«Trans Iberic Love», de Raquel Freire, apresentado pela Divina Comédia como o primeiro romance «queer» português

dc-transTrans Iberic Love, obra de Raquel Freire editada pela Divina Comédia, é apresentada pela sua editora como o «primeiro romance queer português».

Sobre o livro: «Trans Iberic Love é a história de duas pessoas do século XXI que se apaixonam perdidamente uma pela outra e pela revolução que protagonizam do movimento Queer dos anos 2000 ao dos Indignados em 2011.
Maria nasceu no Porto em 1974 com a Revolução dos Cravos. Filha única de uma família culta da burguesia republicana, é uma rebelde que desde a infância questiona as regras que lhe são impostas como mulher. É uma escritora habitada pelo desejo de transformar o mundo, que defende novos paradigmas como a quarta vaga do feminismo e a pansexualidade.
José nasceu em Barcelona em 1987 com a construção da União Europeia, numa família da elite intelectual catalã-francesa. Nunca se sentiu “mulher”. Considerado um pequeno génio, destaca-se como sociólogo ao criar uma identidade trans, entre o feminino e o masculino. Identifica-se como pirata e guerrilheiro do género.
Juntos ultrapassam todas as fronteiras, mergulham num mundo novo, questionam a identidade sexual, nacional, ideológica, de classe, de género e tentam viver no amor do dia-a-dia esta revolução de comportamentos.»

«Envolvida», de Sylvia Day, editado pela 5 Sentidos

5-envolvidaEnvolvida, o terceiro livro da série Crossfire, de Sylvia Day, chegou a Portugal numa edição 5 Sentidos, da Porto Editora, sucedendo a Rendida e Refletida.

Sinopse: «Desde que vi o Gideon pela primeira vez, percebi que ele tinha algo de que eu precisava, algo a que eu não conseguia resistir. Percebi-lhe também uma alma perigosa e atormentada – tal como a minha. Envolvi-me. Eu precisava dele tanto como precisava que o meu coração batesse. Ninguém sabe o quanto ele arriscou por mim e o quanto eu fui ameaçada; ninguém imagina quão negra e desesperada se tornou a sombra dos nossos passados. Entrelaçados nos nossos segredos, tentamos desafiar o destino. Definimos as nossas próprias regras e rendemo-nos completamente ao intenso poder da obsessão.

Alan Furst e Juan Marsé animam o mês de julho da Dom Quixote

O Amante BilingueO Mundo na EscuridãoO Mundo na Escuridão, de Alan Furst, e O Amante  Bilingue, de Juan Marsé, são duas novidades de julho de literatura estrangeira da Dom Quixote. O primeiro sai a 15 de julho e o segundo é já no dia 8 que está à venda.

O Mundo na Escuridão – Alan Furst
«Paris, 1940. A vida elegante do produtor de cinema Jean Casson é ameaçada pela ocupação alemã de Paris, mas Casson descobre que, com bastante dinheiro, compromissos e ligações, não precisa de abdicar dos prazeres da vida parisiense. Algures dentro de Casson, porém, há uma veia romântica. Quando lhe oferecem a oportunidade de participar numa operação do serviço secreto britânico, esse idealismo dá-lhe a coragem de a aceitar. Uma missão simples, mas que corre mal, e Casson percebe que deve arriscar tudo – a carreira, a mulher que ama, a própria vida.
Uma brilhante recriação de França – o seu espírito no momento da derrota, o seu valor no momento do renascimento.»

O Amante Bilingue – Juan Marsé
«Juan Marés vê-se enganado e abandonado pela sua mulher, pertencente à alta burguesia catalã, e pela qual está loucamente apaixonado. Mergulhado no desespero e na indigência, converte-se num solitário e num marginal, um desprezível músico de rua que ganha a vida a tocar acordeão, deambulando pelos bairros antigos de Barcelona, e que concebe um estratagema delirante: fazer-se passar por outro homem, um charnego típico e impostor chamado Faneca, e reconquistar a sua ex-mulher com essa personalidade usurpada. Tudo começa com uma brincadeira, um jogo de máscaras, um piscar de olho em frente ao espelho. Mas a falácia adquire uma dinâmica imprevista e, a partir de certo momento, a personagem fictícia começa a ganhar terreno à real, a máscara devora Marés e apodera-se da sua vontade, da sua memória e da sua língua.»

«despaís – Como Suicidar um País», de Pedro Sena-Lino, chega a 12 de julho

pe-despaisPedro Sena-Lino, autor de 333, está de regresso, a 12 de julho, com um novo romance, intitulado despaísComo suicidar um País, uma edição da Porto Editora. Trata-se, indica a editora, de um romance «sobre o estado da nação: a história de como Portugal poderia acabar em 2023».
Na sexta-feira, dia 12, às 13h00, numa praça de Lisboa, o autor lidera um flash-mob, que simula uma manifestação, recorrendo a textos do livro. Mais tarde, às 18h30, no Grémio Literário (Rua Ivens, 37), ainda em Lisboa, recebe para um debate sobre o possível fim de Portugal em 2023 (cenário traçado no livro) Carvalho da Silva, José Vítor Malheiros, Ludovic Heyraud, Madalena Resende e Ronaldo Bonnachi.

