Despertar – Stephen King

despertarDespertar, obra de Stephen King de 2014 e editada em Portugal pela Bertrand, nomeadamente em formato de bolso, é mais uma prova, entre muitas, do estilo cativante e genial do autor, a quem talvez por vezes não se dê o merecido crédito devido ao ritmo alucinante a que escreve e publica.
Em Despertar, cujo título original é Revival, o cenário, pelo menos no início, é, como é norma em Stephen King, uma cidadezinha americana, no caso em Nova Inglaterra. A história arranca no início dos anos 1960 (mais precisamente 1962), altura em que «assistimos» ao encontro entre o pastor metodista Charles Jacobs e o então rapazinho de seis anos Jamie Morton, o narrador, que desde logo nutre um fascínio por aquele jovem religioso, chegado à cidade na companhia da sua mulher e do filho. Entre os dois forma-se um laço especial que vem a ser cortado ao fim de algum tempo quando se abate uma tragédia familiar sobre a vida do pastor, que põe então em causa a sua fé religiosa, acabando banido da cidade. Uma cidade, note-se, que conquistara graças ao seu entusiasmo e vigor, mas que depois não demora a pôr-se contra ele, quando este começa a duvidar da fé. O pastor, nomeadamente, passa a acreditar mais no poder da eletricidade, uma paixão e obsessão suas, do que no de Deus.
Charles e Jamie acabam por afastar-se e só muito anos mais tarde é que este último, depois de uma espiral de decadência que o levou ao consumo de drogas, volta a cruzar-se com o antigo pastor. Jamie, que sempre adorou guitarra, tornara-se músico, saltando de banda para banda, com dificuldade em assentar. Já nos anos 1990 voltam então a encontrar-se, Jamie viciado em droga, Charles uma espécie de charlatão ambulante com atuações em feiras onde ilude o público com truques assentes nos poderes da eletricidade.
Charles acaba por salvar Jamie do vício da droga e este entretanto começa a trabalhar para ele. Mas se Charles Jacobs deixou de parte a religião, o mesmo não fez em relação à eletricidade e às experiências. No entanto, Jamie repara que o seu velho amigo está obcecado e com uns laivos de loucura, e a dada altura tenta travá-lo.
É aqui que começa a parte do terror propriamente dita, pois o objetivo máximo do antigo pastor passa por alcançar um feito macabro através dos seu conhecimentos de eletricidade, algo relacionado com a família que perdeu no início desta história e que o marcou e transformou para sempre.
O sobrenatural é bom de ver marca presença em Despertar, que praticamente pode ser considerado um livro de terror, em especial pelo seu final, mas as habituais descrições do quotidiano americano constituem também um dos pontos fortes. Tudo bem misturado, como é norma, por Stephen King, que nos transporta para cenários aprazíveis onde depois ocorrem acontecimentos estranhos e assustadores.

Novo romance de Rodrigo Guedes de Carvalho disponível em audiolivro e ebook

Margarida EspantadaMargarida Espantada é o título do novo romance do escritor e jornalista Rodrigo Guedes de Carvalho que, devido a crise que se vive gerada pelo novo corona vírus, terá por agora uma edição apenas em formato digital, audiolivro e ebook. A edição em papel ficará para mais tarde, mas assim os mais apressados, e talvez com mais tempo disponível, podem desde já “deitar as mãos” ao livro, numa edição Dom Quixote. Note-se que a versão em audiolivro é lida pelo próprio autor.
Tanto o audiolivro como o ebook  estarão disponíveis na Kobo (https://www.kobo.com/pt/pt), a partir de 31 de março, o primeiro com um custo de 11,99 euros e o segundo com o preço a 9,99 euros. Na semana seguinte, o ebook ficará também disponível noutras plataformas, como LeYaOnline, WOOK, itunes, Google Play, etc.
Rodrigo Guedes de Carvalho, autor de obras como O Pianista de Hotel e Jogos de Raiva, descreve assim o seu novo livro: “Margarida Espantada é sobre família. Sobre irmãos. É sobre violência doméstica e doença mental. É um efeito dominó sobre a dor. A literatura é um jogo do avesso. Os bons romances são sempre sobre amor, e os melhores são os que fingem que não são. Não devemos recear livros duros. As histórias que mais nos prendem trazem uma catarse que nos carrega as mágoas, personagens que apresentam as suas semelhanças connosco. Gosto da ficção que é número arriscado de circo, com fogo e espadas, que nos faz chegar muito perto da queimadura que não vamos realmente sentir. Mas reconhecemos.”

