Novidades Editoriais de Abril (II)

PrintMatéria Negra – Brad Thor (Bertrand)
«Toda a gente sabe que os governos se envolvem em atividades secretas que por vezes usam meios pouco ortodoxos. São conhecidas como “operações obscuras”. Mas existe ainda um nível para além deste, seguramente menos conhecido, em que a própria existência do estado é ameaçada e a situação requer uma ação imediata, secreta e possivelmente violenta. Trata-se portanto de uma matéria negra. Quando os EUA se encontram nessa situação, o homem certo para liderar a missão é Scot Harvath. Harvath está na Suécia, a executar um audacioso plano para prevenir um ataque aos Estados Unidos. A equipa que lidera deve prender um suspeito de terrorismo e infiltrar-se na sua célula com um agente duplo.
Ao mesmo tempo, Larry Solomon, um dos produtores mais célebres de Hollywood, é atacado na sua própria casa por um grupo de assassinos e só consegue escapar com a ajuda de Luke Ralston, um amigo que já fez parte da Força Delta.
À medida que a intriga se adensa, Harvath percebe que só há uma maneira de salvar o seu país. Como não pode confiar em, ninguém, é obrigado a lidar com o caso como se fosse Matéria Negra.
4 de abril

pre-desertoA Lei do Deserto – Wilbur Smith (Presença)
«Hazel Bannock é proprietária de uma das maiores companhias petrolíferas do mundo, a Bannock Oil. Durante uma viagem através do oceano Índico, o seu iate é sequestrado por piratas somalis. Nele viajava a filha de Hazel, de 19 anos, Cayla, e o resgate que os piratas pedem para a libertarem é exorbitante. Hazel recorre ao major Hector Cross, cuja empresa foi contratada pela Bannock Oil para proteger as suas instalações e pessoal. Juntos, Hazel e Hector estão dispostos a tudo para salvar Cayla, mesmo que isso signifique fazer justiça pelas próprias mãos…»

ExposiçãoExposição – Jonathan Coe (Dom Quixote)
«Em 1958, vive-se na Europa um clima de optimismo e modernidade. Em Bruxelas, prepara-se a maior exposição mundial do século XX, uma oportunidade histórica para unir todas as nações no pós-guerra. O governo inglês debate-se com a imagem que quer projectar do país. Um desnorte que talvez explique a decisão de enviar Thomas para a Bélgica. A sua missão: assegurar o bom funcionamento do pavilhão britânico.
Mal chega, o ingénuo Thomas pensa ter aterrado de cabeça num admirável mundo novo. Em Londres, a sua vida é convencional. Em Bruxelas, longe da família e do escritório soturno, rodeado de mulheres atraentes e disponíveis, sente-se livre pela primeira vez. Mas a Guerra Fria está ao rubro, o pavilhão ganhou uma alarmante vida própria e há dois homens de gabardina e chapéu constantemente no seu caminho.»
30 de Abril

mar-intemIntempérie – Jesús Carrasco (Marcador)
«Um rapaz fugido de casa escuta, acocorado no fundo do seu esconderijo, os gritos dos homens que o procuram. Quando o grupo passa, o que fica à sua frente é a planície infinita e árida que deverá atravessar se quiser afastar-se definitivamente daquilo que o fez fugir.
Intempérie narra a fuga de um rapaz através de um país castigado pela seca e governado pela violência. Um mundo fechado, sem nomes nem datas, no qual a moral se escapou pelo mesmo lugar por onde se sumiu a água. Nesse cenário, o menino, ainda não totalmente perdido, terá a oportunidade de se iniciar na dolorosa tarefa de julgar ou, pelo contrário, de exercer para sempre a violência que já provou.»

pre-intLongbourn – Amor e Coragem – Jo Baker (Presença)
«Para todos os que admiram a obra de Jane Austen, esta é uma oportunidade única de revisitar o seu universo, mais concretamente o de Orgulho e Preconceito, mas numa perspetiva completamente nova. Jo Baker conseguiu a proeza de pegar num clássico e reimaginá-lo, com brilhantismo, a partir do ponto de vista dos criados. Enquanto no andar de cima tudo gira em torno das perspetivas de casamento das meninas Bennet, no andar de baixo os criados vivem os seus próprios dramas pessoais, as suas paixões e angústias.
À semelhança da obra que a inspirou, também Longbourn é uma história de amor apaixonante e uma comédia social inteligente, que nos dá a conhecer o quotidiano daqueles que serviam nas mansões rurais inglesas do século XIX. Uma obra admirável, que capta na perfeição a atmosfera da Inglaterra de Jane Austen.»

