A Islândia de Valter Hugo Mãe é retratada em «A Desumanização», que sai a 20 de setembro

3D_VHM_altaA Desumanização, novo romance de Valter Hugo Mãe, que é lançado amanhã (20 de setembro) pela Porto Editora, é definido pelo seu autor como «Uma declaração esquisita» e «a mais sincera declaração de amor aos fiordes do oeste islandês». Segundo informa a Porto Editora, «durante três anos, o autor viajou para a Islândia (e partilhou vários desses momentos com os leitores, através do Facebook), para criar aquele que é o seu texto mais visível – um livro de ver». Trata-se, ainda nas palavras da editora, de «uma feliz fusão entre a palavra e a capacidade de fazer ver e sentir».
A capa inclui uma aguarela da autoria de Cristina Valadas, havendo no interior outras da mesma artista.
Valter Hugo Mãe, que já ganhou o Prémio José Saramago, o Grande Prémio Portugal Telecom para melhor livro do ano e o Prémio Portugal Telecom para melhor romance, vai apresentar A Desumanização em três eventos principais, todos a ter lugar em outubro – Teatro Maria Matos, em Lisboa, dia 6; Casa da Música, no Porto, dia 10; Teatro Municipal de Vila do Conde, dia 11 – antes de iniciar uma digressão pelo país.

pe-desu1A Porto Editora vai oferecer 4 mil posters-poema de A Desumanização nos três referidos eventos a quem comprar o livro, assim como será disponibilizado um número limitado a quem o adquirir, em pré-venda, na FNAC.pt e na WOOK.pt. Segundo, a editora, «Filipe Rodrigues, Isabel Lhano, Joana Rego e José Rodrigues são os artistas que se juntaram a Valter Hugo Mãe (poster na imagem ao lado) e desenvolveram abordagens plásticas a partir de frases do novo livro do escritor.

Sinopse: «“Mais tarde, também eu arrancarei o coração do peito para o secar como um trapo e usar limpando apenas as coisas mais estúpidas.”
Passado nos recônditos fiordes islandeses, este romance é a voz de uma menina diferente que nos conta o que sobra depois de perder a irmã gémea. Um livro de profunda delicadeza em que a disciplina da tristeza não impede uma certa redenção e o permanente assombro da beleza. O livro mais plástico de Valter Hugo Mãe. Um livro de ver. Uma utopia de purificar a experiência difícil e maravilhosa de se estar vivo.»

«A Sentinela», um policial de Richard Zimler, sai a 4 de outubro, numa edição Porto Editora

pe-sentinelaA Sentinela, novo romance de Richard Zimler, que desta vez nos apresenta um policial psicológico, vai chegar às livrarias a 4 de outubro, numa edição Porto Editora, casa que passou a lançar os livros do escrito nascido nos Estados Unidos mais há muito radicado em Portugal. O livro será apresentado em Lisboa por Daniel Sampaio a 8 de outubro, às 18h30, no El Corte Inglés, e a 2 de novembro, às 17h00, no Porto, por Elisa Ferreira, na Biblioteca Municipal Almeida Garrett, no âmbito do Porto de Encontro.
A par de A Sentinela, a Porto Editora reedita ainda O Último Cabalista de Lisboa, romance histórico que lançou internacionalmente Richard Zimler, que vive no Porto desde 1990, onde lecionou na Escola Superior de Jornalismo e na Universidade do Porto.

A Sentinela
«6 de julho de 2012. Henrique Monroe, inspetor-chefe da Polícia Judiciária, é chamado a um luxuoso palacete de Lisboa para investigar o homicídio de Pedro Coutinho, um abastado construtor civil. Depois de interrogar a filha da vítima, Monroe começa a acreditar que Coutinho foi assassinado ao tentar defender a perturbada adolescente do violento assédio sexual de algum amigo da família. Ao mesmo tempo, uma pen que o inspetor descobre escondida na biblioteca da casa contém alguns ficheiros com indícios de que a vítima poderá também ter sido silenciada por um dos políticos implicados na rede de corrupção que o industrial montara para conseguir os seus contratos.
Tendo como pano de fundo o Portugal contemporâneo, um país traído por uma elite política corrupta, que sofre sob o peso dos seus próprios erros históricos, Richard Zimler criou um intrigante policial psicológico, com uma figura central que se debate com os seus demónios pessoais ao mesmo tempo que tenta deslindar um caso que irá abalar para sempre os muros da sua própria identidade.»

pe-cabalO Último Cabalista de Lisboa
«Em abril de 1506, durante as celebrações da Páscoa, cerca de dois mil cristãos-novos foram mortos num pogrom em Lisboa e os seus corpos queimados no Rossio. Reinava então D. Manuel, o Venturoso, e os frades incitavam o povo à matança, acusando os cristãos-novos de serem a causa da fome e da peste que flagelavam a cidade.
Berequias, sobrinho e discípulo de Abraão Zarco – iluminador e membro respeitado da célebre escola cabalística de Lisboa –, vai encontrar o tio e uma jovem desconhecida mortos na cave que servia de templo secreto desde que a sinagoga fora encerrada pelos cristãos-velhos. Um valioso manuscrito iluminado também desapareceu do seu esconderijo. Estarão os dois incidentes relacionados? Terá sido um cristão ou um judeu, como os indícios fazem crer, a assassinar o tio? Quem será a rapariga morta?»

