saber, intitulado O maior, o mais perigoso e outros animais fabulosos, que é assinado por Jozua douglas e Loes Riphagen.
Por fim, referência à colecção Academia de Princesas, de Prunella Bat, que tem por protagonista Bia, a descendente de uma antiga família nobre, mas que é o retrato oposto de uma princesa. Segundo explica a editora, “adora subir às árvores, tem um cabelo indomável e a única jóia que possui é um colar de massas colorido oferecido pelas suas irmãs. Decidida a fazer da sobrinha uma Princesa Perfeita, a tia Henriqueta matriculou-a na Academia de Princesas. Felizmente, Bia terá a seu lado três amigas fabulosas!»
Os títulos a editar são  Uma Coroa Para Bia, Que Príncipe! e Princesas em Campo.

«Victoria» – Knut Hamsun

Já se torna quase repetitivo, mas a verdade é para ser dita. A Cavalo de Ferro continua a brindar-nos com pequenas jóias que andavam esquecidas pelos editores nacionais e desta vez escrevo-vos sobre Victoria, um pequeno livro Knut Hamsun, escritor norueguês que em 1920 ganhou o Nobel e do qual já foram editados em Portugal Fome e Pan. Como se vê, a nível de títulos, parece parco em palavras e neste Victoria também o foi no resto, pois o romance não chega às 130 páginas. Mas as palavras foram escolhidas a dedo, pois as 125 páginas bastam para um excelente romance onde o tema do desencontro amoroso é abordado com um preciosismo que nos remete para paisagens e ambiente melancólicos de uma época distante.
Trata-se da típica história entre um rapaz de condição modesta e uma jovem de famílias ricas e de um estrato social inacessível ao primeiro. Ele chama-se Johannes e é filho de um moleiro. Ela é Victoria e pertence a uma família que em termos de fausto financeiro já conheceu melhores dias e que, portanto, se vê obrigada a casar com alguém que os salve da bancarrota. Este terceiro elemento é Otto. Conhecem-se todos desde pequenos, mas naturalmente cada um segue o seu caminho. Johannes vem a ser poeta e nunca esquece Victoria, que se torna a sua obsessão, apesar dos encontrso entre ambos serem escassos. Ela, tal como uma menina mimada, praticamente brinca com ele e com os seus sentimentos, mas na verdade não consegue esquecê-lo. Ele tenta tudo para ser aceite pela “entourage” dela, mas o dinheiro fala mais alto. Johannes refugia-se na sua poesia e na natureza, sentindo-se como peixe na água quando está no campo, tal como sucedia em criança, pois esse era o seu espaço de evasão, enquanto aspirava a uma vida melhor e a um amor puro. Mas nunca consegue dar o passo que o leve a passar a fronteira para o outro lado, para o mundo onde pode encontrar Victoria. Esta, volta e meia, desce ao mundo de Joahnnes, mas tão depressa lá surge como desaparece, não deixando rasto.
Tudo isto parece muito básico e previsível, estarão por certo a pensar, e não deixa de o ser, mas a verdade é que resulta numa obra belíssima, que prende o leitor, tornando o vulgar em irresistível, não só por estar bem escrito, mas principalmente por estar bem descrito e apresentado.
O “interior” das personagens está extremamente bem trabalhado e a grande densidade psicológica delas é um dos grandes trunfos (se não o principal) deste romance sobre o amor que sobreviveu ao tempo e que em boa hora chegou a Portugal.

«Purgatório», último romance de Tomás Eloy Martínez, sai a 30 de Junho

A 30 de Junho é editado Purgatório, o último romance do escritor argentino Tomás Eloy Martínez, falecido em Janeiro de 2010. O livro, a ser lançado pelo Porto Editora, “é uma odisseia sobre um casal de cartógrafos que sofre, em 1976, as consequências da ditadura militar argentina e que só volta a reencontrar-se passado 30 anos”.

Sinopse: «No Inverno de 1976, em plena ditadura, Simón Cardoso é detido pelos militares argentinos e nunca mais volta a aparecer. Trinta anos depois, porém, a sua mulher, Emilia Dupuy, fica paralisada ao ouvir a sua voz num restaurante dos arredores de New Jersey. O mundo, que se desmoronara com a tragédia, recupera então a luz. Será possível reaver o tempo perdido?
A partir deste inusitado encontro, Tomás Eloy Martínez enlaça a ansiedade de um amor perdido e recuperado com a reconstrução magistral da irrealidade criada pelo exílio – um exílio que ele próprio conheceu.
Aliando uma linguagem sóbria e uma história tão estranha quanto intensamente real, Purgatório ficará por ventura como a melhor obra de um autor já reconhecido como um clássico pela crítica internacional.»

Vencedor do passatempo Presença «A Casa da Sabedoria»

Arnaldo António Teixeira Oliveira Santos – Santo Tirso

Charlie Chaplin guia-nos numa viagem pela Europa

A Matéria-Prima Edições lançou em Junho A minha viagem pela Europa, um livro de viagens com a assinatura do actor e realizador Charlie Chaplin, que após sete anos de intenso trabalho em Hollywood e regressou ao Velho Continente para recuperar forças.

Sobre o livro: «Depois de sete intensos anos de trabalho em Hollywood, Charlie Chaplin encontrava-se física e emocionalmente esgotado e tinha apenas um desejo: escapar-se e regressar ao Velho Continente que o tinha visto nascer. Em A minha viagem pela Europa conhecemos o outro lado do mais famoso actor e realizador do cinema mudo – ficamos a par das suas fraquezas, dos seus desejos, da sua vontade de ser amado e querido, mas também conhecemos, através do seu relato, uma Europa que acordava da guerra em todo o seu esplendor e força. Chaplin redescobre o prazer do anonimato, antes de regressar à América com uma nova visão do mundo.
“Passamos por uma igreja. Há uma mulher idosa a dormir nos degraus, mas não parece cansada nem desgastada. Há quase um sorriso na sua face adormecida. Ela representa Paris, para mim. Escondendo a sua pobreza por detrás de um sorriso.”