Depois de «Boneco de Neve», Jo Nesbø apresenta-nos «O Leopardo»

O LeopardoA Dom Quixote lançou por estes dias um novo romance do escritor norueguês Jo Nesbø, O Leopardo, que dá seguimento a Boneco de Neve. Nesbø, recorde-se, é o autor de obras como Caçadores de Cabeças, A Estrela do Diabo e Vingança a Sangue-Frio.

Sinopse: «Perturbado com os acontecimentos que levaram à detenção do Boneco de Neve, o inspector Harry Hole refugia-se em Hong Kong onde as únicas regras a que obedece são as que lhe são impostas na sordidez das salas de ópio. Enquanto isso, em Oslo, num inverno excepcionalmente ameno, a Polícia depara-se com o brutal assassino de duas mulheres. Sem pistas, sem perceber que arma do crime seria capaz de provocar os ferimentos que apresentavam, e com a investigação num impasse, só lhe resta encontrar Harry Hole e convencê-lo a colaborar. Com o pai gravemente doente no hospital, Harry Hole acaba por regressar à Noruega. Não tenciona trabalhar na investigação mas o instinto leva a melhor quando a Polícia encontra uma terceira vítima num parque da cidade, violentamente assassinada. Quando consegue desvendar a ligação entre as vítimas, Harry Hole percebe que está a lidar com um psicopata que, tal como O Boneco de Neve, o vai levar ao limite das suas capacidades.»

«Lugar Caído no Crepúsculo» marca o regresso de João de Melo

Lugar Caído no CrepúsculoLugar Caído no Crepúsculo, novo romance de João de Melo, autor de Gente Feliz com Lágrimas e Divina Miséria, entre outros, foi hoje editado pela Dom Quixote.

Sinopse: «O que nos acontece depois da morte? É esta a pergunta implícita ao longo das páginas deste romance. Um livro que impõe a vida, em protesto contra a tragédia da morte humana, recusando-se a aceitar o silêncio e a escuridão do desconhecido e do sagrado: os mistérios acreditados pela fé de muitos, mas não pela angústia dos que questionam o Além.
Com uma abordagem distinta dos conceitos tradicionais, e numa escrita marcada pelo realismo fantástico, João de Melo humaniza a imagética cristã, conferindo-lhe uma realidade mais próxima do mundo e da vida.
Uma viagem pela vida e pelo Além em que o leitor é guiado por diversos narradores: vozes comprometidas, trágicas, cómicas, que narram a excepção e a realidade do Homem no nosso mundo.»

Terceiro volume da enciclopédia da Idade Média de Umberto Eco versa castelos, mercadores e poetas

idade_media_IIIIdade Média – Castelos, Mercadores e Poetas, terceiro dos quatro volumes que constituem a enciclopédia sobre a Idade Média coordenada pelo italiano Umberto Eco, acaba de ser editado em Portugal pela Dom Quixote. O último volume, Explorações, Comércio e Utopias, chegará às livrarias em 2015.

Sobre o livro: «Contando com a colaboração dos mais importantes medievalistas mundiais, peritos em diversas áreas, a obra – com mais de mil páginas – leva o leitor numa viagem surpreendente através da arte, literatura, música, filosofia, sociedade e ciência deste intenso período da história da civilização europeia.
O terceiro volume, intitulado Castelos, Mercadores e Poetas, analisa o período entre 1200 e 1400: época definida por Baixa Idade Média, na qual um novo impulso expansivo, juntamente com a ideologia das Cruzadas, conduz o Ocidente à conquista do Oriente. A cidade cresce; a arquitectura, a arte e a literatura experimentam uma intensa vontade de renovação e abertura.
A esta época de progresso segue-se um período de guerra e carestia: a Guerra dos Cem Anos, a peste, as revoltas dos camponeses. Mesmo assim, surgem as sementes do Renascimento, que vai atingir toda a sua plenitude na Europa de Quatrocentos.»