DeusA Fórmula de Deus,
de José Rodrigues dos Santos,
à borla em versão digital
Outro jornalista de televisão com obra literária de vulto é José Rodrigues dos Santos. Não tem um novo romance para apresentar aos leitores, mas em parceria com a sua editora (Gradiva) disponibiliza gratuitamente em versão eletrónica um dos seus grandes sucessos editoriais, A Fórmula de Deus. A verificar aqui.

Tom Hanks num papel diferente

IMG_3278Este é um daqueles livros que vale por si e não por ter sido escrito por quem foi, Tom Hanks, conceituado e galardoado ator de cinema. Mas o facto de Tom Hanks ser quem é, um homem inteligente, culto e sagaz, além de bom ator, permitiu que o resultado final fosse bastante interessante. Tanto melhor para mim, que traduzi o livro.
O título não engana em nada, Papéis Diferentes – Algumas Histórias (editado pela In, chancela da Zero a Oito), é efetivamente uma coleção de contos, e tal como em praticamente todas as coleções de contos há histórias melhores do que outras, mas em geral todo este livro está muito equilibrado. Também a capa não engana. Uma máquina de escrever. Este objeto antiquado é uma presença constante ao longo do livro, e da vida do próprio ator, já que é colecionador do objeto. Bom será de ver por este exemplo da máquina de escrever que as histórias têm o seu quê de nostálgico, de outros tempos, e sem dúvida que se nota aqui uma influência cinematográfica. Aliás, não seria difícil imaginar o próprio Tom Hanks a interpretar algumas das personagens presentes nestas dezassete histórias.
A panóplia de temas é muito variada, desde uma delirante história de quatro amigos que constroem um foguetão caseiro para irem à Lua a um conto de um jovem surfista que faz umas descobertas inesperadas sobre a vida do pai, passando por contos de Natal envolvendo veteranos de guerra, onde nos lembramos inevitavelmente de O Resgate do Soldado Ryan. Tudo muito cinematográfico, é bom de ver.
Papéis Diferentes, histórias diferentes, numa variedade saudável para quem não pretende dedicar-se a um único tema por mais de umas dezenas de páginas. Humor e nostalgia definem bem este livro, mas não é por isso que lhe falta seriedade e profundidade.

O presidente escritor

O Presidente Desapareceu_capaO escritor norte-americano James Patterson é um recordista de vendas a nível mundial e sem dúvida um dos autores mais prolíficos do panorama literário. Escreve tanto para crianças como para adultos, apostando neste último caso em thrillers e policiais trepidantes, com um ritmo vertiginoso potenciado pelo seu estilo de escrita que aposta em capítulos curtos e “grossos”, ou seja, sem grandes rodeios, na senda do que entende ser a melhor forma de cativar leitores. Tendo em conta que ao longo da sua carreira já vendeu mais de 375 milhões de exemplares dos seus vários livros editados, é impossível não reconhecer que é uma aposta acertada.
É frequente Patterson associar-se a outros autores ou personalidades para escrever a duas mãos e num dos casos mais recentes deste método juntou-se a um grande vulto, Bill Clinton, antigo presidente dos Estados Unidos. Assim nasceu O Presidente Desapareceu, editado entre nós pela Porto Editora.
A “mão” de Clinton, naturalmente, serviu para moldar um thriller político que, espanto dos espantos, inclui um presidente americano e a Casa Branca. Nota-se neste O Presidente Desapareceu um conhecimento profundo da dinâmica e do funcionamento intrínseco da Casa Branca, uma mais-valia trazida para o romance por Clinton que leva a que esta obra de Patterson tenha capítulos ligeiramente mais longos e elaborados do que é norma no autor. Não se assustem os indefetíveis do estilo James Patterson, pois não é isso que o desvia do seu habitual ritmo trepidante.
Nota-se tal conhecimento tanto no funcionamento quotidiano da Casa Branca como no relacionamento com líderes e altos funcionários estrangeiros chamados à liça nesta história onde, sem espanto, a ameaça é global, reivindicando uma ação concertada no plano internacional, com a habitual apologia de que unidos seremos mais fortes. Pelo bem supremo, apartam-se, nem que seja temporariamente, as diferenças e divergências entre cada um, aproveitando-se, isso sim, as potencialidades de cada nação.
A dita ameaça, para ser mais específico, é um ciber ataque destinado a gerar uma crise financeira nos Estados Unidos de proporções gigantescas.
O Presidente Desapareceu é assim uma boa opção de entretenimento, com a promessa de ação e reviravoltas e uns pozinhos de intriga internacional.

