Divina Comédia entra em campo com plantel de luxo

dcFernando Campos, Carlos de Matos Gomes, Aniceto Afonso, Filomena Marona Beja, Raquel Freire, Aura Miguel, Nelson Quintino, Nuno Markl, Rita Ferro Rodrigues, Filipe Homem Fonseca, Pedro Tamen, John Cleese, Sasha Grey, Eric Hobsbawm, Jérôme Ferrari (prémio Goncourt 2012), Mo Yan (Prémio Nobel 2012), Alissa Nutting, Dolores Redondo, Graeme Simsion, Alejandro Zambra.
Está impressionado com esta lista de nomes? Pois, este é o primeiro plantel da Divina Comédia, a nova editora, dirigida por Alexandre Vasconcelos e Sá, que sexta-feira (31 de maio) se apresenta ao público e que, garante num comunicado hoje enviado à comunicação social, «promete dar muito que ler».
A Divina Comédia pretende dar «forte destaque» aos «autores lusófonos», mas dando também atenção «à edição do que de melhor existe na literatura internacional».
Assumindo-se como alternativa num mercado «cada vez mais dominado pelos grandes grupos editoriais», pretende editar «cerca de 100 livros por ano».
As instalações de editora, em pleno centro de Lisboa (Rua da Conceição da Glória), num antigo armazém de livros totalmente recuperado, serão «um local privilegiado de encontro entre autores e leitores». Dispõe de um espaço capaz de receber mais de 200 pessoas e, além de lançamentos de livros, terá também um programa alternativo de atividades culturais.

Festa de apresentação no dia 31 de maio
A festa de apresentação da Divina Comédia está marcada para 31 de Maio, sexta-feira, a partir das  18h00, nas instalações da Divina Comédia na Rua da Conceição da Glória, 75, Lisboa. Do programa fazem parte seis apresentações de livros.
A festa tem início às 18h00 com o lançamento do livro Alcora, o Acordo Secreto do Colonialismo, de Aniceto Afonso e Carlos de Matos Gomes, apresentado por Fernando Rosas. Trata-se de «um documento histórico fundamental que revela todos os pormenores de um acordo estratégico secreto entre o regime ditatorial português, a África do Sul e a Rodésia».
A seguir será apresentado o romance histórico O Cavaleiro da Águia, de Fernando Campos, cujo tema central é a fundação da nacionalidade. A apresentação estará a cargo de Pedro Almeida Vieira.
Será feita ainda uma breve apresentação de Mudanças, de Mo Yan (Prémio Nobel de 2012), por Vasco Gato, tradutor da obra. Mudanças foi o primeiro livro editado pela Divina Comédia.
Às 21h30, Nuno Markl lança Como Desenhar Mulheres, Motas e Cavalos, com poemas de Miguel Araújo. A apresentação será feita por José Luís Peixoto.
Segue-se Deve ser isto o Amor, de Rita Ferro Rodrigues, que será apresentado por Andreia Vale e Pedro Mourinho e que é, indica a editora, «um testemunho, na primeira pessoa, cujo cenário são as diferentes relações de amor entre as pessoas».
Segue-se a apresentação do romance Bordel Português, de Nelson Quintino, que, dia a editora, terá um «registo literário semelhante aos primeiros romances de António Lobo Antunes». Trata-se do «retrato de uma Lisboa actual, mas castiça, com personagens do bas-fond lisboeta tão ou mais coloridas quanto as da Crónica dos Bons Malandros, de Mário Zambujal».
Seguir-se-á um breve retrato da editora e da equipa, apos o que Danny & Riqo [Dj set] dão início ao Divine Comedy Medley, performance musical que se prolongará pela noite fora.
Resta dizer: Bem-vinda Divina Comédia!  

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s