Novidades

asa-willWill e Will – John Green e David Levithan (ASA)
«Evanston não fica muito longe de Naperville nos subúrbios de Chicago, mas os jovens Will Grayson e Will Grayson bem que podiam viver em planetas diferentes. Quando o destino os leva à mesma encruzilhada, os Will Graysons veem as suas vidas a sobreporem-se e a seguirem novas e inesperadas direções. Com um empurrão de amigos novos e velhos – incluindo o enorme e enormemente fabuloso Tiny Cooper, jogador ofensivo na equipa de futebol americano da escola e autor de musicais – Will e Will embarcam nas suas respetivas aventuras românticas e na produção épica do musical mais extraordinário da história.»

pe-exercitoO Exército Furioso – Fred Vargas (Porto Editora)
«Uma lenda medieval ensombra a pequena cidade de Ordebec, na região francesa da Normandia: uma horda de cavaleiros mortos, descarnados, sem braços nem pernas, o Exército Furioso, erra à noite por um trilho na floresta, espalhando o terror entre os habitantes. Segundo reza a lenda, o exército de mortos-vivos vem anunciar a morte aos pecadores e, regra geral, os eleitos são os habitantes mais odiados: os assassinos e os ladrões.
Quando o estranho exército, fazendo jus à sua fama, colhe mais uma vítima, o comissário Adamsberg, a pedido de uma estranha mulher, vem de Paris e, juntamente com a sua equipa, os tenentes Danglard, Retancourt e Veyrenc, terá de investigar a crença nessa horda sinistra, desafiar superstições ancestrais e descobrir onde termina a lenda e onde começam os planos macabros de assassinatos em série.»

sde-pessoaFernando Pessoa – Sónia Louro (Saída de Emergência)
«O primeiro romance biográfico de Fernando Pessoa.
Este é o romance biográfico de Fernando Pessoa, o poeta que foi muitos poetas. Órfão de pai aos cinco anos de idade, cedo perde a atenção da mãe quando esta volta a casar. Forçado a partir para a distante África do Sul, onde o nascimento de irmãos o isolam ainda mais, refugia-se em si mesmo e aí cria novos mundos.
No fim da adolescência regressa a Lisboa, na vã tentativa de resgatar os poucos momentos da vida em que fora feliz. Aí conhece personalidades do mundo das artes e da literatura, como Almada Negreiros, Mário de Sá-Carneiro ou Adolfo Casais Monteiro. É um dos fundadores da Orpheu, uma revista artística que foi recebida com escândalo pela crítica.
Correspondente comercial, inventor, tradutor, editor, publicitário e astrólogo, Fernando Pessoa procurou várias formas de ganhar a vida. E até o amor lhe bateu à porta quando conheceu Ophélia Queiroz.
Fernando Pessoa, O Romance é uma obra magnífica, fruto de uma pesquisa meticulosa, e uma verdadeira homenagem ao maior poeta da língua portuguesa. Um poeta que Sónia Louro consegue dissecar, desvendando os seus segredos, medos, sonhos e, mais importante, a sua humanidade.»

O Rei Belarmino não é tenor (1)O Rei Belarmino Não É Tenor – Carlos Nuno Granja (texto) e Sebastião Peixoto (ilustrações) (Opera Omnia)
«O Rei Belarmino é um rei com um ar bastante simpático e o seu povo adora-o. É muito generoso e amigo do seu amigo! Adora dançar e cantar, mas isso cria um certo embaraço a quem o vê e ouve!
E é sobre este problema do rei Belarmino que esta história gira! Como conseguir proteger o reino das cantorias do Rei Belarmino? Essa solução vai ser procurada pela Rainha e pelas suas filhas, as princesas Felismina, Cupertina, Isolina, Cistina e Belarmina.
A quem fornecer a solução dá-se banquete, quarto real e princesa para casar.
À procura de solução aparecerá um feiticeiro, um escocês caçador de notas musicais desafinadas e até um jogral.
Esta história divertida de Carlos Nuno Granja é enriquecida com as magníficas ilustrações de Sebastião Peixoto.»