Sobre o livro: «VENDE-SE PAÍS
VISTAS DE MAR, BOAS ÁREAS, BOA LOCALIZAÇÃO, LUZ NATURAL, CLIMATIZADO NATURALMENTE
“O país foi fundado sobre uma loucura e mantido sobre uma série de outras. É um erro histórico particularmente sobrevivente e produtivo, uma doença crónica marítima.”

O livro mostra um país dependente da ajuda externa, pobre, emigrado, desempregado, envelhecido. Gerido por políticos corruptos, ou líricos sem ligação à realidade, acaba vendido em partes, como depois de uma insolvência.
O romance inicia-se com uma situação inimaginável hoje: e se houvesse um referendo sobre o fim do país – e este ganhasse? Será impossível? Esta é a história de como virtualmente isso poderia um dia acontecer. Eis o cenário: o país mergulhado no enésimo pacote de apoio externo, as reformas totalmente congeladas, a escola pública paga, o desemprego e a emigração galopantes; os bancos a falir; entre vários outros aspetos igualmente negativos.»

«A Livraria Noite e Dia do Senhor Penumbra», de Robin Sloan, abre portas a 12 de julho

capa_LivrariaSrPenumbraLivraria Dia e Noite do Senhor Penumbra, do norte-americano Robin Sloan (que vive em São Franciso e na Internet), é um prometedor romance que a Bertrand vai lançar a 12 de julho. Segundo a Publishers Weekly, «para todos aqueles que temem que a Internet, os readers ou as “novas tecnologias” em geral venham a matar o livro em papel, este romance de Robin Sloan traz boas notícias». Mais ainda, considera-o «uma história clássica de aventuras redesenhada para a era digital, com uma mensagem inspiradora: a inteligência e a amizade vivem através dos séculos – e das plataformas de dados.»

Sinopse: «A grande recessão fez com que Clay Jannon perdesse o emprego confortável, mas previsível, como web designer; contudo, a sorte, a pura curiosidade e a capacidade de subir e descer um escadote como um macaco permitem-lhe encontrar emprego no turno da noite da misteriosa Livraria Noite e Dia – gerida pelo não menos misterioso A. Penumbra.
Após algumas noites de trabalho, os mistérios sucedem-se: a livraria tem pouquíssimos clientes, mas eles vêm repetidamente e parecem nunca comprar nada, limitando-se a “pedir emprestados” uns volumes obscuros dos recantos ainda mais obscuros da livraria, segundo um acordo com o excêntrico livreiro. Apesar dos avisos do novo patrão, Clay não resiste a analisar o comportamento dos clientes e tentar descobrir de que tratam aqueles estranhos volumes e exatamente o que se passa nesta bizarra livraria. No entanto, os segredos que descobre (com a ajuda da namorada, que trabalha na Google, e de um bando de amigos geeks e techies) vão muito além das paredes da Livraria Noite e Dia… um mistério tão vasto que só pode caber dentro de um livro!»

Viaje com Paul Theroux e Paul Bowles à boleia da Quetzal

qtz-fantasmaqtz-viagensPaul Theroux e Paul Bowles, dois grandes nomes da literatura de viagens, reforçaram no início de julho o catálogo de viagens da Quetzal. Do primeiro foi editado Comboio-Fantasma para o Oriente e do segundo Viagens, que inaugura uma série na Quetzal dedicada a Bowles.

Comboio-Fantasma para o Oriente – Paul Theroux
«Trinta anos depois de ter escrito O Grande Bazar Ferroviário (publicado pela Quetzal na sequência de O Velho Expresso da Patagónia), Paul Theroux revisita os lugares da sua grande viagem pela Ásia – e encontra um mundo em mudança acelerada. A viagem deste livro reconstitui um mapa prodigioso: o da antiga União Soviética, percorrendo a Geórgia ou o Azerbaijão, visitando o escritor e prémio Nobel Orhan Pamuk na Turquia, sobrevivendo ao comboio transiberiano, respirando o pó nas estradas do Paquistão até chegar à índia e, depois, à Tailândia, à Birmânia e ao Laos, antes de cruzar as rotas da China para chegar ao Japão.
Esse trajeto é literário, pessoal e um exemplo superior de reportagem sobre as mudanças que recolocaram a Ásia no nosso mundo. Mais do que isso, é um roteiro devorado pela curiosidade, pela paixão da viagem e do conhecimento – e pela inspiração que atravessa os livros de Paul Theroux como uma ventania de beleza e disponibilidade, dialogando com todos os lugares que vai conhecendo.
Comboio-Fantasma para o Oriente confirma o lugar de Paul Theroux como o mais talentoso e criativo “escritor de viagens” do nosso tempo.»