Estão de volta os «Domingos de Agosto» e «Um Circo que Passa» do Nobel Patrick Modiano

Domingos de Agosto e Um Circo que Passa, do recentemente galardoado com o Nobel da Literatura Patrick Modiano, regressam às livrarias a 18 de novembro através de uma reedição com novas capas. As obras, edições Dom Quixote, já foram lançadas em Portugal por esta mesma editora, respetivamente, em 1988 e 1994.

Domingos de AgostoDomingos de Agosto: «Em Domingos de Agosto entramos num fascinante labirinto de mistérios. Por que motivo o narrador fugiu das margens do Marne com Sylvia para se esconderem num obscuro quarto de Nice? Qual a origem do diamante Cruz do Sul, que Sylvia arrasta consigo como uma promessa e uma maldição? De que morreu o popular ator Aimos? Quem é Villecourt? Quem são os Neal, esse estranho casal cujo carro ostenta uma matrícula diplomática? E por que estão tão interessados em Sylvia, no narrador e no Cruzeiro do Sul? Ao longo das páginas deste misterioso romance, onde se cruzam todos estes enigmas, nasce uma história de amor que exala um fascínio que irá dominar o leitor por muito tempo.»

Um Circo que PassaUm Circo que Passa«Um Circo que Passa revela bem o estilo de Patrick Modiano, fortemente marcado pela Guerra, pelos anos 40 e pela sua própria infância.
A polícia, os bares duvidosos e as ruas de uma cidade simultaneamente amiga e inimiga – é nesta Paris dos anos 60 que acompanhamos a fuga e as deambulações de um casal à procura do amor. Uma história que tem como narrador Jean, e em que toda a acção gira em torno do seu relacionamento, aos dezassete anos, com a misteriosa Gisèle. Ambos têm muito a esconder um do outro. Partilham, porém, os mesmos sonhos.»

Novidades Editoriais de Março (II)

Os MemoráveisOs Memoráveis – Lídia Jorge (Dom Quixote)
«Em 2004, Ana Maria Machado, repórter portuguesa em Washington, é convidada a fazer um documentário sobre a Revolução de 1974, considerada pelo embaixador americano à época em Lisboa como um raro momento da História. Aceite o trabalho, regressa a Portugal, contrata dois antigos colegas, e os três jovens entrevistam vários intervenientes e testemunhas do golpe de Estado, revisitando os mitos da Revolução de Abril. Um percurso que permite surpreender o efeito da passagem do tempo não só sobre esses heróis, como também sobre a sociedade portuguesa, na sua grandeza e nas suas misérias.
Transfiguradas, como se fossem figuras sobreviventes de um tempo já inalcançável, as personagens de Os Memoráveis tentam recriar o que foi a ilusão revolucionária, a desilusão de muitos dos participantes e o árduo caminho para uma Democracia.»
11 de março

Historia Revolucao_EHistória do Povo na Revolução Portuguesa 1974-75 – Raquel Varela (Bertrand)
«“A luta política assume nas sociedades contemporâneas, em condições de calendário eleitoral estável, essencialmente, a forma da luta entre os partidos. Quando uma revolução se coloca em movimento, no entanto, tudo pode ser subvertido, porque milhões de pessoas inativas ou até desinteressadas despertam para a luta social. Este livro apresenta-nos uma rigorosa investigação sobre a revolução portuguesa que ambiciona dar voz aos que não tiveram voz. Nos livros de história eles são, não poucas vezes, invisíveis. Mas são os rostos comoventes destas grandes massas populares que oferecem sentido àquelas maravilhosas fotografias da revolução portuguesa. Anónimos, os seus retratos nas manifestações dizem-nos tudo o que precisamos de saber sobre a esperança e a frustração, a fúria e o medo, o entusiasmo e a ilusão, e tudo aquilo que oferece grandeza à vida e não cabe em palavras. Foram eles que fizeram a revolução. Nas páginas deste livro bate um coração que tem respeito e admiração por essa gente.”
Valério Arcary, historiador»
14 de março