Mulheres Perigosas em dose dupla

mulheresDesta vez deixo-vos aqui uma sugestão de leitura dupla, que na verdade até pode não o ser, porque na realidade trata-se dos dois volumes que compõem no original uma única obra, no caso Dangerous Women, coletânea de contos organizada por George R. R. Martin (quem não conhece?) e Gardner Dozois, quinze vezes galardoado com o prémio Hugo para melhor editor.
Em Portugal, esta obra saiu dividida em dois volumes – Mulheres Perigosas e Nada Enfurece Mais Uma Mulher –, numa edição Saída de Emergência, de forma a poder viabilizar economicamente a sua produção. De qualquer forma, se optar por comprar agora estas duas obras em conjunto no site da própria editora irá perceber que recebe de oferta um terceiro livro, desde que valor inferior e inserido na campanha 2=3, e com portes grátis.  Verifique aqui.
Mas, o que pode encontrar o leitor nas páginas destas obras, ambas traduzidas por mim, já agora? Contos de escritores consagrados como Joe Abercrombie, Lev Grossman, Megan Abbott ou, evidentemente, George R. R. Martin (no caso de Mulheres Perigosas) e, entre outros, Diana Gabaldon, que recupera aqui a saga Outlander, e Sherrlyn Kenyon (em Nada Enfurece Mais Uma Mulher), sempre com mulheres de garra como protagonistas, umas do lado certo, outras do errado, tantas no limbo.
Entre autores conhecidos e desconhecidos, estes volumes permitem uma constante descoberta de aventuras em estilos e ambientes diferentes e a sua diversidade, aliada à qualidade de escrita, são a sua grande arma para conquistar o leitor.
Desde romance de ambiente histórico à ficção científica e à fantasia, passando pelas tradições nativas americanas, há de tudo um pouco, possibilitando uma enormidade de viagens no tempo e no espaço sem sair de casa.

Dose quádrupla de super-heróis

MMDeixo aqui uma sugestão quádrupla teoricamente para os mais jovens, mas que na verdade pode ser aproveitada por todos, nomeadamente para aqueles que apreciam de histórias de super-heróis. Refiro-me à coleção DC Icons, em boa hora editada em Portugal pela Editora 20/20 através da chancela Topseller. Uma outra parte boa foi o facto de eu ter traduzido os quatro volumes.
São eles Mulher-Maravilha: Dama de Guerra, de Leigh Bardugo, Batman: Vigilante Noturno, de Marie Lu, Catwoman: Almas Roubadas, de Sarah J. Maas, e Super-Homem: O Fim da Aurora, de Matt de la Peña.
Trata-se de uma coleção de quatro romances dedicados aos anos de juventude de conhecidos super-heróis: Mulher-Maravilha, Batman, Catwoman e Super-Homem. São quatro histórias independentes entre si, escritas aliás por quatro autores diferentes, que retratam (numa nova versão) as épocas em que estes famosos heróis começam a ter noção dos seus poderes e a influência que isso tem nas suas vidas normais de jovens, enquanto, naturalmente, se envolvem em aventuras que vão obrigá-los a ter de usar os seus poderes em prol do bem.
Todas as histórias decorrem na atualidade, permitindo ao leitor uma maior identificação com o nosso dia a dia, oferecendo assim uma perspetiva diferente do início da “carreira” destes conhecidos super-heróis.
Uma boa notícia para o final: Quem comprar o quarto volume da série, o do Super-Homem, recebe como oferta o primeiro, da Mulher-Maravilha.

 SINOPSES

Mulher-Maravilha: Dama de Guerra

Todas as lendas têm um início. Diana tornar-se-á uma lenda, mas primeiro deverá enfrentar uma jornada (i)mortal!

DIANA: FILHA DE IMORTAIS

Da ilha das imortais Amazonas, a princesa Diana apenas pode observar o Mundo dos Homens, sem interferir. Mas no momento em que assiste a um naufrágio, e a vida de uma rapariga corre perigo, o instinto da princesa fala mais alto. Ao socorrer e trazer uma mortal para a ilha, viola uma das regras sagradas e arrisca-se a ser exilada. Pior ainda, esta não é uma rapariga qualquer e, ao salvá-la, Diana pode ter condenado o mundo.

ALIA: FILHA DA MORTE

Depois de o barco explodir, Alia Keralis luta pela vida. Não sabe que a tentam matar. Não sabe quem é aquela jovem misteriosa e incrivelmente forte que aparece em seu auxílio. E não sabe que ela própria é uma Dama da Guerra, descendente direta de Helena de Troia, uma linhagem condenada a trazer a guerra ao mundo.

