Ática lança «As Paixões de Pessoa», obra com ensaios de George Monteiro

at-pessoasA Ática, do grupo Babel, lançou As Paixões de Pessoa, de George Monteiro, obra que inclui nove ensaios e que é o terceiro título da coleção Ensaística Pessoana.

Sobre o livro: «O alcance – e possivelmente a concretização – das aspirações literárias de Fernando Pessoa não tem paralelo na história da literatura moderna. Porém, apesar de lhe ser amplamente reconhecido o estatuto do maior escritor de língua portuguesa do século XX, continua a ser um dos mais obscuros e menos compreendidos mestres do modernismo literário ocidental. O reconhecimento da grandeza e diversidade da sua obra, para além dos confins modestos de Portugal e de outros territórios de língua portuguesa, tem acontecido de forma lenta mas gradual, encontrando os seus escritos leitores e tradutores entusiastas através de muitas das fronteiras linguísticas do mundo. O aspecto imaginativo singular que permitiu a Pessoa a realização em poesia e prosa de um conjunto de outros escritores (imaginados) tem seduzido especialmente os seus leitores.
O primeiro capítulo de As Paixões de Pessoa aborda o grande poeta modernista como escritor de carreira; isto é, como um autor que publicou com frequência e quantidade nas revistas e jornais do seu tempo. A este, seguem-se cinco capítulos sobre os eternos temas do sexo e da fama na obra e na vida do grande escritor modernista português, especialmente os modos como estes dois assuntos se prendem com a sua relação com escritores de língua inglesa, como, previsivelmente, William Shakespeare e Edgar Allan Poe, mas também outros poetas raramente associados a Pessoa, nomeadamente Arthur Hugh Clough e Ernest Dowson. O sétimo e oitavo capítulo abordam, primeiramente, o modo como os editores do periódico modernista Presença – José Régio, Adolfo Casais Monteiro e João Gaspar Simões – discutiram, definiram e promoveram Pessoa e, em segundo lugar, a escolha de Pessoa da esfinge como metáfora emblemática para um Portugal obstinado em contemplar o Ocidente. O nono capítulo consiste num conjunto de reflexões sobre as primeiras tentativas do autor de traduzir a poesia de Pessoa.»

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s