planoK_Beleza_coisas_frageis_finalA Beleza das Coisas Frágeis – Taiye Selasi (Quetzal)
«Um dia, Kweku Sai, um cirurgião de renome, americano de origem ganesa, abandona a sua família, na América, e regressa ao Gana. É uma família africana da “nova geração” a viver na América. Folásadé Savage (Folá) abandonou a Nigéria e partiu para a Pensilvânia, onde conheceu o seu marido Kweku. O filho mais velho, Olu, segue as pisadas do pai e é um médico brilhante; Kehinde é uma pintora cujos quadros atingem cotações elevadas no mercado de arte; Taiwo, uma aluna brilhante, é uma notável pianista; e Sadie está na lista de espera para entrar em Yale. É esta família que Kweku abandona quando regressa ao Gana, onde morre – à porta de casa, na sua cidade natal, Acra. As notícias da morte de Kweku correm rapidamente mundo fora e acabam por reunir a família. A Beleza das Coisas Frágeis (Ghana Must Go) conta a história destas pessoas – e mostra os caminhos que as reaproximam.
Neste seu belíssimo e eletrizante romance de estreia – o retrato de uma família moderna –, Taiye Selasi desloca-se com elegância através do tempo, mostrando que só a verdade pode curar as feridas escondidas.»

cf-expA Experiência – Ferreira de Castro (Cavalo de Ferro)
«Elogiado pela crítica como romance de grande intensidade psicológica e apontado como um dos textos mais subversivos do autor, A Experiência é uma das obras menos conhecidas e ainda menos lidas de Ferreira de Castro. Um texto surpreendente que aqui conhece, pela primeira vez, a sua edição autónoma, que pretende finalmente trazê-lo à luz e restaurar a sua importância literária.
Januário e Clarinda, personagens inesquecíveis deste romance, conhecem-se ainda crianças no asilo e dali sairão para o mundo. As suas vidas, porém, precocemente destinadas à clandestinidade, só aparentemente seguirão cursos separados, para logo se juntarem de novo na grande cidade, lugar de sonhos desfeitos e de inocência perdida, e depois, como num círculo vicioso, retornarem ao ponto de origem: esse mesmo asilo, outrora denominado «Experimental» por querer ministrar uma educação diferente, e agora tornado prisão.»

ts-suspeitoPrivate: Principal Suspeito – James Patterson (Topseller)
«Uma ex-namorada assassinada. Investigações à margem da lei.
A Private é a agência de investigação mais eficiente do mundo, criada para resolver de forma discreta os problemas dos ricos e poderosos. Jack Morgan, antigo fuzileiro naval e agente da CIA, é o seu dono. Os agentes da Private são os mais inteligentes e rápidos, e dispõem das tecnologias mais avançadas.
Desta vez, é o próprio Jack Morgan que se torna o principal suspeito da morte da sua ex-namorada. Ao mesmo tempo que é vigiado pela polícia, a Máfia obriga-o a recuperar 30 milhões de dólares em material farmacêutico roubado, e a bela presidente de uma cadeia de hotéis pede-lhe que investigue uma série de assassínios ocorridos nas suas propriedades. Numa luta contra o tempo para provar a sua inocência, Jack tem de enfrentar os inimigos mais fortes e inteligentes de sempre.»