José Rodrigues dos Santos romanceia vida de Calouste Gulbenkian em «O Homem de Constantinopla», a sair a 19 de setembro

gra-const19 de setembro é a data marcada para o lançamento da nova obra de José Rodrigues dos Santos, autor de best-sellers como A Fórmula de Deus, A Mão do Diabo ou Codex 632. O novo livro, editado pela Gradiva, intitula-se O Homem de Constantinopla e trata-se da biografia romanceada de Calouste Gulbenkian. O livro será apresentado a no dia 21 de setembro, sábado, às 17h00, na Sociedade de Geografia de Lisboa.
Segundo o jornal Público a obra sairá em dois volumes. «A 23 de Novembro segue-se Um Milionário em Lisboa, que como o nome indica será já sobre os anos de 1942 a 1955 que Gulbenkian passou em Portugal», refere o diário na sua edição online.

Sinopse: «O Império Otomano desmorona-se e a minoria arménia é perseguida. Apanhada na voragem dos acontecimentos, a família Sarkisian refugia-se em Constantinopla. Apesar da tragédia que o rodeia, o pequeno Kaloust deixa-se encantar pela grande capital imperial e é ao atravessar o Bósforo que pela primeira vez formula a pergunta que havia de o perseguir a vida inteira: “O que é a beleza?”
Cruzou-se com a mesma interrogação no rosto níveo da tímida Nunuphar, nos traços coloridos e vigorosos das telas de Rembrandt e na arquitectura complexa do traiçoeiro mundo dos negócios, arrastando-o para uma busca que fez dele o maior coleccionador de arte do seu tempo.
Mas Kaloust foi mais longe do que isso. Tornou-se o homem mais rico do planeta.
Inspirado em factos reais, O Homem de Constantinopla reproduz a extraordinária vida do misterioso arménio que mudou o mundo – e consagra definitivamente José Rodrigues dos Santos como autor maior das letras portuguesas e um dos grandes escritores contemporâneos.»

Novidades Editoriais de Setembro (IV)

Evangelho_SangueEvangelho de Sangue – James Rollins e Rebecca Cantrell (Bertrand)
«Um terramoto em Masada, Israel, mata centenas de pessoas e põe a descoberto um túmulo enterrado no coração da montanha. Um trio de investigadores – o sargento Jordan Stone, especialista em medicina forense, o padre Rhun Korza, sacerdote do Vaticano e o Dr. Erin Granger, um arqueólogo brilhante mas desencantado – é enviado para explorar aquela descoberta macabra, um templo subterrâneo que encerra o cadáver crucificado de uma rapariga mumificada.
Mas um violento ataque ao local põe os três em fuga, lançando-os numa corrida para recuperarem aquilo que outrora foi preservado no sarcófago do túmulo: um livro que se diz ter sido escrito pelo próprio Jesus Cristo e que se crê conter os segredos da Sua divindade. O inimigo que os persegue é ímpar, uma força do mal muito antiga governada por um líder de ambições e astúcia incalculáveis.
Entre sepulturas delapidadas a igrejas magníficas, Erin e os dois companheiros terão de enfrentar um passado que remonta a milhares de anos, a um tempo em que criaturas demoníacas percorriam os cantos mais negros do mundo, ao momento em que Jesus fez uma oferta milagrosa, um pacto de salvação para aqueles que estavam condenados à eternidade.
Porque usam os padres católicos cruzes ao peito? Porque fazem voto de celibato? Porque escondem os monges o rosto com capuzes? E porque insiste o catolicismo que durante a missa o vinho se transforma no sangue de Cristo? As respostas encontram-se todas numa seita secreta do Vaticano, cuja existência é apenas segredada mas que Rembrandt pintou e deu a conhecer ao mundo, uma ordem obscura conhecida como Sanguíneos.»
13 de setembro

ber_AdeusPorEnquantoAdeus, por enquanto – Laurie Frankel (Bertrand)
Uma história encantadora e uma reflexão inesquecível sobre a natureza da vida e da perda, que ensina que nada dura para sempre – mas que há amores que ganham uma vida própria.
Sam Elling é um programador informático que trabalha para uma agência de encontros. Um dia, só pelo desafio, cria um algoritmo que permite a cada pessoa encontrar a sua alma gémea. É uma descoberta maravilhosa, pois graças a ela conhece o amor da sua vida, Meredith, e ao mesmo tempo terrível, uma vez que leva Sam a perder o emprego – afinal, uma agência de encontros não funciona se toda a gente conhecer logo a pessoa certa.
Quando Livvie, a avó de Meredith, morre subitamente, Sam – que tem os dias desocupados e não suporta ver Meredith a sofrer com esta perda – volta a criar um algoritmo; desta vez, um que permite gerar uma simulação online da própria Livvie (com base nos seus e-mails, sms e perfil de Facebook). Parece bruxaria, mas é só informática. Meredith adora conversar com esta sua avó virtual, e conclui que ela e Sam têm o dever de partilhar esta fabulosa invenção com o mundo inteiro.
Assim, criam a empresa RePousa, que permite a praticamente qualquer um comunicar com uma versão virtual dos seus entes queridos já falecidos. Contudo, estes reencontros virtuais levantam problemas bem reais, porque, por cada pessoa que só quer uma última despedida,  há outra que simplesmente não consegue dizer adeus…
13 de setembro

