«O Barulho das Coisas ao Cair» – Juan Gabriel Vásquez

O Barulho das Coisas ao Cair, do colombiano Juan Gabriel Vásquez, faz-nos regressar a um passado mais ou menos recente em que Medellín era uma terra que figurava frequentemente nos jornais e noticiários.
O livro, editado entre nós pela Alfaguara (chancela da Objectiva) e galardoado com o Prémio Alfaguara 2011, é, como deu para perceber, uma viagem pelo mundo do narcotráfico e à influência deste na sociedade colombiana, recuperando, através das memórias dos protagonistas, esse vulto tão conhecido que é Pablo Escobar.
Apesar do ambiente de terror vivido na Colômbia, essencialmente na década de 1980, no augo do domínio de Escobar, a verdade é que muitos se aproveitaram do narcotráfico e subiram na vida à custa de actividades menos lícitas, seguindo na onda de homens como Escobar. Além disso, apesar de toda agente saber o criminoso que era, nem por isso deixavam de aproveitar as benesses por ele distribuídas. Entre estas estava o jardim zoológico particular da sua fazenda, aberto a visitas e muito concorrido. A evocação deste zoo funciona precisamente como ponto de partida de O Barulho das Coisas ao Cair, pois a acção arranca impulsionada pela notícia, na actualidade, do abate de um hipopótamo transviado do entretanto abandonado zoológico.
Um dos protagonistas desta história, o professor Antonio Yammara, lê essa notícia e recorda uma fase conturbada da sua vida, em 1996, em que conheceu um homem singular, Ricardo Laverde, acabado de sair da prisão (Antonio não sabe por que razão cumpriu pena). Laverde acabou por ser abatido a tiro numa rua em Bogotá e Yammara, que nesse momento estava ao seu lado, foi gravemente ferido. Mas os danos acabam por revelar-se mais intensos na alma do que no corpo e a partir daí Yammara entrou numa espiral de desnorteio cujo único norte era desvendar o passado de Laverde, pondo assim em causa a sua própria estrutura familiar (mulher e filha).
Através da obsessão de Yammara, Vásquez vai doseando ao leitor a conturbada história de vida de Valverde, curiosamente desde pequeno marcada pelos aviões e, principalmente, pelos desastres destes. Aliás, a aviação, a sua grande paixão, viria a revelar-se em mais do que uma ocasião a perdição de Valverde, não só por causa de quedas trágicas de aeronaves como por ter sido apanhado a traficar droga no seu próprio avião.
Vásquez relata-nos assim, numa mescla bem conseguida, e através de diversos saltos no tempo (temos a actualidade, 1996, os tempos de Escobar e a infância de Valverde), a história de um país (uma fase particularmente conturbada) e a de um homem de paixões. Conforme vai sabendo mais de Valverde, mais Yammara se afunda, perdendo o controlo da sua vida, receoso de tudo o que o rodeia, desde a possibilidade um novo atentado ao facto de ter de assumir a responsabilidade uma família, à qual foge refugiando-se na do seu estranho amigo falecido.
Através de tudo isto é traçado um retrato de uma sociedade comodamente acomodada, que aprende (ou resignou-se) a conviver no caos gerado pelo narcotráfico e de certa forma respeitando (ou tolerando) homens como Pablo Escobar, retirando quando possível o seu benefício da situação. Valverde é um pouco o exemplo desse oportunismo, e um homem talhado para herói afinal acabou por traçar um outro destino para a sua vida, ao optar pelo caminho do facilitismo.
É portanto essa a «denúncia» de Juan Gabriel Vásquez neste romance, uma obra bem escrita e cativante, que serve para não deixar apagar da memória os anos terríveis da Colômbia. Além disso, é uma bela e emocionante aventura, como entusiásticas histórias de amor e actos heróicos e temerosos, e até certo ponto com heróis à moda antiga.

Autor: Juan Gabriel Vásquez
Título original: El ruido de las cosas al caer
Editora: Objectiva/Alfagura
Tradução: Vasco Gato
Ano de Edição: 2012
Páginas: 300

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s