Daniel Silva e Gabriel Allon regressam para salvar «A Rapariga Inglesa»

PrintA Rapariga Inglesa é o novo romance do norte-americano Daniel Silva, que mais uma vez apresenta uma história com o seu protagonista de eleição, o espião e restaurador de arte Gabriel Allon. O livro, uma edição Bertrand, sai a 2 de maio.

Sinopse: «Madeline Hart é uma estrela ascendente no partido britânico no poder: bonita, inteligente, motivada para o sucesso por uma infância pobre. Mas Madeleine tem também um segredo sombrio: é amante do primeiro-ministro, Jonathan Lancaster. Os seus raptores descobriram o romance e decidiram que Lancaster deve pagar pelos seus pecados. Receoso de um escândalo que lhe destrua a carreira, ele decide lidar com o caso em privado, sem o envolvimento da polícia britânica. Trata-se de uma decisão arriscada, não só para si próprio, como para o agente que conduzirá as buscas.
Entra em cena Gabriel Allon — assassino implacável, restaurador de arte e espião —, para quem as missões perigosas e a intriga política não são novidade. Com o relógio a contar, Gabriel tenta desesperadamente trazer Madeleine de volta a casa em segurança. A sua missão leva-o do mundo criminoso de Marselha a um vale isolado nas montanhas da Provença, depois aos bastidores do poder londrino e, finalmente, a um clímax em Moscovo, uma cidade de espiões e violência, onde há uma longa lista de homens que desejam ver Gabriel morto.
Desde as páginas de abertura até ao chocante final, em que se revelam os verdadeiros motivos por detrás do desaparecimento de Madeleine, A Rapariga Inglesa irá deixar os leitores completamente mergulhados na história.»

Em outubro não podia faltar Daniel Silva, desta feita com «O Anjo Caído»

CapaA 4 de outubro a Bertrand dá seguimento à publicação das obras do norte-americano Daniel Silva com O Anjo Caído, thriller que, mais uma vez, tem por protagonista Gabriel Allon, figura de vulto dos serviços secretos israelitas cujo maior desejo é ter descanso para se dedicar à sua paixão, o restauro de obras de arte. Felizmente que Daniel Silva não lhe dá tréguas e todos os anos o arranca da «reforma» para nos fazer vibrar com as suas aventuras. Desta vez tudo começa com um crime no Vaticano…
Daniel Silva, que já foi jornalista, é o autor de obras como A-Marcha, O-Desertor, O Confessor, As-Regras-de-Moscovo e O-Artista-da-Morte, entre outras.

Sinopse: «Depois de ter sobrevivido por um triz à sua mais recente missão, Gabriel Allon, o herói dos serviços secretos israelitas, refugiou-se por detrás dos muros do Vaticano, onde se encontra a restaurar uma das obras-primas de Caravaggio. Mas certa manhã, bem cedo, é chamado à Basílica de São Pedro por monsenhor Luigi Donati, o influente secretário privado de Sua Santidade o Papa Paulo VII. Foi encontrado o cadáver de uma bela mulher debaixo da magnífica abóbada de Miguel Ângelo. A polícia do Vaticano suspeita de suicídio, mas Gabriel não concorda. E, segundo parece, o mesmo se passa com Donati, que receia que uma investigação pública possa vir provocar no seio da Igreja e, por isso, chama Gabriel para que ele descubra discretamente a verdade. Com uma advertência: “Regra número um no Vaticano”, diz Donati. “Não faça demasiadas perguntas.”
Gabriel descobre que a mulher morta desvendara um segredo perigoso, que ameaça uma organização criminosa que anda a pilhar tesouros da Antiguidade e a vendê-los a quem oferecer mais dinheiro. Mas não se trata apenas de ganância. Um agente misterioso planeia uma sabotagem que irá mergulhar o mundo num conflito de proporções apocalípticas…»