Novidades Editoriais de Maio (III)

PrintO Último Comboio para a Zona Verde – Paul Theroux (Quetzal)
«“Do coração de África até Angola, o meu último safari.”
Uma viagem que se inicia na Cidade do Cabo e que Theroux, passando por Angola, queria que acabasse no Norte de África. Porém, após visitar Angola, o incansável viajante decide interromper o seu caminho ascendente. As experiências-limite por que passou, a deceção com a decadência, a colonização pelo materialismo ocidental, a omnipresença da corrupção e a perda da comunhão dos povos com a natureza terão feito desta a última viagem de Theroux ao Continente Negro.
Angola sai maltratada deste livro, assim como muitas figuras de proa de organizações humanitárias que operam em África. E Portugal também. Um documento impiedoso e de gritante atualidade.»

Retrato de RapazRetrato de Rapaz – Mário Cláudio (Dom Quixote)
«
Farto do descaminho de Giacomo, o pai vem deixá-lo ao estúdio de banho tomado, mas ainda com andrajos e piolhos, para que o artista que exuma cadáveres e constrói máquinas voadoras o endireite e faça dele seu criado. A beleza do rapaz impressiona Leonardo, que logo pensa nele para um anjo, concluindo porém que lhe assentam melhor corninhos de diabrete, e assim o rebaptizando como Salai. Serão, de resto, os pecadilhos do rapaz que o farão cair nas boas graças do amo e o elevarão à categoria de aprendiz sem engenho mas com descaramento para emitir opiniões, borrar a pintura, traficar pigmentos e até surripiar desenhos. E, num jogo de pequenas traições mútuas, vai-se criando entre Salai e o pintor uma cumplicidade que os aproximará como se fossem pai e filho.
Retrato de Rapaz é uma novela fulgurante sobre a relação entre mestre e discípulo, nem sempre isenta de drama e decepção, e sobre a criatividade de um artista genial em tudo, mesmo na gestão dos seus afectos.»
20 de Maio

É a GuerraÉ a Guerra – Aquilino Ribeiro (Prefácio de Mário Cláudio) (Bertrand)
«No ano em que se assinala o centenário do início da Primeira Guerra Mundial, a Bertrand Editora reedita É a Guerra, o diário de Aquilino Ribeiro, composto na fase inicial do conflito, em Paris, onde o autor então residia.
Um retrato pessoal e íntimo de Aquilino Ribeiro sobre um dos mais importantes acontecimentos da História mundial recente, com a qual a Bertrand dá continuidade à publicação das obras do grande escritor português. O livro integra também um conjunto de edições através do qual a Bertrand revisita a Primeira Guerra Mundial e o contexto em que a mesma se desenrolou.
“Assumindo-se como um ‘diário’ dos quase dois primeiros meses da Grande Guerra, Aquilino Ribeiro procede ao trabalho original, e porventura árduo, de historiar na retaguarda parisiense um conjunto de lances, e de estados emocionais que lhes vão conexos. Com idêntica legitimidade rotularíamos de «reportagem» essa tarefa, uma vez que nela se descortina a palpitação da imprensa que cobre os acontecimentos, interpretando-os sempre, ou prevendo-os até, com a diligência que se insere na prodigalidade dos órgãos de comunicação social, editados em França, e de que o nosso autor não deixa de nos dar a devida notícia. Publicada duas décadas decorridas sobre o rebentamento das hostilidades, a obra sinistramente augura aquilo que o diarista não se coíbe de apontar, a emergência de uma segunda, e não menos catastrófica conflagração.”» Mário Cláudio

Um Casamento de SonhoUm casamento de sonho – Domingos Amaral (Casa das Letras)
«Quando na economia crescem as dívidas, no amor crescem as dúvidas. Foi a crise económica a culpada do falhanço do casamento de Leonardo e Constança, ou havia razões mais profundas e secretas? Confrontado com a notícia de um terrível acidente no Brasil, onde estão Constança e os seus filhos, Rita e Leonardinho, o melhor amigo de Leonardo vai acompanhá-lo numa difícil viagem à Bahia.
É durante esse voo que Rafael se irá recordar como tudo começou, com a majestosa festa de casamento dos seus amigos, na quinta da família de Constança, no ano de 1998.
Quase vinte anos de memórias da vida de um grupo de amigos são percorridos, desde os tempos em que eram mais novos e acabados de se formar nas universidades, passando pelos casamentos e pelos nascimentos dos filhos, pela época eufórica em que o futuro era risonho e todos viviam bem, moravam em excelentes casas e viajavam pelo mundo felizes, até aos dias em que a felicidade começou a ruir, os casamentos a falhar, as traições a surgir, e a crise económica a gerar falências, dívidas e desilusões.»
20 de Maio

pe-ceuEnquanto houver estrelas no céu – Kristin Harmel (Porto Editora)
«Desde sempre, Rose, ao entardecer, olhava o céu em busca da estrelada tarde. Era aquela estrela, agora que a sua memória a estava a abandonar, que lhe permitia recordar-se de quem era e de onde vinha; que a transportava para os seus dezassete anos, para uma confeitaria nas margens do Sena. Ninguém conhecia a sua história, nem sequer a sua neta, Hope. Num dos seus raros momentos de lucidez sente que é importante falar-lhe de um passado longínquo, que manteve em segredo durante setenta anos e que em breve ficará perdido para sempre.
Munida de uma lista de nomes e de fragmentos de uma vida, Hope parte para Paris em busca de respostas. Para Hope esta será também uma viagem de descoberta: de tradições religiosas há muito diluídas, de histórias vividas numa Paris ocupada onde o amor sobrevive e, sobretudo, da sua capacidade de recomeçar e acreditar em si mesma.»