CapaxOs Segredos do FBI – Ronald Kessler (Bertrand)
«
Um livro com a informação privilegiada mais bem guardada do FBI e os segredos de celebridades, políticos, e estrelas de cinema descobertos por agentes durante as investigações.
O FBI está envolvido em quase todos os aspetos da vida norte-americana. Do Watergate a Waco, escândalos que envolvem congressistas à queda de Osama Bin Laden, da morte de Vince Foster à troca de espiões russos, Os Segredos do FBI apresenta revelações dignas de manchetes de jornais sobre as figuras e os eventos mais importantes do nosso tempo. Com testemunhos e material proveniente de centenas de antigos e atuais agentes do FBI, o premiado jornalista Ronald Kessler oferece-nos um tesouro em revelações, tais como:
– Robert Kennedy pediu secretamente emprestado o carro pessoal do agente do FBI responsável pela filial de Los Angeles para visitar Marilyn Monroe, horas antes de esta se ter suicidado;
– Os agentes do FBI concluíram que foi um encontro com Hillary Clinton que desencadeou o suicídio de Vince Foster uma semana depois
– Depois de Osama bin Laden ter sido morto, o FBI não conseguiu equiparar as impressões digitais;
– Ao contrário do que foi retratado no filme Breach, foi o agente do FBI Mike Rochford quem descobriu que o agente Robert Hanssen era um espião;
– O diretor do FBI tinha uma relação amorosa com o seu braço-direito, Clyde Tolson.
13 de setembro

aa-eguaHistória da Égua Branca – Eugénio de Andrade (com esenhos de Cristina Valadas) (Assírio & Alvim)
«O Camponês Cristóvão possui uma belíssima égua branca. Quando envelhece deseja legá-la em testamento a um dos seus três filhos não sabendo, porém, qual deles o mais merecedor desse tesouro que é por todos eles cobiçado. Para tomar uma decisão decide colocar os três à prova, entregando aos cuidados temporários de cada um deles a preciosa égua branca. Tomam então lugar três episódios recheados de fantasia, ternura e alguma violência, terminando o livro com um desfecho inesperado que subverte agradavelmente as expectativas do leitor e transmite uma lição de moral, combinando o lúdico com o educativo.»

ap_CaligrafiaBonitaGeniozinhos – A Caligrafia Toda Bonita da Andreia Gomes – Barbara Esham (Ilustrações de Mike e Carl Gordon) (Arteplural)
«Depois dos dois primeiros títulos – “O Último a Acabar” e “Professora, acho que tenho bicho-carpinteiro!” chega agora “A Caligrafia Toda Bonita da Andreia Gomes”.
Geniozinhos é uma coleção de livros para crianças, pais e educadores, que mostra que uma aprendizagem de sucesso está ao alcance de todos: basta descobrir o método certo.
A Carolina está mesmo contente por começar o segundo ano. Gosta muito da professora e, como está mais crescida, vai finalmente poder pegar no hamster da turma, o Frederico… Só que há uns exercícios que vão tornar tudo mais difícil: os de caligrafia! Por mais que tente, a Carolina não consegue fazer letras bonitas e redondinhas – mas a Andreia Gomes consegue, e parece ser tão fácil para ela! Afinal, o que se passa com a Carolina?»

PrintInspetor Bolhas – Amor e Crime no Mundo do Futebol Alexandre Honrado (Bertrand)
«A nova aventura do Inspetor Bolhas é passada no mundo do futebol. Estás em forma? Então entra em campo para o mais misterioso dos mistérios que assusta toda a seleção nacional e deixa o seu melhor jogador, o grande craque Rô Rô, à beira de ficar descalço.
É claro que o Bolhas vai desvendar o caso, mas também é claro que continua a precisar das suas gomas, a gaguejar diante do chefe Alcofa e a ter medo da sua avô que, no mundo do futebol, está ao ataque como um ponta de lança.
Alexandre Honrado escreve aventuras, Rogério Taveira assina as ilustrações e os mais pequenos entram na história como convidados principais.»
13 de setembro

pla-cr7Messi, Falcao, Cristiano RonaldoJuan Carlos Cubeiro & Leonor Gallardo (Planeta)
«Descubra as chaves para o crescimento do talento que levou estes três jogadores a tornarem-se grandes estrelas do futebol.
Os mesmos autores de O Código Mourinho, dois dos maiores gurus espanhóis em liderança de equipas e gestão desportiva, revelam neste livro, através de uma investigação séria e rigorosa, os pontos de convergência na carreira desportiva destes três craques, que os faz inconfundíveis e diferentes, a que chamam de «Os Dez Mandamentos para Cultivar o Talento».
1. Descubra a sua verdadeira vocação
2. Insira-se num ambiente tonificante, não tóxico.
3. Dedique-se de corpo e alma ao que lhe dá prazer.
4. Seja diferente.
5. Perdoe a quem o ofende.
6. Conte com a ajuda de um coach para se desenvolver.
7. Aprecie o que a vida lhe oferece.
8. Consiga o apoio de alguém influente.
9. Dedique, pelo menos, dez mil horas (duas vezes) à sua formação.
10. Crie uma marca poderosa.

