Bertrand lançou «As Sete Maravilhas do Mundo», romance histórico de Steven Saylor

No romance histórico As Sete Maravilhas do Mundo, de Steve Saylor, recentemente editado pela Bertrand, o autor revela finalmente a história de Gordiano e de como este se tornou o homem que viria a ser conhecido como o Descobridor. Trata-se de um prequela à série Roma Sub Rosa.

Sinopse: «Corre o ano de 92 a.C. e Gordiano acabou de fazer 18 anos e está prestes a embarcar na aventura de uma vida: uma longa viagem para visitar as Sete Maravilhas do Mundo. Gordiano ainda não recebeu o nome de o Descobridor – mas, em cada uma das Sete Maravilhas, o jovem romano de olhos grandes encontra um mistério que desafia os seus poderes de dedução.
A acompanhar Gordiano nas suas viagens está o seu tutor, Antípatro de Sídon, o poeta mais celebrado do mundo. Contudo, o velho poeta, ao que tudo indica inofensivo, é mais do que parece à primeira vista. Antes de partirem, Antípatro finge a própria morte e viaja sob uma identidade falsa. Em segundo plano, surgem os primeiros indícios de uma sublevação política que agitará todo o mundo romano.
Professor e pupilo viajam pelas lendárias cidades da Grécia e da Ásia Menor, seguindo, depois, para a Babilónia e o Egito. Assistem aos Jogos Olímpicos, participam em festivais exóticos e maravilham-se com as mais espetaculares construções alguma vez concebidas pela humanidade. No caminho, deparam-se com assassínios, magia e assombramentos fantasmagóricos.»

Presença lançou «Cloud Atlas – Atlas das Nuvens», de David Mitchell

A Editorial Presença lançou o romance Cloud Atlas – Atlas das Nuvens, de David Mitchell, obra que inspirou o filme com o mesmo título, realizado pelos irmãos Wachowski, Andy e Lana (os criadores de Matrix), e Tom Tykwer, e com interpretações de Tom Hanks, Halle Berry e Hugh Grant. O filme estreia a 29 de Novembro e pode ver o trailer aqui.

Sinopse: «Seis vidas entrecruzadas – uma aventura extraordinária. Numa narrativa que dá a volta ao mundo e se estende desde o século XIX até a um futuro pós-apocalíptico, David Mitchell derruba as fronteiras do tempo, dos géneros literários e da linguagem para nos proporcionar uma visão arrebatadora da perigosa ânsia da humanidade pelo poder e até onde ela nos pode levar.»

Sextante lançou «Limonov», obra de Emmanuel Carrère que em 2011 venceu o Prémio Renaudot

A Sextante lançou o romance biográfico Limonov, do francês Emmanuel Carrère, obra sobre o mais fervoroso activista russo da actualidade e que venceu o Prémio Renaudot 2011.
Emmanuel Carrère ficou fascinado pela vida deste escritor marginal, nascido em 1943, que por uns é considerado um herói, e por outros um perigoso bandido. Segundo a nota de imprensa da Sextante, Eduard Limonov é o porta-voz do nacionalismo mais radical da Rússia e opositor de Vladimir Putin.

Sobre o livro: «Limonov não é uma personagem de ficção. Ele existe. Eu conheço-o. Foi um marginal na Ucrânia; ídolo do underground soviético na era Brejnev; sem-abrigo e depois criado de quarto de um milionário em Manhattan; escritor de vanguarda em Paris; soldado perdido na guerra dos Balcãs; e hoje, no imenso bordel do pós-comunismo na Rússia, velho chefe carismático de um partido de jovens em fúria. Vê-se a si próprio como um herói, mas podemos considerá-lo um estafermo: por mim, deixo o julgamento em suspenso. É uma vida perigosa, ambígua: um verdadeiro romance de aventuras. É também, creio, uma vida que conta qualquer coisa.
Não apenas sobre ele, Limonov, não apenas sobre a Rússia, mas sobre a história de todos nós depois do fim da Segunda Guerra Mundial.
» Emmanuel Carrère.

