Vogais lança a 1 de junho «A Arte da Guerra» versão novela gráfica

AOW_PLC_TheArtOfWarsss PT.inddA Vogais, chancela da editora 20|20, lança a 1 de junho a edição ilustrada do clássico A Arte da Guerra, de Sun Tzu. A obra, um tratado militar chinês escrito por volta do século V a. C. e hoje em dia considerada uma referência na área da gestão e liderança, é ilustrada por Peter Katz, apresentando em Portugal o título A Arte da Guerra – Novela Gráfica.
Nesta obra de Sun Tzu, general, estratega militar e filósofo, explica a Vogais que «um professor educa o pupilo quanto à mais subtil de todas as artes». As ilustrações de Pete Katz «retratam cenas de batalha e cenários estratégicos, dando vida a princípios militares antigos para uma nova geração de leitores».
arte da guerra-129O ilustrador, nascido em Londres, trabalha há mais de dez anos como ilustrador freelance, tendo já colaborado, nomeadamente, com o British Museum. Desenvolve ainda novelas gráficas e desenha retratos. Paralelamente, integra o coletivo internacional de artistas Bad Apple. Se desejar conhecer melhor a obra do ilustrador Peter Katz clique aqui.
A Arte da Guerra – Novela Gráfica tem 128 páginas e custa 16,59 €. Entretanto, pode ler aqui as primeiras páginas do livro. arte da guerra-131

«Thriller» assinado por James Patterson e Bill Clinton sai em Portugal a 8 de Novembro

O Presidente Desapareceu_capaChega a 8 de novembro às livrarias o thriller político que junta o campeão de vendas James Patterson e o antigo presidente norte-americano Bill Clinton, que ocupou a Casa Branca en tre 1992 e 2001. A obra, intitulada O Presidente Desapareceu, será editada pela Porto Editora. Dois meses depois de ter sido lançado nos Estados Unidos, o livro já vendeu mais de um milhão de exemplares.
Segundo a editora, James Patterson «contribuiu com a trama e o suspense», enquanto «os oito anos de mandato de Bill Clinton acrescentam a este thriller político a autenticidade sobre o dia a dia de um Presidente dos EUA, seja na vida dentro da Casa Branca, seja na relação com outros políticos, nomeadamente líderes de grandes potências mundiais».

Sinopse: «O protagonista deste livro é o Presidente Duncan, que partilha algumas características do seu coautor, e que tem de enfrentar um perigoso cyber attack capaz de levar o país a uma crise financeira maior que a Grande Depressão. Ao mesmo tempo, lida com uma possível conspiração para um impeachment, e acaba por desaparecer.»

Trilogia Red Sparrow, de Jason Matthews, encerra com «O Candidato do Kremlin»

O Candidato do KremlinFoi hoje editado em Portugal pela Lua de Papel O Candidato do Kremlin, de Jason Matthews, obra que encerra a trilogia Red Sparrow, que teve este ano uma adaptação ao cinema com o filme A Agente Vermelha, protagonizado por Jennifer Lawrence. O livro, traduzido por Ricardo Gonçalves, segue-se então a Traição e O Palácio da Traição.

Sinopse: «Há 15 anos que os serviços secretos russos trabalham no mais maquiavélico projeto de Vladimir Putin: introduzir um dos seus agentes-duplos na cúpula da CIA. Estão a um passo de o conseguir. Está prestes a ser nomeado um novo diretor, e os americanos estão longe de suspeitar que ele é, na verdade, O Candidato do Kremlin.
Dominika Egorova, porém, suspeita que algo terrível está prestes a acontecer. E sabe que corre o risco de ser desmascarada. Em Langley e no Kremlin as peças de um jogo diabólico começam a ser dispostas no tabuleiro. Enquanto isso, longe dos bastidores, da Turquia ao Sudão, de Moscovo a Washington, operacionais começam uma luta sangrenta para desenterrar uma pista que revele a identidade das “toupeiras”. A russa ou a americana. A primeira a ser descoberta será eliminada, com consequências catastróficas.»

Margaret Atwood presente no Fórum do Futuro, no Porto

servaA conceituada escritora canadiana Margaret Atwood, autora de A História de uma Serva (obra que deu origem à badalada série com o mesmo título), vai marcar presença no dia 8 de novembro no Fórum do Futuro, que decorrerá de 4 a 10 desse mês no Porto.
Atwood estará presente numa sessão às 21h30, moderada por Gareth Evans (escritor e curador na Whitechapel Gallery), no grande auditório do Rivoli, onde, segundo comunicado da sua editora em Portugal, a Bertrand, irá «refletir sobre a importância da mitologia na sua obra e sobre os elementos mais marcantes dos seus livros, como a identidade, ordem social e linguagem». A sessão terá por título «Mitos na minha Obra». Segundo o site da organização do evento, Atwood «explicará por que razões resiste ao rótulo de “feminista”, que muitas vezes tem sido aplicado aos seus livros – ela prefere pensar neles como obras de “realismo social”.»
Várias vezes considera uma potencial Nobel, Margaret Atwood é autora de obras como Chamavam-lhe Grace, Semente de Bruxa, O Coração é o Último a Morrer, O Ano do Dilúvio, Órix e Crex, Desforra e A Senhora do Oráculo.

