«O Velho do Rio Sem Nome», de Vítor Burity da Silva, na coleção Literatura Plural

pe-rioA Porto Editora recheou a coleção Literatura Plural, dedicada a autores africanos, com mais um romance de Vítor Burity da Silva, intitulado O Velho do Rio Sem Nome. O livro, que estará também à venda em Angola e Moçambique através da Plural Editores, sucede a Rua dos Anjos, Este Lago não Existe e Novembro.

Sinopse: «“Ao longe uma silhueta descontraída, vestida de tarde, um homem subia a ladeira na calma amarelada do dia que suportava uma beleza silenciosa. Um velho com os seus noventa e um anos (a idade não serve só para envelhecer), magro, de mãos enrugadas, vestido de negro, rosto cansado pelos tantos anos já vividos sobre aquela face que, tantas tardes, como aquela já viu e viveu. Sobe com a energia possível, carregado de umas folhas verdes que apanhara nas margens do rio Kuanza, chega ao cimo transpirado. Não o percebo nem o entendo, mas confio no saber dos anos. A este, dei do meu comer, e dele a inspiração para este título: O Velho do Rio Sem Nome.”»

«A Ponte dos Assassinos» é a nova aventura do Capitão Alatriste, de Arturo Pérez-Reverte

asa-alatristePelos vistos já tinha saído em janeiro, mas eu não me tinha apercebido. No entanto, dado que gosto imenso desta coleção de aventuras do Capitão Alatriste, aqui fica o registo do lançamento, pela ASA, do sétimo volume, intitulado A Ponte dos Assassinos. O autor, para quem não sabe, é o excelente escritor espanhol Arturo Pérez-Reverte.

Sinopse: «Diego Alatriste saiu da carruagem e olhou em volta, desconfiado. Tinha por bom costume, antes de entrar num sítio incerto, estabelecer por onde iria sair, ou tentar, se as coisas acabassem por se complicar. O bilhete que lhe ordenava acompanhar o homem de preto estava assinado pelo senhor Esteban Espinar, sargento-mor do terço de Nápoles, e não admitia qualquer discussão; mas nele nada mais se esclarecia.”

Nápoles, Roma e Milão são alguns dos cenários desta nova aventura do capitão Alatriste. Acompanhado pelo jovem Íñigo Balboa, Alatriste recebe ordens para intervir numa conspiração crucial para a Coroa espanhola: o assassinato do doge durante a missa do galo, em Veneza. O plano: impor, pela força das armas, um governo favorável à Corte do rei católico naquele poderoso e estratégico Estado italiano. Para Alatriste e seus camaradas – o veterano Sebastián Copons, o mouro Gurriato, o português Martinho de Arcada, entre outros – a missão afigura-se difícil, arriscada e cheia de surpresas. Suicida, talvez, mas não impossível.»

«O Repórter do Kiribati» é o novo romance do jornalista Henrique Monteiro

gra-HM1O Repórter do Kiribati é o novo romance do jornalista Henrique Monteiro, em tempos diretor do Expresso e presentemente comentador da SIC Notícias e Rádio Renascença. Henrique Monteiro é igualmente o autor do belo romance Toda uma Vida.

Sinopse. «O tema da verdade e a mentira no jornalismo, numa história ficcionada sobre um repórter que prefere contar boas e compensadoras histórias a relatar o que efectivamente ocorreu… Quando, um dia, este repórter ardiloso se vê a braços com um colossal desmentido, consegue, graças ao seu habitual engenho, descobrir uma saída à altura dos seus méritos. Um livro de leitura compulsiva, por vezes hilariante, mas que nunca mais nos deixará ler um jornal ou assistir a um noticiário com a antiga candura.

O Repórter do Kiribati é uma novela em que realidade, ficção e comédia se misturam numa teia que apenas poderia ser descrita por quem vê a profissão de jornalista a partir de dentro.»

«O Canto de Aquiles», romance de Madeline Miller galardoado com o Orange Prize 2012, lançado a 22 de fevereiro

Canto de AquilesO Canto de Aquiles, da norte-americana, Madeline Miller, obra vencedora do Orange Prize 2012, chega a Portugal a 22 de fevereiro numa edição Bertrand.

