Novidades

aa-cartasCartas, Visões e Outros Textos do Sr. Pantaleão – Fernando Pessoa (Assírio & Alvim)
«Um livro que reúne o conjunto dos textos atribuídos ou atribuíveis a este alter ego de Fernando Pessoa. Com organização a cargo de Manuela Parreira da Silva e Ana Maria Freitas, este livro inclui 39 textos inéditos e outros 3 que, só agora, têm publicação integral.
A personalidade literária do Sr. Pantaleão, que se manifesta nos anos 1908-1910, encarna a fase de maturação cívica e política do jovem Fernando Pessoa, confrontado com a dura realidade portuguesa dos finais da Monarquia. Assume, assim, uma atitude crítica e satírica, porventura mais antimonárquica do que republicana, em relação aos males da pátria e, sobretudo, aos seus mais diretos responsáveis. Mas não deixa também de antecipar, em muitos escritos de caráter reflexivo, o pendor filosofante que viria a marcar exemplarmente a obra pessoana.»

Capa Príncipe da MáfiaPríncipe da Máfia: Uma História Real de Sangue, Violência, Poder e Traição – Philip Leonetti (Vogais)
«Com mais de duas dúzias de assassínios a pontuarem o seu reinado de terror, Scarfo e Leonetti foram dois dos mais influentes criminosos do século XX. Eram intocáveis, ou assim pareciam.
Após ser preso e condenado por homicídio e extorsão, Leonetti decidiu quebrar o código de silêncio da Máfia e colaborar com as autoridades num dos processos mais famosos contra o crime organizado. Os seus testemunhos ajudariam a condenar o seu próprio tio e dezenas de outros mafiosos, incluindo chefes poderosos como John Gotti ou Vincent Gigante.
Príncipe da Máfia é a história contada pelo próprio Leonetti, que vive há duas décadas com uma nova identidade, ao abrigo do Programa de Proteção de Testemunhas dos EUA. Se fosse um filme de Hollywood, seria uma mistura de O Padrinho e Tudo Bons Rapazes, com pinceladas de Casino, Donnie Brasco e Os Sopranos. Mas isto não é um filme. Isto aconteceu mesmo. Isto é a realidade.»

CapaPEQ_a_formula_da_saudadeA Fórmula da Saudade – Daniel Oliveira (Oficina do Livro)
«A Fórmula da Saudade, a que não faltam aspectos reais e trágicos, é um romance inspirado na irresistível história de amor de Zulmira e Joaquim, nada menos do que os avós do autor.
Em A Fórmula da Saudade, Daniel Oliveira oferece aos seus fãs uma história inspirada em factos da sua vida, revelando aspectos dos tempos em que ainda não era figura pública, mas também da vida da sua família. Com a tónica nestes condimentos autobiográficos, o livro conta como Camila, uma conhecida apresentadora de TV afetada por um escândalo, foge de Portugal e, já no clima quente do Rio de Janeiro, recebe um jornalista no seu hotel. É noite de ano novo e depressa este encontro se torna um espaço de confissão e sedução, despertando sentimentos e memórias de ambos há muito perdidos no tempo.
A conversa entre os dois trará à superfície a paixão e o ciúme, a inocência e a perversão, a fé e o sexo, levando a que o entrevistador recorde a bela história de amor que lhe corre no sangue – a dos seus avós, Zulmira e Joaquim, que se conhecem na Lisboa dos anos 1950, até que o jovem oficial é enviado para as colónias portuguesas na Índia, onde a tensão social fará com que a sua missão termine em tragédia. O que sucede depois de acontecer o pior? Será possível condensar a saudade numa fórmula universal que descodifique o amor, a morte, a vida? E como é que uma conversa entre um homem e uma mulher se pode tornar uma viagem ao íntimo da alma humana?
Muitos dos documentos incluídos no livro são verdadeiros e o mesmo acontece com datas e discursos sociais incluídos na narrativa e relacionados com a Índia Portuguesa e o conflito diplomático e militar entre Portugal e a União Indiana, que eclodiu em 1954. É igualmente verdadeira a correspondência amorosa transcrita no período 1954-1957, que tem como protagonistas Zulmira e Joaquim, avós de Daniel Oliveira.»

att-suicidioSuicidas – Antologia de escritores suicidas portugueses – Pablo Javier Pérez López (Ática)
«
Que haverá de acertado em considerar-se os portugueses, tal como fez Miguel de Unamuno, como um povo de suicidas? A presente antologia contém textos de Antero de Quental, Florbela Espanca, Camilo Castelo Branco, Manuel Laranjeira, Mário de Sá-Carneiro e de Barão de Teive que talvez permitam ensaiar uma resposta a tal questão. Nos suicidas portugueses encontramos a Nostalgia, a Saudade, quer dizer, “a dor da proximidade do longínquo”, a profunda experiência da loucura, a profunda experiência do amor, a profunda experiência da ausência, a profunda experiência da morte e, por tudo isso, a profunda, incarnada e experiência trágica da vida e portanto da literatura em que a paixão e o padecimento e o mistério da verdade se tornam indistinguíveis e por vezes insuportáveis.»

image0-001Muros – Poemas e uma Evocação – Maria Ângela Pires (Vírgula)
«A presente colectânea acompanha tempos e ritmos de vida diferentes (entre 1972 e 2013), isto é, do tempo do amor, ao da memória e ao dos lugares, numa sequência que se distingue somente por duas cidades: Lisboa e Luanda.»

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s