Nova Teoria do SebastianismoNova Teoria  do Sebastianismo – Miguel Real (Dom Quixote)
«Nova Teoria do Sebastianismo é um ensaio que reflecte sobre o mito sebastianista como alucinação racionalmente falsa mas sentimentalmente verdadeira e nos dá a conhecer os autores que trataram o tema, desde Bandarra e Padre António Vieira até aos filósofos contemporâneos, passando por Fernando Pessoa, António Quadros, António Sérgio e Eduardo Lourenço.
O presente título insere-se numa colecção na qual foram já publicados dois outros títulos de Miguel Real: Nova Teoria do Mal e Nova Teoria da Felicidade enquanto propostas para uma ética do século XXI.»
18 de março

O Enredo ConjugalO Enredo Conjugal – Jeffrey Eugenides (Dom Quixote)
«Início da década de 1980. Nas universidades americanas, os jovens com preocupações intelectuais discutem literatura, devoram Derrida e Roland Barthes, e ouvem Talking Heads. Mas Madeleine Hanna, aluna aplicada de Estudos Ingleses e romântica incurável, prepara a sua tese sobre Jane Austen e George Eliot – autoras a quem de deve o enredo conjugal que está no cerne dos melhores romances ingleses. Enquanto Madeleine estuda as motivações intemporais do coração humano, a vida real, sob a forma de dois rapazes muito diferentes – o carismático e intenso Leonard Bankhead e um velho amigo com inclinações místicas, Mitchell Grammaticus –, atravessa-se no seu caminho. Mas quando os três terminam os seus cursos universitários e se vêem confrontados com a vida no mundo real, têm de imaginar um desfecho para o seu próprio enredo conjugal.
Com uma subtileza desconcertante e uma enorme compreensão e afeição pelas suas personagens, Jeffrey Eugenides revivifica as energias motivadoras do Romance, ao mesmo tempo que cria uma história tão contemporânea e surpreendente que parece o diário íntimo das nossas próprias vidas.»
18 de março

Capa KakeboKakebo – O livro de contas da poupança doméstica (Vogais)
«Tem um controlo total das suas despesas e receitas? Em que produtos e serviços gasta o seu dinheiro? Sabe valorizar as coisas para além do seu preço? Chega ao final do mês sempre de bolsos vazios?
O Kakebo, livro de contas da poupança doméstica, é a solução inovadora que os japoneses usam todos os dias para gerir as suas economias pessoais e retirar o máximo proveito do dinheiro.
Esta é a ferramenta que o ajudará a controlar a economia do seu lar e da sua família, e gerir o seu consumo de uma forma mais adequada.
No fim do plano simples de 12 meses terá aprendido a poupar e a gastar melhor o seu dinheiro — para obter uma vida melhor! Os objetivos serão definidos por si, e o Kakebo ajuda-o a alcançá-los.
• Registe e controle todas as suas despesas e receitas.
• Analise os seus resultados mês a mês e resuma-os em gráficos anuais.
• Mantenha um registo atualizado de todas as suas contas, sem ter de recorrer a folhas de cálculo complexas e confusas.
• Perceba quais são as suas despesas menos necessárias e mais dispensáveis.
• Saiba claramente quanto, como e em que produtos e serviços pode e deve gastar o seu dinheiro.

O Kakebo é um método perfeito para pessoas com emprego estável, por conta própria ou desempregadas, casados, solteiros, adolescentes ou adultos — a forma mais simples, acessível e eficaz de gerir o seu dinheiro.»

DQ-eclinio_do_ocidenteO Declínio do Ocidente – Niall Ferguson (Dom Quixote)
«Um dos mais importantes e polémicos historiadores britânicos considera que os quatro pilares que provocaram a ascensão do Ocidente estão agora a provocar a sua decadência.»
11 de março

te-o conde negroO Conde Negro – Tom Reiss (Texto Editores)
«A quase desconhecida história do General Alexandre Dumas que inspirou o filho a escrever o clássico O Conde de Monte Cristo. Filho de uma escrava e de um aristocrata francês nasceu no actual Haiti e em França chegou a comandar os exércitos nacionais no auge da Revolução, derrotado apenas pelo implacável Napoleão que não tolerava que o primeiro general negro de um exército ocidental além de inteligente fosse bonito.
Vencedor do Prémio Pulitzer em 2013.»
31 de março