Arte de Autor enriquece coleção a preto-e-branco de Corto Maltese

A Arte de Autor editou neste mês de setembro mais duas obras de Hugo Pratt da série Corto Maltese a preto-e-branco, com prefácio a cores, a saber os álbuns Sob o Signo de Capricórnio e Sempre Um Pouco Mais Longe. Com tradução a partir do italiano, as obras sucedem à «estreia» de A Balada do Mar Salgado.

Tomo 2 – Sob o signo de Capricórnio
«No início do seu périplo tropical, em plena I Guerra Mundial, Corto Maltese – “o último representante de uma dinastia completamente extinta que acreditava na generosidade e no heroísmo” – faz amizade com o jovem inglês Tristran Bantam, meio-irmão de Morgana Dias dos Santos, praticante de macumba e pupila da visionária Boca Dourada, a quem visita na Baía acompanhado por Steiner, antigo professor da universidade Praga e futuro companheiro de viagens, na pista de tesouros misteriosos, cumprindo o seu destino de cavalheiro da fortuna.»

Tomo 3 – Sempre um pouco mais longe
«Corto Maltese alarga o seu périplo tropical à selva sul e centro-americana e às ilhas caribenhas. Vudu e política, golpes e repúblicas de bananas, escravatura, mulheres belas e misteriosas, a duradoura miragem do Eldorado, são alguns dos cenários e dos meandros das aventuras deste herói singular, independente e livre, imbuído de um certeiro instinto de justiça. Na extraordinária elegia que é “A Lagoa dos Bons Sonhos”, o fim próximo da I Guerra Mundial é pretexto para uma meditação melancólica sobre os sonhos de glória.»

 

Richard Zimler regressa a 20 de setembro com «Os dez espelhos de Benjamin Zarco»

pe-zarcoOs dez espelhos de Benjamin Zarco é o novo romance de Richard Zimler, escritor norte-americano radicado em Portugal. O livro, nas livrarias a 20 de setembro, numa edição Porto Editora, marca o regresso à família Zarco, presença constante, em várias épocas da História, nos romances de Zimler.
Desta vez acompanhamos dois primos, Benjamin e Shelly, sobreviventes do Holocausto, relatando-nos as suas vidas desde o gueto de Varsóvia até aos dias de hoje. A obra será apresentada pela historiadora Irene Flunser Pimentel, a 12 de outubro, na Casa das Artes, no Porto, e a 16 de outubro, no El Corte Inglés de Lisboa.

Sinopse: «Benjamin Zarco e o seu primo Shelly foram os únicos membros da família a escapar ao Holocausto. Cada um à sua maneira, ambos carregam o fardo de ter sobrevivido a todos os outros. Benjamin recusa-se a falar do passado, procurando as respostas na cabala, que estuda com avidez, em busca daquilo a que chama os fios invisíveis que tudo ligam. E Shelly refugia-se numa hipersexualidade, seu único subterfúgio para calar os fantasmas que o atormentam.
Construído como um mosaico e dividido em seis peças, Os dez espelhos de Benjamin Zarco entretecem-se entre 1944, com a história de Ewa Armbruster, professora de piano cristã que arrisca a vida para esconder Benni em sua casa, e 2018, com o testemunho do filho de Benjamin acerca do manuscrito de Berequias Zarco, herança do pai, talvez a chave para compreender a razão por que Benjamin e Shelly se salvaram e o vínculo único que os une.
Um romance profundamente comovente e redentor, com personagens inesquecíveis. Uma ode à solidariedade, ao heroísmo e ao tipo de amor capaz de ultrapassar todas as barreiras, temporais e geográficas.»

«Medo – Trump na Casa Branca» chega a Portugal em Novembro

MedoNos Estados Unidos, já chegou às livrarias, mas por cá também não falta muito. Medo – Trump na Casa Branca, livro do consagrado jornalista norte-americano Bob Woodward (para quem não sabe um dos responsáveis pela investigação jornalística ao caso Watergate), será editado na primeira quinzena de novembro pela Dom Quixote.