pe-simaoO Cotão Simão – Ana Rita Faustino (texto) e Aurélie de Sousa (ilustrações) (Porto Editora)
«Naquele dia, cinzento e ventoso, Jaime chegou à sua nova casa. Ficava numa terra bem diferente da sua e numa rua que lhe parecia não acabar mais. Tudo o que conhecia havia ficado para trás – a sua grande cidade, o seu prédio, a sua escola – e tudo o que descobria agora lhe parecia cinzento como o próprio dia.
Mas, o pior de tudo, aquilo que o preocupava verdadeiramente era que também os seus amigos tinham ficado para trás. E ele bem sabia que não se fazem amigos assim de um dia para o outro. Porém, mais depressa e mais perto do que imagina, Jaime vai encontrar um amigo inesperado…»

«As Avenidas Periféricas» do Nobel Modiano «abrem à circulação» a 12 de novembro

pe-perifericasComo seria de esperar, agora que Patrick Modiano conquistou o Nobel da literatura multiplicam-se as edições de obras suas em Portugal. Agora, chega a notícia do lançamento de um inédito no nosso país do escritor francês. Chama-se ele As Avenidas Periféricas e será lançado pela Porto Editora a 12 de novembro. Note-se que esta obra foi galardoada em 1972 com o Grande Prémio de Romance da Academia Francesa.

Sinopse: «Numa pequena aldeia ao lado da floresta de Fontainebleau, em plena Ocupação alemã, juntam-se ao fim de semana alguns personagens inquietantes. Entre eles, o pai do narrador.
Quem é esse pai? Um traficante? Um judeu acossado? Que faz ele no meio de tal gente?
Até ao fim, o narrador perseguirá, com ternura, esse pai fantasmático.»

Novidades

CapaPeq_xutos_e_pontapes (1)Aqui Xutos & Pontapés! – Rolando Rebelo (Oficina do Livro)
«Com autoria de Rolando Rebelo, prefácio de Jorge Sampaio e um grafismo arrojado de Rui Garrido que presta homenagem às origens punk da banda de Tim, Zé Pedro, Kalú, João Cabeleira e Gui, Aqui Xutos & Pontapés! inclui centenas de fotografias do grupo, tanto no palco como fora dele, desde as suas origens, no final dos anos 70, até à actualidade. As imagens deste livro com capa dura e 230 páginas foram retiradas do arquivo oficial da banda e dos álbuns pessoais dos seus músicos.
Enquadrado por esta colecção extraordinária de fotografias, que nos leva a mergulhar nos bastidores de um grupo absolutamente único na história do rock e da música portuguesa em geral, Aqui Xutos & Pontapés! está dividido em duas grandes partes.
Na primeira, dezenas de personalidades da sociedade portuguesa dão o seu testemunho sobre os Xutos – de Jorge Palma a Francisco Pinto Balsemão, de João Pereira Coutinho a Joana Vasconcelos, de Manuela Eanes a Tó Trips, passando por Sérgio Godinho, Ramon Galarza, José Avillez, Ana Padrão, Tozé Brito ou Paulo Junqueiro, entre muito outros.
Na segunda parte, o percurso dos Xutos & Pontapés é passado a pente fino numa cronologia completíssima que implicou anos de investigação de Rolando Rebelo (n.1964, também autor de Rolling Stones em Portugal). Nessa cronologia, feita com o inestimável apoio dos músicos, são contados pela primeira vez vários episódios que marcaram da vida da banda.
Aqui Xutos & Pontapés inclui ainda cartas aos fãs escritas pelo punho de Zé Pedro, Kalú, João Cabeleira, Tim e Gui, dedicatórias aos Xutos por alguns dos seus fãs mais fiéis, bem como depoimentos dos profissionais que trabalham com o grupo na estrada e nos bastidores – desde logo o manager Kabeca.»