A Minha AutobiografiaA Minha Autobiografia – Alex Ferguson (Casa das Letras)
«Rica em episódios e em opiniões acutilantes, a história apaixonante de Sir Alex Ferguson tem início em Govan, nas docas de Glasgow. Na sua caminhada épica e na carreira de treinador de sucesso europeu sem precedentes, no Aberdeen e nas 27 épocas triunfantes à frente do Manchester United, estiveram sempre espelhadas a sua honestidade e a capacidade de surpreender.
Treinador de qualidades extraordinárias, Sir Alex conta como firme, mas carinhosa e encorajadoramente, lidou com jogadores de topo, de Ryan Giggs a Roy Keane, Eric Cantona e Ruud van Nistelrooy, e conviveu com um crescente número de estrelas mundiais como Ronaldo ou David Beckham, que viam nele uma figura paternal. Por vezes, Fergurson fala de forma provocatória das rivalidades com o Liverpool, Arsenal, Chelsea e, mais tarde, Manchester City, e não foge ao seu subtil sentido de humor na altura de abordar as relações competitivas com Arsène Wenger e José Mourinho.»
11 de março

Nobel em dose dupla com William Faulkner e Herman Hesse

O Lobo das EstepesMosquitosO norte-americano William Faulkner e Herman Hesse, nascido na Alemanha mas com nacionalidade suíça, têm algo em comum, e que partilham com outros grandes escritores, ambos venceram o Nobel da Literatura. O primeiro conquistou-o em 1949 e o segundo três anos antes, em 1946.
A Dom Quixote em boa hora decidiu recuperar obras destes autores e no mês de setembro serão editados Mosquitos, de Faulkner (dia 10), e O Lobo das Estepes, de Hesse (dia 30).

Mosquitos – William Faulkner
«Uma surpresa maliciosamente deliciosa, o segundo romance de Faulkner, originalmente publicado em 1927, apresenta-nos um colorido grupo de passageiros num cruzeiro em Nova Orleães. A viagem torna-se numa verdadeira feira de vaidades, onde escritores e artistas diletantes, indivíduos insignificantes e entediantes parasitas passam o tempo a picar o próximo, sendo retratados por Faulkner tanto como mosquitos quanto como encantadores beija-flores. Uma sátira mordaz e bem-humorada sobre a condição humana que oferece um fascinante vislumbre de Faulkner enquanto jovem artista.

O Lobo das Estepes – Herman Hesse
«Harry Haller é o Lobo das Estepes: selvagem, estranho, tímido e alienado da sociedade. O seu desespero e desejo pela morte atraem-no para um submundo encantado e sombrio.
Através de uma série de encontros obscuros – al­ternadamente românticos, bizarros e selvagens –, o misantropo Haller começa gradualmente a re­descobrir os sonhos perdidos da sua juventude.
Este retrato acelerado de um homem que se sente ele próprio meio-humano, meio-lobo tornou-se a bíblia da contracultura da década de 1960, capturando o humor de uma geração descontente e continua, até hoje, a ser uma his­tória de alienação e redenção humana.»

«A Sombra da Sereia» é o novo romance de Camilla Läckberg editado pela Dom Quixote

A Sombra da SereiaAs Publicações Dom Quixote continuam a editar a obra da sueca Camilla Läckberg e para este verão o thriller escolhido foi A Sombra da Sereia, que, como é habitual, decorrer na pequena povoação de Fjällbacka e tem por protagonista Erica Falk. O livro sai a 8 de julho.

Sinopse: «Um homem desaparece misteriosamente em Fjällbacka e, apesar de todos os esforços de Patrik Hedstrom e dos seus colegas da Polícia, ninguém sabe se está vivo ou morto. Meses mais tarde, é encontrado no gelo com sinais de ter sido assassinado.
O caso complica-se quando Christian Thydell, um amigo da vítima, começa a receber ameaças anónimas. Christian, cujo primeiro romance, A Sereia, acaba de ser publicado com grande sucesso, não aguenta a pressão e mostra as cartas anónimas a Erica Falk, que o tinha ajudado a rever o manuscrito. Erica entrega-as ao marido. Suspeitava há muito da existência de uma sombra ameaçadora na vida de Christian e está preocupada com o que possa vir a acontecer-lhe. Alguém tem um profundo ódio por ele, alguém aparentemente perturbado e instável que não hesitará em concretizar as suas ameaças. Apesar de estar no final de uma gravidez de gémeos, Erica procura encontrar respostas para as suas inquietações e essas respostas remetem para o passado e para uma história terrível.»