Leo Messi, Radamel Falcao e Cristiano Ronaldo são reconhecidos como os melhores jogadores da actualidade. Três exemplos claros de que o êxito que alcançaram não é fruto do acaso.
Como modelo de inspiração, podem oferecer-nos uma série de exemplos práticos para o desenvolvimento do nosso talento e o dos nossos filhos.
Os três pertencem ao selectivo clube dos melhores jogadores do mundo, porque foram capazes de descobrir qual era a sua verdadeira vocação e tiveram inteligência para se antecipar aos obstáculos, superando imprevistos e dificuldades, sabendo adaptar-se às mudanças e fazer da sua profissão o que realmente os apaixona.
Este livro fala deles e do seu talento, mas proporciona, sobretudo, técnicas mais eficazes para que cada um de nós possa tirar o máximo partido do seu talento, inspirando-se no desenvolvimento pessoal e desportivo dos três goleadores mais famosos do mundo.»

pla-olharO Olhar do Amor – Os Sullivan – Bella Andre (Planeta)
«Chloe Peterson está a ter uma noite péssima. Uma discussão terrível, uma contusão na cara e, para culminar, um acidente de carro deixam-na convencida de que nada mais lhe poderá acontecer. Sente-se desesperada e sozinha, mas de repente ergue os olhos e vê um homem lindíssimo.
Chase Sullivan, fotógrafo de êxito, regressa a casa, mas sente-se apreensivo, pois sabe que um dos sete irmãos irá tentar arranjar-lhe uma namorada. Enquanto pensa como dissuadi-los, depara-se com o carro de Chloe atolado numa valeta, na estrada. O fotógrafo fica fascinado com a beleza da jovem, mas depressa se apercebe que ela tem mais problemas além do acidente e sente que a quer proteger a todo o custo.
Chloe jurou nunca mais confiar em homem algum, só que a cada olhar de Chase e a cada carícia trocada à medida que a atracção entre ambos é cada vez mais forte, pergunta-se se não terá conhecido o único em quem poderá confiar.
Apesar de se aperceber que a sua vida poderá mudar para sempre, Chase está determinado a lutar pelo coração de Chloe.»

CapaDeCorpoEAlmaDe Corpo e Alma – Alexandra Macedo (Ideias de Ler)
«
Hoje em dia, as mulheres são protagonistas de autênticos milagres para conseguirem resolver todas as solicitações de que são alvo: a vida familiar, a vida profissional, a vida social e a vida pessoal. E é o conjunto de todas estas vivências que faz de nós autênticas supermulheres.
Este é um livro para “todas as mulheres que, para além de vestir bem, saber estar, saber receber, reconhecem a necessidade de descobrir algo mais sobre si e sobre sentirem-se bem consigo próprias”.
Em De Corpo e Alma, o livro da supermulher, Alexandra Macedo alia os temas mais práticos – como planear o guarda-roupa da próxima estação, conselhos de maquilhagem ou segredos para ter uma pele bonita e ficar em forma – a outros mais específicos, mais profundos, mas, como vai perceber, igualmente indispensáveis para que se sinta uma mulher feliz e bonita em todos os sentidos!
20 de setembro

EuropesadeloEuro Pesadelo – Quem Comeu a Classe Média? – Aleix Saló (Bertrand)
«A origem da crise europeia num livro ilustrado que explica com simplicidade como é que esta crise está a mudar a vida dos europeus.
Quando a classe média protagoniza um filme de terror, a Europa treme.
Quando a Europa realiza um filme de terror, a classe média treme.
Conseguiremos identificar os nossos medos mais ancestrais?
Onde estão os monstros que nos querem sugar o sangue?
E o pior de tudo… que diabo significa ser europeu?
Aleix Saló acompanha-nos num safari pela União Europeia, um território selvagem e descontrolado onde nem Deus sabe para onde os tiros se dirigem.»
20 de setembro

Depois de «A Cabana», Wm. Paul Young propõe «A Travessia»

Capa_ATravessiaA Cabana foi um sucesso mundial e em Portugal não foi exceção. Verifique os números: 18 milhões de exemplares por todo o mundo e 80 mil (distribuídos por doze edições) no nosso país. Assim, seria só uma questão de tempo até o seu autor, Wm. Paul Young, nos apresentar o seu sucessor, o que acontece agora com A Travessia, que a Porto Editora lança a 20 de setembro.

Sinopse: «Anthony Spencer é um empresário de sucesso, um homem orgulhoso e egocêntrico que não olha a meios para conseguir os seus objetivos. Um dia, o destino prega-lhe uma partida: um AVC deixa-o nos cuidados intensivos, em estado de coma. Entre a vida e a morte, Anthony vê-se num mundo que espelha a dor e a tristeza que tem dentro de si. Confuso, sem compreender exatamente onde está e como foi ali parar, viaja pela sua consciência para compreender quem realmente é e descobrir tudo o que tem perdido ao longo da vida: a esperança, a amizade genuína e o amor verdadeiro, sentimentos que há muito o seu coração deixara de sentir. Em busca de uma segunda oportunidade, Anthony fará uma jornada de redenção e encontro com o seu verdadeiro ser.»