el-expansaoHistória da Expansão e do Império Português – coordenação de João Paulo Oliveira e Costa (Esfera dos Livros)
«A Expansão portuguesa confunde-se com a própria História de Portugal. Situado na periferia da Europa, Portugal encontrou no mar um espaço favorável para traçar a sua configuração definitiva e para se projetar pelo mundo, procurando no exterior o que lhe faltava no território peninsular. Nos primeiros séculos da expansão, Portugal rasgou o horizonte dos europeus e uniu outros povos a um destino comum, gerando novos negócios, criando novas paisagens, possibilitando a circulação de gentes, objetos, animais, plantas, conhecimentos e ideias, e dando início à globalização. Ao longo dos séculos, o império foi-se alterando, e, se num primeiro momento, dominou uma perspetiva de imperialismo marítimo, posteriormente, o império português tornou-se dominantemente territorial. Já no último terço do século XX, o fim da soberania portuguesa em África decorreu em circunstâncias dramáticas, num processo de descolonização que deixou marcas profundas na política e sociedade portuguesas. Os historiadores João Paulo Oliveira e Costa, José Damião Rodrigues e Pedro Aires Oliveira traçam um retrato rigoroso e exaustivo da História da Expansão e dos Descobrimentos portugueses, que permite interpretar este processo histórico à escala mundial, analisando o comércio, a conquista, a missionação, entre outros temas, bem como os povos ultramarinos, com as suas civilizações e as suas organizações políticas, sociais e económicas, a que os portugueses tiveram de se adaptar. Um livro essencial para perceber o império português, que se estendeu por quase 6 séculos, desde a conquista de Ceuta em 1415, até 1999, ano em que Macau deixou de estar sob a administração portuguesa.»
7 de novembro

PrintMarcello Caetano – Um destino – Luís Menezes Leitão (Quetzal)
«Quarenta anos depois da sua partida para o exílio, na sequência do 25 de Abril, o que recordamos ainda do legado de Marcello Caetano?
Os partidários do Estado Novo nunca lhe perdoaram ter sido incapaz de evitar a queda do regime; os opositores ao Estado Novo culparam-no por não ter sido capaz de reformar o regime no sentido da democracia. Os defensores de Marcello Caetano mostraram-se incapazes de defender o seu consulado – por isso ele é visto pela opinião pública como um parêntese entre o regime salazarista e o PREC iniciado com o 25 de Abril. Esta é uma perspectiva injusta, pois esquece a extraordinária obra do governo de Marcello Caetano nos planos económico, social e laboral.
“Na verdade, Marcello Caetano deve ser considerado como o verdadeiro fundador do Estado social em Portugal, que o regime democrático depois veio a desenvolver e cuja sustentabilidade é hoje tão questionada. Precisamente por isso, quando, passados quarenta anos da Revolução de 25 de Abril, se assiste ao desmantelamento progressivo do Estado social, convém que a História preste alguma atenção à vida do homem que o iniciou no nosso país.”
Da Introdução
»
7 de novembro

Capa O Sexo ao Longo dos TemposO Sexo ao Longo dos Tempos – Karen Dolby (Vogais)
«Há quarenta mil anos, o homem pré-histórico lutava para sobreviver à Idade do Gelo e vivia em cavernas. Enquanto travava uma batalha pela sua vida, ainda conseguiu arranjar tempo para esculpir figuras voluptuosas para nenhum outro fim que não o seu próprio prazer. Mas nem só os homens e as suas artimanhas sexuais fizeram história. Sabe-se que Messalina, mulher do Imperador romano Cláudio, chegou a gerir um bordel onde a própria trabalhava usando um nome falso.
O sexo foi sempre uma parte importante da vida do ser humano em todos os níveis da sociedade. Contudo, a atitude em relação ao sexo mudou radicalmente depois de Santo Agostinho e do seu conceito de «pecado original». O seu novo conjunto de regras rígidas, considerando o sexo aceitável apenas dentro do casamento, abriu as portas à “culpa”… e a mil formas de nos divertirmos com ela. Porque na verdade todos temos “aquilo” no pensamento a toda a hora.»