«A Última Canção da Noite» é o novo romance de Francisco Camacho

dq-A Última Canção da NoiteA Última Canção da Noite é o título do novo romance de Francisco Camacho, a ser editado a 20 de maio pela Dom Quixote e desde já pode dizer-se que tem uma belíssima capa. Francisco Camacho tinha-se estreado na ficção com Niassa.

Sinopse: «Jack Novak – o conceituado guitarrista dos Bitters que há muito conquistou o respeito das elites e o coração das massas – desaparece misteriosamente durante uma digressão da banda pela Europa de Leste, numa madrugada pródiga em estranhos acontecimentos. O incidente dá, por isso, origem a uma onda de especulações e deixa uma multidão de fãs na expectativa de uma verdade que, todavia, tarda em chegar. Um desses admiradores é o português David Almodôvar, crítico de música desempregado e caído em desgraça, que atravessa uma crise existencial e tem um desafio quase impossível pela frente: descobrir o paradeiro de Vera e dar-lhe a derradeira prova de amor que ela lhe exige. Quando os destinos destes dois homens se cruzam, David vê-se confrontado com as motivações de dois desaparecimentos – o da mulher que ama e o do músico que idolatra – e empreenderá uma viagem que lhe permitirá conhecer um segredo que Jack já desistiu de guardar e, ao mesmo tempo, resolver o tremendo impasse em que se encontra.»

Regresso de Jo Nesbo acontece com «O Redentor»

dq-O RedentorO Redentor é o novo romance que a Dom Quixote vai publicar da autoria de Jo Nesbo e tem chegada prevista às livrarias no dia 29 de abril.

Sinopse: «Oslo. Noite gelada. Quem se deslocou ao centro para as últimas compras de Natal faz uma pausa numa movimentada praça para ouvir o concerto de rua do Exército de Salvação, mas um súbito estrépito cala a música e um homem cai no chão atingido por um tiro à queima-roupa.
O inspector Harry Hole e a sua equipa têm pouco a que se agarrar para iniciar a investigação: não têm qualquer suspeito, não encontram a arma do crime e desconhecem as motivações do criminoso. Mas é quando o assassino percebe que atingiu o homem errado que Harry Hole se começa a deparar com enigmas perturbadores. Depois de um perspicaz trabalho de investigação, a equipa concentra-se num suspeito.
Ferido, sem dinheiro, com seis balas apenas no carregador e sem sítio para dormir numa gelada cidade nórdica, o assassino desespera, mas nada o demove do seu único propósito: eliminar o seu alvo.»

Urbano Tavares Rodrigues regressa em abril com «A Imensa Boca Dessa Angústia e Outras Histórias»

dq-A Imensa Boca Dessa Angústia e Outras HistóriasA Dom Quixote lança a 22 de abril mais uma obra de Urbano Tavares Rodrigues, intitulada A Imensa Boca Dessa Angústia e Outras Histórias.

Sobre o livro: «Em A Imensa Boca dessa Angústia plasma-se a trágica e convulsa crise que abala o mundo em que vivemos.
Na sua prosa inimitável, ora lírica, ora irónica, ora cáustica, Urbano Tavares Rodrigues analisa a situação actual, por vezes com dureza, mas sempre com o humanismo compassivo que caracteriza a sua escrita e com o halo mágico e fantástico dos seus melhores livros de ficção.
Uma obra que ficará seguramente na memória dos seus leitores.»