Novidades Editoriais de Setembro (III)

pe-crisePalavras em tempo de crise – Luis Sepúlveda (Porto Editora)
«A escrita, o compromisso político, as amizades, o exílio e as viagens são elementos indissociáveis numa vida fascinante como a de Luis Sepúlveda.
Nestas páginas, entrelaçam-se histórias pessoais, histórias dos trabalhadores e suas lutas, gritos de dor perante a exploração criminosa do meio ambiente, reflexões pungentes sobre a crise económica que atingiu a Europa e encenações de momentos partilhados com amigos, entre eles Pablo Neruda, José Saramago e Tonino Guerra. E emerge, acima de tudo, o Luis Sepúlveda homem: as lembranças do difícil passado no Chile, o destino dos seus companheiros dispersos no exílio e o seu reencontro numa pequena baía do Pacífico, uma viagem pelo deserto de Atacama, mas também alguns vislumbres da vida pessoal, as memórias de um fiel amigo de quatro patas, a alegria de se sentar a uma mesa de refeições com a família alargada e receber o epíteto de “velho”. E, acima de tudo, a certeza de ter vivido “uma vida de formidáveis paixões”.»
13 de setembro

cam_opt_na_esfera_do_mundoNa Esfera do Mundo – Vol. IV – História de Portugal – António Borges Coelho (Editorial Caminho)
«Este IV volume da História de Portugal de António Borges Coelho é inteiramente dedicado ao século XVI português. Por aqui, um texto ao mesmo tempo rigoroso e de grande plasticidade, poderá o leitor ficar a conhecer as grandezas e misérias do século de ouro da nossa história nacional.»

capa_LagoAvesso-def-frente copyO Lago Avesso. Uma Hipótese Biográfica – Joana Bértholo (Editorial Caminho)
«
Ella Bouhart, coreógrafa consagrada, vive num sexagésimo quarto andar, no centro de uma metrópole, de onde avista um enorme jardim, ao fundo do palco, observa a cada dia as diferentes tonalidades de um lago. Esse lago representa o seu horizonte, até onde não é capaz de ir, os territórios da sua vida que se sente incapaz de ocupar. Isso, e o seu avesso.»

cam_a_bruxa_cartuxaA Bruxa Cartuxa na Floresta dos Segredos – Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada (Editorial Caminho)
«
A Bruxa Cartuxa e os seus ajudantes montaram na floresta um negócio muito original. Mas depressa descobriram que ali todos os habitantes tinham pelo menos um segredo. Alguns eram segredos bons, outros segredos maus e outros realmente péssimos. Que fazer?»

ca-casaredondaA Casa Redonda –  Louise Erdrich (Clube do Autor)
«A Casa Redonda é um romance brilhante, uma obra-prima da ficção literária. Vencedor do National Book Award de 2012 e eleito um dos melhores romances do ano por diversas publicações, este livro fala de sentimentos poderosos e lança nova luz sobre a maneira como a maturidade pode alterar a relação entre pais e filhos. Erdrich aborda o amor, o ressentimento, a necessidade e as obrigações que unem as famílias. A autora abarca neste livro o trágico, o cómico, um mundo espiritual bem presente nas vidas das suas personagens tão humanas, e uma história sobre um caso de injustiça que, infelizmente, é um reflexo do que acontece hoje no nosso mundo.»

ca-biblioA Biblioteca Perdida do Alquimista – Marcello Simoni (Clube do Autor)
«O segundo livro da trilogia medieval protagonizada pelo mercador Ignazio de Toledo (o primeiro foi O Mercador de Livros Malditos, bestseller internacional) é um romance com a alquimia perfeita entre História e mistério.
Primavera de 1227. A rainha de Castela desaparece de forma misteriosa. Estranhos boatos correm pelo reino e alguns sugerem até uma intervenção do maligno. Ignazio de Toledo é convocado por Fernando III, o Santo, à sua corte e incumbe o mercador de relíquias de procurar a rainha, presumivelmente sequestrada pelo conde de Nigredo, um alquimista. Em Córdova, para onde foi convocado, Ignazio encontra um velho magister que lhe fala de um livro que todos procuram e que poderá fornecer-lhe indícios sobre o sucedido. Mas no dia seguinte o velho magister é encontrado morto, envenenado…»

ca-possivelE tudo era possível – José Jorge Letria (Clube do Autor)
«José Jorge Letria partilha neste livro momentos únicos da História de Portugal com a paixão e o olhar distanciado de quem teve a ventura de testemunhar e de participar em acontecimentos que marcaram este país num período de viragem. O encontro com José Afonso, as listas negras da PIDE, os sopros de liberdade de Paris, a noite que anuncia a Revolução de Abril, o regresso dos exilados, Angola depois da independência, a geração de jovens que deu o seu melhor em cada dia que passava. Eis as histórias de uma vida que seguem a marcha da História de Portugal, desde o final da década de 60 até aos alvores da década de 80 do século XX.»