pe-bobUm Presente do Bob – James Bowen (Porto Editora)
«Quando James Bowen encontra um gato alaranjado nas escadas do prédio onde vive está longe de imaginar do quanto a sua vida irá mudar.
Nos seus livros anteriores – A minha história com Bob e O mundo segundo Bob acompanhamos James na sua recuperação e como Bob foi determinante no difícil processo de reaprender a viver no mundo real.
Agora, é o momento de refletir no que foram os tempos difíceis que passaram juntos, nos Natais frios e solitários que viveram e como Bob lhe mostrou que o verdadeiro espírito do Natal está para além da febre consumista que nos rodeia nessa época.
Em Um presente do Bob, James Bowen fala-nos abertamente de uma época natalícia em que a solidão e o abandono se sentem com mais intensidade, mas que com a companhia do Bob se tornou numa época de esperança e generosidade.»
11 de novembro

«Os Milagres Acontecem Devagar» é o novo romance de Margarida Rebelo Pinto

ca-devagarMargarida Rebelo Pinto, autora dos sucessos Sei Lá e Não há Coincidências, tem um novo romance à venda, intitulado Os Milagres Acontecem Devagar, com a chancela Clube do Autor. O livro será apresentado a 10 de novembro, às 18h30, no Hotel do Chiado, em Lisboa, por Pedro Boucherie.
Segundo a editora, trata-se de um romance «sobre a esperança em segundas oportunidades», mas também «sobre reveses, fracassos e desilusões». Mais ainda, «fala sobre o amor, o desamor e as limitações a que cada um acaba por ficar preso quando se envolve numa relação».

Sinopse: «Como vivemos o amor depois dos 40 anos? O que é que ainda estamos dispostos a fazer, até que ponto queremos ou conseguimos ceder tempo e espaço para construir uma relação? O que é que ainda conseguimos mudar em nós e o que podemos esperar que o outro mude?, pergunta a autora nas primeiras páginas do novo romance.
Conta a história de uma mulher que ainda acredita na magia transformadora do amor e de um homem aprisionado na sua própria liberdade e incapaz de fazer concessões. Maria do Mar, tem mais de 40 anos, dois filhos, e está separada. Henrique é um sedutor compulsivo que carrega o fardo de dois casamentos falhados e uma lista de vícios de solteirão. Ambos consultam o mesmo psicólogo sem o saber e cada um irá trazer os seus medos e fantasma para a vida a dois. Ambos vivem num labirinto, mas apenas um conseguirá sair. Citando a protagonista, precisamos de matar as coisas antes que elas nos matem.»

Viaje por Viena, Florença e Berlim na companhia dos guias CityPack

florençavienaPorto Editora lançou mais três guias turísticos da coleção CityPack – Florença, Viena e Berlim (os dois primeiros com tradução minha, Rui Azeredo) –, que assim passam a fazer companhia aos anteriormente editados relativos a Paris, Londres, Roma, Barcelona, Amesterdão, Nova Iorque, Madrid, Praga, Rio de Janeiro e Veneza.
Os livros, em formato de bolso e integralmente a cores, são profusamente ilustrados com fotografias e apresentam as 25 principais atrações de cada cidade, propõem passeios e sugerem os melhores locais para compras, comer, divertir-se e dormir, sempre tendo em conta vários preços.
Incluem ainda um mapa de bolso desdobrável bastante resistente.pe-berlim

«Lugar Caído no Crepúsculo» marca o regresso de João de Melo

Lugar Caído no CrepúsculoLugar Caído no Crepúsculo, novo romance de João de Melo, autor de Gente Feliz com Lágrimas e Divina Miséria, entre outros, foi hoje editado pela Dom Quixote.

Sinopse: «O que nos acontece depois da morte? É esta a pergunta implícita ao longo das páginas deste romance. Um livro que impõe a vida, em protesto contra a tragédia da morte humana, recusando-se a aceitar o silêncio e a escuridão do desconhecido e do sagrado: os mistérios acreditados pela fé de muitos, mas não pela angústia dos que questionam o Além.
Com uma abordagem distinta dos conceitos tradicionais, e numa escrita marcada pelo realismo fantástico, João de Melo humaniza a imagética cristã, conferindo-lhe uma realidade mais próxima do mundo e da vida.
Uma viagem pela vida e pelo Além em que o leitor é guiado por diversos narradores: vozes comprometidas, trágicas, cómicas, que narram a excepção e a realidade do Homem no nosso mundo.»