J. Rentes de Carvalho regressa com «Mentiras & Diamantes»

PrintMentiras & Diamantes, o mais recente romance de J. Rentes de Carvalho, editado pela Quetzal, é apresentado como um thriller «habilmente construído e uma narrativa implacável, violenta e sexy». J. Rentes de Carvalho é autor de obras como La Coca, Os Lindos Braços da Júlia da Farmácia e Mazagran.

Sinopse: «Jorge Ferreira, “o conde”, recebe na sua quinta algarvia uma jovem e bela inquilina inglesa, que pretende escrever um livro. O anfitrião é um homem educado, atraente e rico, mas em extremo reservado – não se lhe conhecem amigos, amantes ou relações familiares –, que partilha a grande casa senhorial com duas amas e uma governanta. O seu passado esconde um trauma que o acompanha até hoje e que ele pretende eliminar da memória. Pelo contrário, Sarah Langton, filha de um milionário italiano, é impulsiva e aventureira, “viciada em liberdade” – o que não consegue conciliar com a reclusão e a disciplina que a escrita exige. Tudo parece concorrer para que estas duas personagens se aproximem lentamente e que comecem a processar o que as atormenta (a Jorge, os episódios do passado; a Sarah, extrema dificuldade em escrever alguma coisa pertinente para o seu livro misterioso). Mas a súbita visita de “Biafra” – “vistoso fato de linho branco, cravo na botoeira, panamá na mão” –, que vem para tentar uma pequena chantagem, dá lugar a uma cascata de revelações, desenlaces, homicídios, suicídios e desaparecimentos entre a Nigéria, Marrocos, Algarve, Londres e Amsterdão, tendo como pano de fundo o tráfico de diamantes e um país corrupto e corrompido, entregue aos seus segredos de família.»

Planeta apresenta Simon Tolkien com «O Rei dos Diamantes»

O Rei dos Diamantes, de Simon Tolkien (sim, é da família «do» Tolkien, é neto dele), é uma das novidades de Outubro da Planeta. Trata-se de um policial mas, segundo a editora, também é «a história de como as pessoas podem ser corrompidas e escravizadas por jóias quando estas são o passaporte da liberdade». O livro é baseado em factos verídicos e concentra-se no destino dos judeus belgas, retratando a venda de seres humanos durante o nazismo.

Sobre o livro: «Antuérpia é famosa por ser o centro do comércio mundial de diamantes. Estes mesmos diamantes que permitiram aos judeus fugir para a Suíça, acabaram por traí-los aos nazis. Tornaram-se assim os diamantes de sangue da Segunda Guerra Mundial.
Um policial sofisticado que vai além da intriga na resolução de um assassínio, e com um suspense que vai crescendo à medida que a intriga se adensa, em que o leitor vai decifrando mistérios e deparar-se com segredos obscuros do passado.
Neste romance, a acção não se limita apenas aos assassínios, o suspense vai crescendo à medida que a intriga se adensa e a sequência narrativa consegue tirar o fôlego ao leitor.»