ca-terraA Conquista da Terra – E.O. Wilson (Clube do Autor)
«Trata-se de uma obra revolucionária sobre a verdadeira origem da condição humana, da autoria do prestigiado biólogo duas vezes distinguido com o prémio Pulitzer. Baseado numa pesquisa longa e pioneira, A Conquista da Terra é uma nova história da evolução, apresentada num tom distinto e provocatório, com implicações em campos tão diversos como a antropologia, a psicologia social, a neurociência e a história religiosa. Neste livro, o autor defende que «a origem da humanidade moderna foi um golpe de sorte, bom para a nossa espécie durante algum tempo, mau para o resto das outras formas de vida para sempre». E. O. Wilson é um dos mais proeminentes biólogos e naturalistas de todo o mundo e o mais aclamado herdeiro de Darwin.»

Paginas Melancolia Contentamento_1Páginas de Melancolia e Contentamento – António Sousa Homem (Bertrand)
«Um dos cronistas que há mais tempo escreve na imprensa portuguesa volta a reunir os seus textos. As Páginas de Melancolia e Contentamento contém crónicas publicadas no Correio da Manhã, aos domingos, entre 2011 e 2013. Estas páginas trazem-nos, mais uma vez, reflexões, do residente em Moledo, sobre Portugal e os portugueses

“O Doutor Homem gosta de lembrar que vem dos tempos do Titanic. Conheceu um Portugal de antigamente, aquele Portugal que se considerou vencido com a derrota do miguelismo, e que passou a encarar a vida pública com enorme suspeita, duvidando de ideias como “o progresso” ou ‘a modernidade’. É provável que muitos leitores destas crónicas recusem esta espécie de conservadorismo elevado, à Chateaubriand; mas bastantes serão sensíveis ao ceticismo com que Sousa Homem vê certos “avanços” da pedagogia ou da tecnologia. Um conservador é uma relativista: não porque mude de convicções mas porque sabe que as convicções mudam. E porque como ensinou o Eclesiastes, não há nada de novo debaixo do sol.”
Pedro Mexia, no Prefácio.

“Tenho vivido durante a República, assistido a vários desmandos que culminaram na escolha do dr. Salazar, e colecionando memórias dos anos de fogo da pátria, o velho Doutor Homem, o meu pai, tentava convencer-nos, à mesa, de que o país era um apeadeiro acolhedor para quem gostasse de legumes frescos, de um clima dotado de alguma razoabilidade e de momentos à espera de serem cuidados. Mas, no restante, pouco havia a fazer: nem na economia, nem na organização política, nem nas letras, nem nas boas maneiras, salvando-se talvez o Vinho do Porto e, no extremo, o seu alfaiate. A salvação do mundo estava, portanto, fora dos seus desígnios. Grande leitor e bibliófilo, desconfiava sobretudo ‘dos intelectuais’, que decidira serem pessoas pouco confiáveis, decepcionantes e amargas. Este pessimismo dava-lhe parte da sua infinita bonomia.”
António Sousa Homem»
20 de setembro

O regresso da poesia de Natália Correia e Manuel Alegre

dq-Antologia PoéticaA poesia está em destaque na Dom Quixote que já hoje, 10 de setembro, lança Antologia Poética, de Natalia Correia, para no dia 17 apostar na reedição de Poesia Nunca Vista, de Maniuel Alegre.

Antologia Poética – Natalia Correia
«Realizada tendo como base a edição mais recente da Poesia Completa de Natália Correia (Dom Quixote, 1999), esta antologia, organizada, seleccionada e prefaciada por Fernando Pinto do Amaral, destina-se sobretudo à divulgação do essencial da sua obra poética. O critério posto em jogo para seleccionar os poemas pretendeu obedecer a um equilíbrio (naturalmente sempre instável) entre o gosto pessoal do organizador e a representatividade dos diversos períodos da escrita da autora.
Este é, sem dúvida, um livro que poderá facultar aos leitores do século XXI uma visão de conjunto da grande poetisa Natália Correia.»

dq-Coimbra Nunca VistaCoimbra Nunca Vista – Manuel Alegre
«Terceira edição de um livro marcante na obra de Manuel Alegre, Coimbra Nunca Vista, agora com prefácio de Abílio Hernandez Cardoso, que o descreve do seguinte modo:
“Mais que cidade, a Coimbra de Manuel Alegre é o poema que ganha corpo neste lado da memória. Onde tudo se regista: os lugares, o som de uma guitarra imprevisível, os corpos que se despem devagar, a luz indizível da manhã, e até o olho vigilante, sempre à coca, sempre pronto a proibir tudo, sobretudo o amor.”»