asa-quandoQuando éramos mentirosos – E. Lockhart (Asa)
«E se alguém lhe perguntar como acabar este livro… MINTA.
A família Sinclair parece perfeita. Ninguém falha, levanta a voz ou cai no ridículo. Os Sinclair são atléticos, atraentes e felizes. A sua fortuna é antiga. Os seus verões são passados numa ilha privada, onde se reúnem todos os anos sem exceção.
É sob o encantamento da ilha que Cadence, a mais jovem herdeira da fortuna familiar, comete um erro: apaixona-se desesperadamente. Cadence é brilhante, mas secretamente frágil e atormentada. Gat é determinado, mas abertamente impetuoso e inconveniente. A relação de ambos põe em causa as rígidas normas do clã. E isso simplesmente não pode acontecer.
Os Sinclair parecem ter tudo. E têm, de facto. Têm segredos. Escondem tragédias. Vivem mentiras. E a maior de todas as mentiras é tão intolerável que não pode ser revelada. Nem mesmo a si.»
13 de maio

aa-escuroEscuro – Ana Luísa Amaral (Assírio & Alvim)
«O regresso de Ana Luísa Amaral à poesia,depois do romance Ara.
[…] a Assírio & Alvim publica o mais recente livro de poesia de Ana Luísa Amaral. Nele a autora reflete sobre a literatura e sobre as inquietações do nosso tempo e do nosso quotidiano. Surge aqui, com grande fulgor, um diálogo polifónico com Fernando Pessoa e o seu drama em gente. Porque «O lume que as sustenta, / a estas vozes, / é mais de dentro, e eu não o sei dizer».

[…]
Deixai-me o escuro, o meu.
Porque ao lado da minha,
a vossa ausência, essa que em mim plantastes,
nada é.
Tomáreis vós saber o que é ausência
Ausência eu: demorada nestas linhas.
Dizer com quanto escuro
a noite se desfaz
e se constrói —
[…]

asa-donzelaDonzela Guerreira – António Mota (Asa)
«Guiomar é a mais velha das sete filhas de Dom Duardos. Perante os lamentos do pai, relutante em obedecer à chamada do rei para a guerra e não tendo filho varão que o substitua, é ela quem se oferece para defender a honra da família sob o nome de Dom João.
Na guerra, luta lado a lado com Dom Marcos, que lentamente se apercebe de que por baixo das vestes do valente guerreiro está uma delicada donzela.
É a inconfundível voz de António Torrado que reconta esta história universal, presente em diferentes culturas e tempos históricos, naquele que é o 18.º título de uma das coleções de referência no panorama da edição infanto-juvenil em Portugal.
Nas palavras do próprio Autor, “este livro vale por dois”, uma vez que contém uma versão muito pessoal, em verso rimado, do romance da tradição oral e também uma peça de teatro inspirada no mesmo romance.»
27 de maio

capa_TEDTED – Carmine Gallo – (GestãoPlus)
«As ideias são a moeda de troca do século XXI. O sucesso do futuro está reservado aos que sabem vender ideias – e que se sabem vender a si próprios. A persuasão é a melhor competência que se pode desenvolver e a comunicação eficaz é a chave para todos os objetivos a alcançar.
As célebres conferências TED redefiniram aquilo que constitui uma apresentação de sucesso e tornaram-se o padrão da excelência da arte de falar em público. Nestes eventos, reúnem-se os maiores pensadores e inovadores do mundo, não só das áreas da tecnologia, do entretenimento e do design, como de qualquer área onde a criatividade seja exercitada e desenvolvida. As visualizações online das conferências TED já ultrapassam um bilião. Estas apresentações inspiram e apaixonam o mundo inteiro, e as técnicas usadas pelos oradores de topo da TED são as mesmas que se pode usar para dinamizar qualquer apresentação, para inspirar qualquer equipa e para contagiar qualquer público com a paixão pela sua ideia.
O autor analisou centenas de conferências TED e entrevistou alguns dos conferencistas mais populares, bem como investigadores de vanguarda nas áreas da Psicologia, da Comunicação e da Neurociência para descobrir os nove segredos fundamentais das melhores conferências TED. Ao longo deste livro, revela um método passo-a-passo que permitirá conceber e fazer apresentações tão cativantes, persuasivas, inspiradoras e memoráveis como uma conferência TED.»

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s