«O Ritual da Sombra» – Eric Giacometti e Jacques Ravenne

O Ritual da Sombra, da dupla de autores franceses Eric Giacometti e Jacques Ravenne, é um daqueles livros (editado em Portugal pela Europa-América) que alia com harmonia uma boa história e informação histórica, pois ao contrário do que por vezes acontece neste tipo de obras a introdução de dados reais não é debitada só por que sim mas de forma lógica e articulada, sem prejudicar o desenvolvimento do enredo.
Sendo um livro francês, não tem o ritmo de um Dan Brown (a quem é muitas vezes comparado), claro, mas isto é literatura francesa e cada «um» tem o seu ADN, ganhando este em termos de qualidade de escrita. O ritmo não é igualmente tão avassalador, mas a leitura mais pausada que requer proporciona outro tipo de prazer e dá mais tempo para absorver o desenrolar das «cenas» e a descrição das características das entidades envolvidas, todas plenas de mistérios e segredos. É que na base desta história está uma luta ancestral entre a maçonaria e uma irmandade nazi, a Sociedade Thule, que procura os arquivos franco-mações roubados no tempo do III Reich e que se perderam no decurso da Segunda Guerra Mundial – este episódio é descrito logo na abertura do livro. O objectivo, como não poderia deixar de ser, é alcançar um poder de tal forma grandioso que subjugue todos os adversários em mais uma tentativa de dominar o mundo, por parte daqueles que se acham «a» raça superior.
Após uma série de mortes estranhas, na actualidade, uma dupla improvável (mas que resulta muito bem no papel) une esforços para investigar os bizarros acontecimentos, pois os assassínios deram-se cumprindo um ritual que evoca a morte de Hiram, o fundador da maçonaria. Ora os dois «investigadores» são um comissário francês, Antoine Marcas, que é mestre mação, e Jade Zewinski, responsável pela segurança numa embaixada onde se dá um dos crimes.
Respeitando as regras de um bom thriller, os dados que permitirão desvendar os mistérios que movem o enredo são desvendados parcimoniosamente, envolvendo o leitor aos poucos numa trama complexa mas suficientemente explicada pela dupla de autores.
Ao longo do romance há uma série de descrições de rituais maçónicos que, pelo menos a um leigo, parecem bastante credíveis, o que não é de estranhar se se tiver em conta que Jacques Ravenne, um dos autores, é mação, enquanto Eric Giacometti, o outro, é um jornalista especializado no tema.
Para ajudar, em anexo, surge no final do livro um glossário que permite ao leitor digerir uma série de termos que lhe podem ser desconhecidos, possibilitando assim uma leitura mais completa e compreensiva.
Maçonaria, nazis, secretismo e ocultismo, dados históricos, acção, mortes, mistério e personagens cativantes, estão reunidos em O Ritual da Sombra os condimentos para quem gosta de um bom thriller. Assim sendo, bom proveito!

Sinopse: «Roma. Um arquivista do Grande Oriente é assassinado na altura de uma festa na embaixada francesa, cumprindo um ritual que evoca a morte de Hiram, o lendário fundador da Maçonaria.
Em Jerusalém, um arqueólogo que tem na sua posse uma enigmática pedra gravada tem uma morte semelhante.
O comissário Antoine Marcas, mestre mação, e a sua parceira, Jade Zewinski, são confrontados com assassinos de uma irmandade nazi, a Sociedade Thule, oponente ancestral da Maçonaria.
Sessenta anos após a queda do Terceiro Reich, os arquivos dos mações, que haviam sido roubados pelos alemães em 1940, continuam a fazer o sangue correr…
Mas que segredo intemporal estará escondido entre aquelas folhas amarelecidas?.»