Sobre o livro:
«Tendo acompanhado e investigado a fundo oito presidências, de Nixon a Barack Obama, Bob Woodward revela em primeira mão, num relato sem precedentes e com detalhes nunca antes contados, a vida brutal dentro da Casa Branca de Donald Trump, e como ele decide sobre as grandes questões da atualidade política nacional e internacional.
Woodward baseia-se em centenas de horas de entrevistas com fontes de informação em primeira-mão, e também em notas de reuniões, diários pessoais, ficheiros e documentos oficiais. Medo conta ainda os debates explosivos e as tomadas de decisão na Sala Oval, na Situation Room, no Air Force One e na residência oficial da Casa Branca e é o retrato mais íntimo de um presidente norte-americano em funções alguma vez publicado durante os seus primeiros anos no cargo.»

«Comer/Beber», de Filipe Melo, consagrado como melhor álbum nos Galardões de BD da Comic Con

Comer.jpgO português Filipe Melo, graças ao álbum Comer/Beber (feito em parceria com o argentino Juan Cavia), foi o grande vencedor da edição deste ano dos Galardões de BD, integrada na Comic Con Portugal, em Oeiras.
Filipe Melo e Juan Cavia ganharam o prémio de melhor álbum, com o português a levar ainda o galardão de melhor argumento pelo mesmo álbum.  A boa notícia é que o próprio Melo garantiu na cerimónia de entrega do prémio, que decorreu no passado dia 8 de setembro em plena Comic Con, que os dois mil euros conquistados seriam aplicados no seu próximo álbum.

Eis a lista de vencedores:
Galardão Anual BD Comic Con (para o melhor álbum)
Comer/Beber, de Filipe Melo e Juan Cavia (Tinta da China)
Galardão Melhor Argumento
Filipe Melo, em Comer/Beber (Tinta da China)
Galardão Melhor Desenho
Manuel Morgado, em Dragomante (G-Floy/ComicHeart)
Galardão Melhor Curta
Monte Morte, de André Oliveira e Jorge Coelho (da antologia Silêncio, da Comic Heart/G-Floy)
Galardão Melhor BD de Autor Estrangeiro
Afirma Pereira, de Pierre-Henry Gomont, baseado na obra de Antonio Tabucchi (G-Floy)

Porto Editora lança «Três Coroas Negras», de Kendare Blake, na Comic Con Portugal

Três Coroas NegrasTrês Coroas Negras, da sul-coreana Kendare Blake, marca o início de uma nova série literária que chega a Portugal a 6 de setembro, numa edição Porto Editora. O primeiro volume desta tetralogia de fantasia será apresentado na Comic Con Portugal (Passeio Marítimo de Algés) no próximo dia 9, às 12h45, num painel moderado pela radialista Ana Galvão, onde Kendare Blake participa através de um vídeo. Será discutida a literatura fantástica no feminino, o universo criado para esta obra de fantasia e a influência de outras autoras e livros nesta saga épica.
Na ocasião será lançada uma edição exclusiva de Três Coroas Negras, um livro autografado com uma capa especial e três capítulos extra.

Sinopse
«A CADA GERAÇÃO, NA OBSCURA ILHA DE FENNBIRN, NASCEM TRÊS IRMÃS GÉMEAS.
Três rainhas herdeiras de um só trono, cada uma possuindo um poder mágico muito cobiçado. Mirabella é capaz de inflamar o incêndio mais violento ou a tempestade mais terrível. Katharine consegue ingerir um veneno mortal sem sentir os seus efeitos. De Arsinoe diz-se capaz de fazer florir a rosa mais vermelha e controlar o leão mais feroz.
Mas para uma delas ser coroada rainha, não basta ter a linhagem certa. As trigémeas terão de conquistar o seu direito à coroa, lutando por ele… até à morte.
Na noite em que as irmãs completam 16 anos, a batalha começa. E a rainha que sobreviver, conquistará a coroa!»

Saída de Emergência traz à Comic Con 2018 Steven Erikson, Marjorie Liu e Sana Takeda

A Saída de Emergência volta a apostar forte na Comic Con e para a edição deste ano traz a Portugal , mais precisamente ao Passeio Marítimo de Algés, duas autoras e um autor que vão marcar presença no evento que decorre de 6 a 9 de setembro: Marjorie Liu (em cima, à direita) e Sana Takeda (em baixo, à direita), criadoras da série Monstress, e Steven Erikson (à esquerda), escritor do género fantástico que criou a série Império Malazano.
No sábado (dia 8) vai haver um painel das 12h45 às 13h30 com as autoras de Monstress no Auditório BD e Literatura, a que se seguirá às 14h30 uma sessão de autógrafos no Stand Saída de Emergência.
Já no dia anterior, às 16h30, Steven Erikson estará a dar autógrafos no Stand SDE, voltando no dia 8, às 15h00, mas desta feita no espaço oficial da Comic Con. Às 16h30, e com a duração de 45 minutos, começa o painel com Erikson, no Auditório BD e Literatura. Às 17h30, nova sessão de autógrafos, agora no Stand SDE.  Steven Erikson volta aos autógrafos no domingo, dia 9, no espaço oficial da Comic Con.