Sinopse: «Aquiles, “o melhor dos gregos»”, filho da cruel Tétis e do lendário rei Peleu, é forte, veloz e belo – irresistível para todos aqueles que o conhecem. Pátroclo é um jovem príncipe inábil, exilado na sequência de um ato de grande violência. Criados juntos por uma questão de circunstâncias, constroem uma ligação inseparável, mas arriscam a ira divina. São treinados pelo centauro Quíron nas artes da guerra e da medicina, mas, quando chegam os rumores de que Helena de Esparta foi raptada, todos os heróis da Grécia são convocados para cercarem a cidade de Troia. Seduzido pela promessa de um destino glorioso, Aquiles junta-se à causa e Pátroclo, dividido entre o medo e o amor pelo seu amigo, segue-o. Mal sabem eles o que as cruéis Moiras lhes reservam…»

«Nadar Para Casa», romance de Deborah Levy finalista do Man Booker Prize, sai a 26 de fevereiro

Nadar para CasaA Dom Quixote lança a 26 de fevereiro Nadar Para Casa, romance de Deborah Levy que foi finalista do Man Booker Prize 2012.

Sinopse: «Julho, Riviera Francesa. Para Joe, a família e os amigos, o verão começa agora. A casa de férias é isolada, a piscina é invulgar, escavada na pedra. Nela flutua um corpo esguio, delicado.
Esta presença inesperada e surpreendente é Kitty, aspirante a poeta, desconhecida. É com perplexidade que o grupo a vê sair nua da piscina e entrar de rompante nas suas vidas.
Ao abrigo das sombras, alguém observa.
A suspeição paira instintivamente no ar, como uma ameaça.
A normalidade é, por fim, restaurada. Contudo, algo mudou irreversivelmente.»

Casa das Letras edita «Citações de Salazar»

Citações de SalazarA Casa das Letras lançou o livro Citações de Salazar, com organização de Paulo Neves Silva, onde são reunidas intervenções do ditador em termos de artigos de imprensa, participação em conferências, entrevistas e discursos.

Sobre o livro: «António de Oliveira Salazar, personalidade que marcou a história portuguesa do século XX, liderando uma ditadura durante várias décadas, continua a ser, muitos anos passados sobre o seu falecimento, odiado ou idolatrado por grande parte dos portugueses, sendo raro quem não tenha uma opinião forte e emotiva sobre a doutrina e obra de Salazar.
Não tendo deixado obra escrita, foram no entanto inúmeras as suas intervenções em termos de artigos de imprensa, participação em conferências, entrevistas e discursos, deixando as suas ideias expressas, antes e durante o seu governo, em milhares e milhares de páginas.»

«Nome de Toureiro», o «romance negro» de Luis Sepúlveda, regressa às livrarias com nova roupagem

pe-toureuroNome de Toureiro, o «romance negro» do popular escritor chileno Luis Sepúlveda, vai regressar às livrarias no dia 18 de fevereiro, graças a uma reedição da Porto Editora. Trata-se de uma obra bem diferente do estilo habitual do autor, pois trata de caçadores de tesouros do tempo do III Reich.
Sepúlveda escreveu obras de grande sucesso como História de uma Gaivota e do Gato que a Ensinou a Voar, O Velho que Lia Romances de Amor, Mundo do Fim do Mundo e Patagónia Express, entre muitas outras.

Sinopse: «Durante os anos sombrios do nazismo, desaparece da prisão de Spandau um valiosíssimo conjunto de moedas de ouro. Quase cinquenta anos depois, caído o muro de Berlim, dois personagens obscuros mas poderosos, com um passado político duvidoso, contratam, cada um por seu lado, dois “antigos combatentes”, desempregados profissional e ideologicamente, para que partam em busca do tesouro roubado. Um, Belmonte, o que tem nome de toureiro, aceita o encargo por amor a Verónica; o outro, Frank Galinsky, aceita-o por um velho hábito de obediência militante cujo ideal é agora o de enriquecer “como todos os outros”.
Mas o tesouro ainda existe? Belmonte e Galinsky chegarão a enfrentar-se? Nos tempos implacáveis que são os nossos, vencerá o amor ou a cobiça?
Com Nome de Toureiro, Luis Sepúlveda confirmou-se como um admirável “contador de histórias”, oferecendo-nos um inesperado “romance negro” que tem como pano de fundo uma profunda reflexão sobre as ideologias autoritárias.

Depois do tio Montague e do navio negro, chegam as «Histórias de Terror da Entrada do Túnel»

imageA Arteplural acabou de lançar «um livro muito assustador»:  As Histórias de Terror da Entrada do Túnel, de Chris Priestley, autor de As histórias de terror do tio Montague e As Histórias de  Navio Negro. Em comum os três livros tem o facto de reunirem contos ilustrados, todos cheios de suspense e com uma única intenção: arrepiar o público mais jovem.
Sinopse: «Robert está entusiasmado: pela primeira vez, vai viajar sozinho de comboio! Está a caminho de um novo colégio e vai finalmente deixar para trás o tédio das férias, passadas em casa com a sua irritante madrasta.
De início, a viagem ameaça ser bastante aborrecida, sobretudo quando comboio fica parado, durante horas, à entrada de um túnel profundo e escuro. Mas, felizmente, Edward conta com a companhia de uma mulher, esguia e elegante, totalmente vestida de branco, que o vai entretendo com histórias… histórias cada vez mais arrepiantes e perturbadoras. À medida que o tempo vai passando, o comboio continua misteriosamente parado.»