Autores: Eric Giacometti e Jacques Ravenne
Título original: Le Rituel de L’Ombre
Editora: Publicações Europa-América
Tradução: Paula Antunes
Ano de Edição: 2012
Páginas: 384

Pronto a Editar introduz em Portugal o «Book Packaging»

O Pronto a Editar Atelier é uma nova empresa do sector livreiro que lançou em Portugal o conceito de Book Packaging, que consiste na oferta, direccionada às editoras, da totalidade dos serviços prévios à impressão de um livro, ou seja, produção de conteúdos, tradução, revisão, ilustração, design e coordenação editorial.
Nesse sentido, lançou-se no mercado com um catálogo próprio de obras já concebidas para venda integral de direitos. São maioritariamente livros de apoio escolar, que têm em conta a necessidade de consonância com os programas curriculares definidos pelo Ministério da Educação – uma vantagem face à tendência das editoras em recorrerem às co-autorias, pois esta vertente não se encontra em co-edições ou compra de direitos estrangeiros.

Nesse sentido, o Pronto a Editar tem já… «prontos a editar» catorze livros: Gramática 3.º e 4.º anos – 1.º Ciclo do Ensino Básico; Dicionário Ilustrado de Português – 1.º e 2.º Ciclo do Ensino Básico; Rapazes & Raparigas – Educação Sexual – 1.º e 2.º ciclos do Ensino Básico; Preparo-me para o 1.º ano; Aprender Inglês com Sucesso – colecção de dois livros para o 1.º ciclo do Ensino Básico; Cinco Estrelas! Jogos e Atividades – colecção de 4 livros (6-7 anos; 7-8 anos; 8-9 anos; 9-10 anos); Como Ter Memória de Elefante – Jogos e Curiosidades e O Meu Planeta e EuCuriosidades Fascinantes (ambos para maiores de 8 anos); e na literatura infantil Festejar É O Que Está A Dar! – Dias Comemorativos (poemas, curiosidades e provérbios) e Aventuras Com Sabor A Amoras (ambos para maiores de 6 anos).

«Lisboa no Ano 2010» apresentado a 24 de Novembro no Fórum Fantástico

O livro Lisboa no Ano 2000, editado pela Saída de Emergência, será apresentado a 24 de Novembro (sábado) no Fórum Fantástico 2012, na Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro, em Telheiras, Lisboa. A apresentação terá lugar às 18h00 e contará com a presença do editor Luís Corte Real, do organizador João Barreiros e de vários autores.

Sobre o livro: «Bem-vindos a Lisboa!
Bem-vindos à maior cidade da Europa livre, bem longe do opressivo império germânico. Deslumbrem-se com a mais famosa das jóias do Ocidente! A cidade estende-se a perder de vista. O ar vibra com a melodia incansável da electricidade.
Deixem-se fascinar por este lugar único, onde as luzes nunca se apagam, seja de noite, seja de dia. Aqui, a energia eléctrica chega a todos os lares providenciada pelas fabulosas Torres Tesla.
Nuvens de zepelins sobem e descem com as carapaças a brilhar ao sol. Monocarris zumbem por todo o lado a incríveis velocidades de mais de cem quilómetros à hora. O ar freme com o estímulo revigorante da electricidade residual. Bem-vindos ao século XX!
Lisboa no Ano 2000 recria uma Lisboa que nunca existiu. Uma Lisboa tal como era imaginada, há cem anos, por escritores, jornalistas, cientistas e pensadores. Mergulhar nesta Lisboa é mergulhar numa utopia que se perdeu na nossa memória colectiva.»