IRMÃS DE ARMAS

Enquanto todos procuram assassinar Alia, a Dama da Guerra, para evitar que o mundo tenha um fim trágico, a princesa Diana sabe que há outra solução. Mas para isso terá de abandonar a sua ilha, entrar no Mundo dos Homens e enfrentar perigos inimagináveis. Uma verdadeira demanda que exigirá a confiança e a coragem de ambas para, como irmãs, enfrentarem as forças da guerra.

 

Batman: Vigilante Noturno

batmanAntes de ser Batman, ele era Bruce Wayne: um rapaz impetuoso e disposto a tudo por uma rapariga que pode ser o seu pior inimigo.

Os noturnos aterrorizam Gotham City

Alguns milionários da cidade foram assassinados dentro das suas mansões, e as suas fortunas simplesmente desapareceram. Os responsáveis formam uma organização muito bem preparada que diz lutar contra a injustiça e a corrupção dos poderosos. Deles só se conhece o nome, Noturnos.

Bruce Wayne é o próximo da lista

Enquanto isso, Bruce está prestes a fazer dezoito anos e a herdar a fortuna da família, bem como as chaves das Indústrias Wayne e todos os seus fantásticos dispositivos tecnológicos. Mas, na noite do seu aniversário, um ato impulsivo condena-o a prestar serviço comunitário no Asilo Arkham, a infame prisão onde se encontram os piores criminosos da cidade.

Madeleine, uma assassina letal

O prisioneiro mais interessante de Arkham é Madeleine, uma rapariga brilhante com ligações aos Noturnos. Para chegar até eles e evitar ser o próximo alvo, Bruce tem de convencê-la a falar. Mas será que Madeleine confia mesmo em Bruce? Estará ela a divulgar os seus segredos ou a recolher dele a informação de que precisa para destruir Gotham City?

 

Catwoman: Almas Roubadas

CWNascida na pobreza, forjada na luta, a mulher mais felina de Gotham City vai enfrentar desafios desconhecidos: a amizade e o amor.

Selina Kyle é uma ladra
Dois anos depois de escapar dos bairros pobres de Gotham City, Selina Kyle regressa como a misteriosa e abastada Holly Vanderhees. Com Batman ocupado numa missão longe da cidade, ela percebe que esta é a oportunidade perfeita para tomar Gotham City.

Luke Fox é um herói
Luke quer provar o seu valor como Batwing, mostrar que tem o que é preciso para ajudar as pessoas. O seu foco é uma nova ladra que se juntou a Poison Ivy e a Harley Quinn. Um trio que tem instalado o pânico na cidade. E esta Catwoman é inteligente, o que pode ser a sua ruína.

Nem toda a gente é o que parece
Selina vive um perigoso jogo do gato e do rato. De noite, diverte-se com o Batwing; de dia, brinca com Luke Fox, o seu vizinho perigosamente bonito. Mas uma ameaça do passado vai deixá-la de pelo eriçado e atrapalhar o seu maior assalto… o assalto ao seu coração.

 

Super-Homem: O Fim da Aurora

fimauroraSHPoderes mais fortes do que nunca

Clark Kent está habituado a esconder os seus poderes. Ele sempre foi o mais rápido, o mais forte… o melhor. Mas chamar a atenção para si é proibido. Até que Smallville fica em risco e ele tem de entrar em ação.

O preço do poder

Com cada vez mais dificuldade em esconder os seus poderes, Clark segue o som de um choro, que o leva até Gloria Alvarez e à estranha notícia: andam a desaparecer pessoas. Clark Kent e Lana Lang estão determinados a resolver este mistério. Mas… a que preço?

Quando a aurora cai, há um herói que nasce

Na busca pela verdade, Clark Kent é obrigado a encarar os factos sobre o seu passado. Estará preparado para o que vai descobrir? Até onde está disposto a ir? E que pesadelo pairará sobre a sua cidade?

Os poderes de Clark Kent estão muito além do que se consegue imaginar. Ele está pronto para salvar o mundo, mas, antes, tem de salvar Smallville.

Tintin apela ao açambarcamento de livros

IMG_3137

Se é para açambarcar alguma coisa, sigam o conselho do Tintin: açambarquem livros. Antes de mais, o prazo de validade é enorme, pode estender-se até séculos. Mas, mais do que isso, o conteúdo alimenta-nos na hora e fica para sempre dentro de nós. Querem melhor? Romance, documento, BD, o que seja, não falta escolha. Apostem nas compras online de livros. Todos ganhamos!