Viagens – Paul Bowles
«Entre a majestosa solidão do Saara e a tranquilidade doméstica da ilha tropical no Ceilão – propriedade extravagante e selvagem que manteve durante alguns anos na costa de Weligama –, Paul Bowles percorreu incessantemente os caminhos do globo.
Uma curiosidade inesgotável por todas as paisagens humanas e a atração por dois tipos antitéticos de paisagem geográfica, o deserto e a floresta tropical, alimentaram um fluxo constante de viagens, em que Bowles alternou a deslocação com a permanência.
Paul Bowles é um dos grandes viajantes eruditos do século XX, e o seu legado – musical e literário – sedimenta, em toda a sua originalidade, sofisticação e versatilidade, o património cultural universal. Viagens, livro inédito, reúne os relatos de mais de quarenta anos de deambulações pela Europa, África, América Central e Ásia.»

«Departamento 19», de Will Hill, é a nova aposta «fantástica» da Topseller

ts-Capa Departamento 19A série Departamento 19, de Will Hill, é uma nova aposta da Topseller no âmbito da literatura fantástica e move-se em terrenos com vampiros e com a presença de Frankenstein.

Sinopse: «Jamie Carpenter tem 16 anos e perdeu o pai há pouco tempo. No mesmo dia em que descobre que a sua mãe foi raptada por um vampiro, é salvo por uma criatura gigante que diz chamar-se Frankenstein e que o leva para o Departamento 19, a agência supersecreta do governo. Conhecida também por Luz Negra, esta agência foi fundada há mais de um século por Van Helsing e outros sobreviventes de Drácula para combater as forças do sobrenatural. Com a ajuda da agência, de Frankenstein e de uma jovem vampira por quem se apaixona, Jamie vai fazer tudo para salvar a sua mãe, mesmo sabendo que terá de enfrentar um exército de vampiros sedentos de violência, sangue e destruição.»

John Barth chega finalmente a Portugal com «Ópera Flutuante»

sex-operaÓpera Flutuante, de John Barth, originalmente publicado em 1956 , chega a Portugal a 12 de julho, mais de cinquenta anos depois numa edição Sextante. Este livro, que chegou a finalista do National Book Award, é também o primeiro romance do autor norte-americano a ser editado no nosso país.

Sinopse: «A história do dia em que Todd Andrews, herói e narrador, impenitente solteirão, niilista convicto, advogado, libertino, santo, cínico e suicida potencial, decide não se matar. Ópera Flutuante conta, no decurso de um só dia, toda a sua vida – a perda da virgindade, uma experiência macabra na II Guerra Mundial, a morte do pai e um longo caso sentimental com a mulher do seu melhor amigo. Na tradição picaresca clássica, John Barth usa o humor e a aventura para analisar os assuntos mais sérios. E consegue-o, num livro extremamente divertido e inteligente, que o leitor não consegue deixar de ler de uma ponta à outra, acompanhando as deliciosas reflexões «filosóficas» do herói à medida que planeia o seu suicídio.»

Cavalo de Ferro lança nova edição de «Emigrantes», de Ferreira de Castro

cf-emigrantesA Cavalo de Ferro lançou uma nova edição de Emigrantes, de Ferreira de Castro, que inclui o texto autobiográfico, «Pequena História de Emigrantes».
«Com Emigrantes surgiu em Portugal, essencialmente sem antecedentes, uma expressão precursora do romance moderno de inspiração populista e de sugestão ético-social que viria a tomar forma mundialmente representativa em escritores de poderosa expressão – entre os quais se poderá apontar como exemplos flagrantes John Steinbeck e Jorge Amado – e em que se renovava, com idêntica força da universalidade no seu poder de comunicação de massa, a lição perenemente fecunda de Zola e de Gorki.»
Álvaro Salema in Ferreira de Castro – A Sua Vida, a Sua Personalidade, a Sua Obra

Autobiografia de Giacomo Casanova, traduzida por Pedro Tamen, editada pela Divina Comédia

dc-casanovaHistória da Minha Vida, autobiografia de Giacomo Casanova, com tradução e notas de Pedro Tamen, será  lançado em julho pela Divina Comédia, naquela que será a sua primeira edição em Portugal.
As páginas escolhidas de História da Minha Vida resultam de uma seleção e organização de textos de Miguel Viqueira, professor universitário e escritor.
Segundo a editora, a tradução demorou dois anos a ser feita e «a excelência da tradução e das notas de Pedro Tamen enriquecem esta primeira antologia em português da autobiografia do mais célebre aventureiro da História».