pe-negroO Anjo Negro – Paul Hoffman (Porto Editora)
«Thomas Cale anda a fugir da verdade. Desde que descobriu que o seu brutal treino militar tinha um objetivo – destruir o maior erro de Deus, a própria Humanidade – Cale é perseguido pelo mesmo homem que fez dele o Anjo da Morte: o papa Redentor Bosco.
Cale é um paradoxo: arrogante e inocente, generoso e desapiedado, temido e venerado por aqueles que o criaram, ele já deu inúmeras provas do seu enorme poder.
Mas agora Thomas Cale está fraco. A sua alma está a morrer. Enquanto as convulsões lhe percorrem o corpo, sabe que o julgamento final não esperará por um rapaz doente. À medida que o Dia do Juízo se aproxima, a vingança de Cale leva-o ao coração das trevas – o Santuário – onde confrontará a pessoa que mais odeia no mundo. Por fim, Cale terá de admitir que é a encarnação da Ira de Deus e decidir se se erguerá contra o Santuário dos Redentores ou se usará as suas capacidades únicas para destruir todas as coisas.
O destino da Humanidade depende da decisão de Cale.
14 de abril

pal-heroiO Herói Desaparecido – Rick Riordan (Planeta)
«O regresso ao universo mitológico de Percy Jackson, desta vez com novas personagens: três novos semideuses.
Piper, é filha de um actor famoso, mas não gosta de falar sobre isso e foi enviada para uma espécie de reformatório por roubar coisas.
Leo, é órfão (em parte, claro),e foi parar ao mesmo reformatório por ter fugido de várias famílias de acolhimento.
E Jason, está com eles, mas que não se lembra de nada.
Enquanto a saga Percy Jackson e os Deuses do Olimpo era narrada do ponto de vista do protagonista Percy, neste novo livro cada capítulo é narrado de forma alternada por uma personagem diferente – Jason Grace, Leo Valdez e Piper McLean – e segundo o seu ponto de vista.
Jason tem um problema. Não se lembra de nada antes de acordar num autocarro escolar de mãos dadas com uma miúda. Aparentemente é a sua namorada Piper; e o seu melhor amigo é um rapaz chamado Leo, e os três são alunos da Escola Wilderness, um internato para “crianças más”. O que terá feito para acabar ali, Jason não tem a mais pequena ideia, excepto que tudo parece muito errado.
Piper tem um segredo. O pai está desaparecido há três dias, e os pesadelos vívidos revelam que corre um perigo terrível. Agora o namorado não a reconhece, e quando uma estranha tempestade e estranhas criaturas atacam durante uma viagem da escola, ela, Jason e Leo são levados para um lugar chamado Campo dos Mestiços. O que está a acontecer?
Leo tem jeito com ferramentas. A nova cabana no Campo dos Mestiços está cheia delas. Este lugar é selvagem, com treinos com armas, monstros e raparigas bonitas. O que o incomoda é a maldição de que todos falam quando desaparece um jovem. O mais estranho é que os companheiros insistem que são todos, incluindo Leo relacionados com um deus.

se-larcherO Tintureiro Francês – Paul Larcher (Saída de Emergência)
Nos finais do séc. XVIII, o Marquês de Pombal viu-se a braços com um fracasso na sua política de regeneração industrial: a Real Fábrica de Panos, a menina dos seus olhos, apesar de todos os esforços e despesas não consegue produzir tecidos com a qualidade dos importados. Decide então convidar um tintureiro francês para vir a Portugal ensinar essa grande arte que, à época, fazia a riqueza e o prestígio das nações europeias.
O artista eleito foi o polémico Stéphane Larcher, que mal chega começa a revolucionar práticas e comportamentos. Um ano depois, cores nunca vistas vêm à luz e tecidos até então desconhecidos brilham em todo o seu esplendor. Ao partilhar a sua arte secreta com os portugueses, Stéphane sabia estar a arriscar a vida, a reputação e a fortuna. Mas ninguém o avisou que também comprometia fatalmente o próprio coração.

Capa Eu Bué Mais CómicoEu Bué Cómico – James Patterson (Booksmile)
«Olá! Eu sou o Jamie Grimm e faço piadas bué cómicas — sentado na minha cadeira de rodas! Sei que adoraste ler as minhas aventuras quando tentei conquistar um lugar no concurso “O Miúdo Mais Cómico do Planeta”. Agora a missão é vencer uns miúdos hilariantes para conseguir ir a Hollywood ganhar o prémio final.
E todos estarão lá para me apoiar: os meus melhores amigos, os meus tios maldispostos, a “Miúda Fixe” e até o bully do meu primo, que passa a vida a atormentar-me. Não vai ser fácil, eu sei… Mas tu conheces-me, e sabes como eu sou cómico. Na verdade, quando as coisas estão mesmo difíceis, eu consigo ser BUÉ CÓMICO!!!  Anda, leva o livro contigo. Vais rebolar no chão de tanto rir!»

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s