Novidades Editoriais de Setembro (II)

se-servaO Mago – A Serva do Império – Raymond E. Feist e Janny Wurts (Saída de Emergência)
«Ninguém conhece os meandros do Jogo do Conselho melhor do que Mara dos Acoma. Através de sangrentas manobras políticas, ela tornou-se uma poderosa força no Império; porém, rodeada de mortíferos rivais, se Mara quiser sobreviver, tem de ser a melhor. Como se isso não bastasse, Mara tem de combater batalhas em duas frentes: no viveiro de intriga e traição que é a corte dos Tsurani, e no seu coração, onde a paixão por um escravo bárbaro do mundo inimigo de Midkemia a leva a questionar os princípios que regem a sua vida.
A Serva do Império é o segundo volume da magnífica saga épica de Feist e Wurts – uma das colaborações mais bem-sucedidas de todos os tempos no estilo fantástico.»

el-guerreirosGuerreiros Medievais Portugueses – Miguel Gomes Martins (Esfera dos Livros)
«A figura de Geraldo Geraldes é quase mítica. Mais conhecido por O Sem-Pavor, lutou tanto do lado cristão, como do lado muçulmano durante a década de 1160; Gualdim Pais, cujo prestígio adquirido na Palestina o elevou a Mestre da Ordem do Templo em Portugal, sendo responsável pela edificação de uma poderosa rede de castelos crucial para a defesa das regiões a norte do rio Tejo; o Prior hospitalário Álvaro Gonçalves Pereira, presente em alguns dos mais importantes episódios militares das décadas de 1340 a 1380, desde a Batalha do Salado até às Guerras Fernandinas, passando pela Guerra Civil de 1355-1356; Nuno Álvares Pereira, um dos mais brilhantes generais da Idade Média Europeia, cujo percurso como comandante militar é longo, fulgurante e recheado de vitórias; Álvaro Vaz de Almada, o célebre conde de Avranches, figura fascinante da primeira metade do século XV e cujo trajeto o leva a combater nos mais variados teatros de operações, desde o Norte de África até às fronteiras orientais do Império, passando pelo Mediterrâneo, pelos palcos da Guerra dos Cem Anos e, claro, pelo território português, onde encontrou a morte, na Batalha de Alfarrobeira, lutando ao lado do infante D. Pedro. Estes são alguns dos 13 Guerreiros Medievais Portugueses cujo retrato é traçado pelo historiador Miguel Gomes Martins. A guerra é feita de homens. E, por isso, para melhor compreender as estratégias e táticas militares que estiveram por detrás das grandes campanhas, é fundamental conhecer os percursos dos comandantes que lideraram os exércitos, que conduziram homens para os campos de batalha e cujas decisões em momentos-chave os levaram às grandes vitórias ou às grandes derrotas. Pela sua mão revisitaremos algumas das mais emblemáticas guerras, campanhas, batalhas e cercos, entre meados do século XII e meados do século XV. Uma fascinante e original viagem à Idade Média através dos seus protagonistas.»

cam_diario_dos_tempos_de_crise-1Diário dos Tempos de Crise Daniel Sampaio (Editorial Caminho)
«“…Durante este ano, Portugal viveu uma crise intensa, que alguns pretendem reduzir apenas a uma dimensão económica e financeira. Estes meus artigos têm outra perspectiva: considero que a crise é mais profunda, porque afeta a intimidade das pessoas e os seus relacionamentos nos diversos contextos.”
Este livro consiste numa colectânea de artigos de Daniel Sampaio publicados na revista de domingo do jornal Público. Nesses artigos Daniel Sampaio trata uma vasta variedade de temas – Os que são tratados mais vezes são relativos à escola, aos problemas das famílias, aos problemas dos jovens. Mas também trata de problemas políticos e sociais. Neste conjunto, a  crise actual está quase sempre presente, porque ela de facto afecta todos os aspectos da vida. Até a crise do Sporting, à qual Daniel Sampaio esteve ligado, merece um artigo.
Em resumo, é uma reflexão que o autor faz com os seus muitos leitores sobre problemas que, direta ou indiretamente a todos dizem respeito.»
10 de setembro

gplus _FraudeDeIcaroA Fraude de Ícaro – Seth Godin (GestãoPlus)
«Num dos seus livros mais inspiradores, o autor do primeiro ebook com mais de um milhão de downloads desafia os leitores a encontrar coragem para tratar o trabalho como uma forma de arte.
A vida inteira, ouvimos dizer que é melhor não arriscar demais. Que mais vale um pássaro na mão que dois a voar. Que o mais importante é a estabilidade. Que é perigoso voar alto, sonhar alto – e até, por vezes, pensar alto.
Sabe que mais? A vida inteira, mentiram-nos. Não há risco maior do que não correr risco nenhum.
Conhece o mito de Ícaro? Preso no labirinto de Creta, Ícaro constrói umas asas de cera para tentar voar por cima das paredes do labirinto e fugir. O seu pai, Dédalo, avisa-o: “Cuidado, não voes muito alto, pois o sol pode derreter-te as asas.” E o que acontece a seguir? Ícaro voa demasiado alto… e as suas asas de cera derretem. É assim que se costuma contar a história.
A parte que nunca se conta, que é convenientemente esquecida, é a seguinte: Dédalo avisou o filho de que seria igualmente perigoso voar demasiado baixo, porque a água salgada comprometeria a capacidade de sustentação das asas.
É curioso. Numa história em que voar demasiado alto e demasiado baixo comportam os mesmos riscos, porque será que só ouvimos falar dos riscos da primeira opção?
Porque é mais fácil cair na ilusão da mediocridade. Porque, quando temos medo de explorar o nosso potencial até ao limite, e mais além, quando temos medo de dar tudo por tudo e falhar, então, é mais fácil acreditar que os riscos são perigosos, que a ambição é um defeito e que o difícil é, simplesmente, impossível. Chega de ilusões. Seth Godin, um dos marketeers mais relevantes dos nossos dias e um dos criativos mais originais do mundo do marketing, lança-lhe o desafio: não caia nessa. Não acredite em tudo o que lhe dizem que «não se pode» – e acredite mais naquilo que o faz pensar “eu consigo”.»
6 de setembro