Bertrand recupera «As Terras do Demo», de Aquilino Ribeiro

Terras do Demo, de Aquilino Ribeiro, dá seguimento à (re)publicação, por parte da Bertrand, das obras de um dos maiores nomes da literatura portuguesa.
Aquilino Ribeiro, nascido em 1885 e falecido em 1963, chamou à terra onde nasceu «Terras do Demo», e descreve-a nestas palavras:
«A serra é agreste, primitiva, mas tem carácter, sem dúvida. Comprazes-te em pintar-lhe as virtudes e encantos sem sombras, e não serei eu que te acoime de parcial. As tintas escuras são para o novelista e tens razão. Decerto que eu, ao chamar-lhe Terras do Demo, não quis designá-las por terras do pecado, porque o pecado seja ali mais grado ou revista aspeto especial que não tenha algures. Nada disso. A serra é portuguesa no bem e no mal. Chamei-lhe assim porque a vida ali é dura, pobrinha, castigada pelo meio natural, sobrecarregada pelo fisco mercê de antigos e inconsiderados erros e abusos, porque em poucas terras como esta é sensível o fadário da existência.»

Zero a Oito lançou os livros do filme «Barbie e A Princesa e a Pop Star»

A Zero a Oito lançou uma colecção de quatro produtos alusivos a Barbie e a Princesa e a Pop Star mais um filme da série Barbie recentemente editado em DVD em Portugal. No filme, Barbie interpreta Tori, uma princesa de Meribella que prefere dançar e cantar do que cumprir os seus deveres de realeza.
A História do Filme é um livro de capa dura onde as crianças podem ler ou ouvir contar a história completa do filme. Há também um livro de autocolantes com cenários autênticos do filme e duas páginas cheias de autocolantes para colarem e descolarem as vezes que quiserem.
Barbie A Princesa e a Pop Star: Livro de Pintar, como o nome indica é para as crianças pintarem as personagens do filme. Já na Revista Especial do Filme as crianças encontram tudo sobre a pelicula e ainda vários jogos e desafios. A revista tem como oferta um microfone.

Sinopse de Barbie e a Princesa e a Pop Star: «Nesta cintilante aventura musical, Barbie interpreta Tori, a bondosa princesa de Meribella que prefere dançar e cantar do que cumprir os seus deveres de realeza.
Quando a sua pop star preferida Keira visita o reino, as raparigas descobrem que têm muito em comum, incluindo um segredo mágico que lhes permite ficarem parecidas uma com outra.
Ao início, trocar de lugar parecia uma ótima ideia, até que percebem que a outra vida não é tão simples quanto parece. Mas Meribella também tem um segredo mágico, e quando este é roubado, todo o reino é colocado em perigo.
Conseguirá uma grande amizade salvar o reino?
Repleto de músicas fantásticas, roupas fabulosas e novos amigos muito divertidos, este divertidíssimo musical mostra que o melhor que podes ser é tu mesmo.»

Passatempo Matéria-Prima – «Os Monstros Também Amam», de Clara Sánchez

O Porta-Livros tem para oferecer (em parceria com a Matéria-Prima Edições) dois exemplares do romance Os Monstros Também Amam, da espanhola Clara Sánchez .
O primeiro leitor que desde já ultrapasse o seguinte desafio será presenteado com um livro. O outro vencedor será encontrado por sorteio a realizar entre todos os restantes participantes que até às 23h59 de 27 de Novembro (terça-feira) respondam acertadamente às três questões.
A lista de vencedores será publicada neste blog e os mesmos serão avisados por e-mail.
Para encontrar as respostas certas basta, por exemplo, fazer uma pequena busca neste blog.

1 – Qual o apelido do casal de noruegueses protagonista deste romance?

2 – De que país é proveniente o recém-chegado que segue o casal de noruegueses?

3 – Qual o título original deste romance?

As respostas devem ser enviadas por e-mail para blogportalivros@gmail.com
Juntamente com as respostas, os participantes devem enviar os seus dados, nomeadamente: NOME, MORADA e E-MAIL.
Cada vencedor receberá oportunamente, por correio, enviado directamente pela Matéria-Prima Edições, o livro com que foi premiado.
Só podem participar residentes em Portugal.