«O Animal Moribundo», de Philip Roth, destaca-se entre as novidades BIS-Leya

O Animal MoribundoA Leya lançou recentemente mais quatro volumes da coleção BIS, de livros de bolso, sendo de destacar entre eles O Animal Moribundo, de Philip Roth. Os restantes são Os Três Casamentos de Camilla S., de Rosa Lobato de Faria, Uma Noite em Nova Iorque, de Tiago Rebelo, e O Amor é Uma Carta Fechada, de Quintino Aires. Todos custam 7,50 euros, exceto Uma Noite em Nova Iorque, que custa 5,95.

O Animal Moribundo – Philip Roth
«David Kepesh tem cabelos brancos e mais de sessenta anos, é um eminente crítico cultural de TV e conferencista de grande mérito numa universidade de Nova Iorque, quando conhece Consuela Castillo, uma estudante bem comportada e de boas maneiras, com 24 anos e filha de exilados cubanos ricos, que lança imediatamente a vida do professor num tumulto erótico. A juventude e a beleza de Consuela, “uma obra-prima de volupté”, transtornam-no por completo e uma enlouquecedora possessividade sexual transporta-o aos abismos do ciúme deformador.
A despreocupada aventura erótica evolui ao longo de oito anos para uma história de cruel perda.»

Os Três Casamentos de Camilla S.Os Três Casamentos de Camilla S. – Rosa Lobato de Faria
«A história de uma velha senhora que aos 90 anos decide contar a sua vida, incluindo o que ela possa ter de inconfessável. Desde os ambientes à narrativa (que atravessa quase um século de história) estamos perante um livro adequadamente romântico.»

Uma Noite em Nova IorqueUma Noite em Nova Iorque – Tiago Rebelo
«Uma complexa história de encontros e desencontros, promessas e desilusões. Mas é, também, uma história de descoberta e de esperança, que reflecte o dilema dos protagonistas divididos entre duas forças poderosas: a obrigação de perpetuar uma união que já não lhes traz alegria e a urgência de correr atrás de uma enorme paixão que mais não é do que uma carta fechada. 

O Amor é Uma Carta FechadaO Amor é Uma Carta Fechada – Quintino Aires
«A partir de casos reais, o autor aborda questões que nos são familiares. Trata-se de um livro valioso que ajudará o leitor a identificar os problemas e a questionar o que está a bloquear o amor na sua vida para assim perceber a vida amorosa tal como ela é e a libertar-se de ilusões e receios.»

Versão cinematográfica de «Nómada», de Stephenie Meyer, chega a Portugal a 4 de abril

thehostO Nómada (título original, The Host), filme inspirado no livro Nómada, de Stephenie Meyer (editado em Portugal pela Gailivro em 2009), estreia entre nós a 4 de abril de 2013. O filme, realizado por Andrew Niccol, que conta no seu currículo com obras interessantes como Sem Tempo e O Senhor da Guerra,  conta no elenco com atores como Saoirse Ronan, no papel de Melanie, Diane Kruger e William Hurt.
Pode ver aqui o trailer.

k_nomada-11Sinopse do livro: «Melanie Stryder recusa-se a desaparecer.
O nosso Mundo foi invadido por um inimigo invisível. Os Humanos estão a ser transformados em hospedeiros destes invasores, com as suas mentes expurgadas, enquanto o corpo permanece igual e a vida prossegue sem qualquer mudança aparente. A maior parte da Humanidade não consegue resistir.
Quando Melanie, um dos poucos Humanos “indomáveis”, é capturada, ela tem a certeza de que chegou o fim. Nómada, a Alma invasora a quem o corpo de Melanie é entregue,foi avisada sobre o desafio de viver no interior de um humano: emoções avassaladoras, excesso de sentidos, recordações demasiado presentes. Mas existe uma dificuldade com que Nómada não conta: o anterior dono do corpo combate a posse da sua mente.
Nómada esquadrinha os pensamentos de Melanie, na esperança de descobrir o paradeiro da resistência humana. Melanie inunda-lhe a mente com visões do homem por quem está apaixonada – Jared, um sobrevivente humano que vive na clandestinidade. Incapaz de se libertar dos desejos do seu corpo, Nómada começa a sentir-se atraída pelo homem que tem por missão delatar. No momento em que um inimigo comum transforma Nómada e Melanie em aliadas involuntárias, as duas lançam-se numa busca perigosa e desconhecida do homem que amam.»