Preco DesigualdadeO Preço da Desigualdade – Joseph E. Stiglitz (Bertrand)
«“Numa era em que a maioria dos norte-americanos via a economia como a ciência do dinheiro, eu era, por muitos motivos, um improvável candidato a economista. A minha família tinha ideais políticos e ensinou-me que o dinheiro não era importante; que o dinheiro não compra a felicidade; que o que importa é dedicarmo-nos aos outros e à nossa vida mental. Não obstante, na tumultuosa década de 1960, uma vez que me expus a novas ideias em Amherst, apercebi-me de que a economia era muito mais do que o estudo do dinheiro – era, na verdade, uma forma de pesquisa capaz de abordar as causas fundamentais da desigualdade (…)”
Em O Preço da Desigualdade, Joseph Stiglitz mostra-nos que a desigualdade crescente não é algo inevitável e que são os interesses financeiros que, no processo de criação da riqueza, sufocam o verdadeiro e dinâmico capitalismo.
Com a sua visão única, Stiglitz analisa o cenário mundial, lançando hipóteses sobre as implicações que o crescimento da desigualdade terá na democracia, na política monetária e orçamental, e na globalização.»
13 de setembro

James Patterson é a estrela maior na «rentrée» da 20|20

20-red20-diasA 20|20 Editora foi outra das editoras que já anunciou as suas novidades da rentrée, que até arrancou antes da época, já no final de agosto, com o lançamento de Morte na Arena, thriller de Pedro Garcia Rosado que o Porta-Livros já leu, como pode conformar aqui. Mas depois desta pré-época em grande forma com Morte na Arena, vamos lá ver o que de bom nos reserva a 20|20.
A 12 de setembro sai, sob a chancela Topseller, o primeiro volume de uma nova série do autor best-seller James Patterson, NYPD Red. Ainda na Topseller é apresentada uma nova autora, Sarah Pekkanen, norte-americana que escreveu o intenso Dias de Paixão.
A editora garante que em setembro, outubro e novembro haverá muitas novidades, realçando novas obras de ficção policial de autores como James Patterson, Janet Evanovich e Karin Slaughter, um novo romance de Karen Kingsbury, romances históricos de Maria João Fialho Gouveia e C.W. Gortner, um romance erótico de J. Kenner e, na ficção fantástica, o 3.º volume de Maximum Ride.
A Booksmile, do segmento infanto-juvenil, destaca entre várias novidades O Diário de um Banana 8, a ser lançado, pela primeira vez, em simultâneo com a edição americana, o que acontecerá a 16 de novembro. Mas já a 12 de setembro chega o Calendário 2014 do Greg. Ainda em setembro a Booksmile lança mais uma aposta, Timmy Fiasco, uma nova coleção para jovens leitores (8+), da autoria de Stephan Pastis, cartoonista norte-americano. E haverá mais: novos livros das coleções Escola e Tom Gates, um novo livro da série Princesa Poppy e novas coleções inspiradas em séries de televisão de sucesso como Os Mundos de Mia, Ever After High e Winx Club.
Na Vogais serão publicados livros de divulgação científica como Cancro, Conhecer, Confortar, Vencer, do médico catalão Salvador Macip, e biografias, nomeadamente a história de Chris Kyle, sniper americano.
A Nascente lança em setembro Mente Aberta, Coração Crente, da autoria do Papa Francisco.

Valter Hugo Mãe e Richard Zimler cabeças de cartaz na «rentrée» do grupo Porto Editora

pe-desumanizaçaozimlerVárias editoras têm vindo a apresentar as suas propostas para a chamada rentrée literária e uma das primeiras a fazê-lo foi a Porto Editora, que tem em Richard Zimler (na foto) e Valter Hugo Mãe (ver capa) dois dos seus principais «iscos». Mas a Porto Editora, enquanto grupo, tem ainda outra grande novidade, o início da publicação, na Assírio & Alvim, de livros de poesia e prosa de Sophia de Mello Breyner Andresen. Só até ao fim do ano serão oito os títulos lançados.
Regressando a Valter Hugo Mãe, o seu novo romance A Desumanização, chega às livrarias a 20 de setembro, enquanto no caso de Richard Zimler, A Sentinela, o seu primeiro romance na Porto Editora –a ser apresentado a 8 de outubro em Lisboa e a 2 de novembro no Porto –, será acompanhado por uma nova edição de O Último Cabalista de Lisboa.
Na Sextante Editora será publicado o primeiro romance da poeta Ana Luísa Amaral, Ara, e Libra, de Don DeLillo, romance sobre o assassínio de J. F. Kennedy, enquanto na Assírio & Alvim há ainda que contar com O Senhor Pina, livro infanto-juvenil de Álvaro Magalhães dedicado a Manuel António Pina.