Booksmile ensina a viajar com o Google Earth

A Booksmile lançou a 14 de em Abril Uma Incrível Aventura à Volta do Mundo, de Clive Gifford, uma obra para crianças com mais de nove anos aprenderam algo mais sobre o mundo, através do Google Earth.

Sobre o livro: «Trata-se de um livro de actividades ilustrado “que permite aos mais jovens explorar algumas das cidades mais agitadas e interessantes do planeta e, ainda, algumas das paisagens mais fantásticas, tudo com a ajuda do Google Earth. Vão viajar à volta do mundo e tentar decifrar enigmas intrigantes que os levarão a um destino final secreto. Com as diferentes actividades que são propostas ao longo do livro, tais como coleccionar lembranças, viajar no tempo ou encontrar bandeiras, as crianças serão levadas a ver o mundo mais de perto e a alargar os seus horizontes.
Cada página é um destino diferente (Londres; Roma Antiga; Tanzânia; Tóquio; Grande Barreira de Coral; Himalaias; Nova Iorque; Paris; Antigo Egipto; Floresta Amazónica; Nova Deli), e as dezenas de imagens coloridas dão uma percepção muito real sobre o local. E quanto mais se observa, mais dados novos se descobrem. Existem links de um destino para o outro, seja por motivos históricos, geográficos, natureza, ou simplesmente proximidade.»

Deborah Harkness estreia-se com «A Noite de Todas as Almas»

A Casa das Letras lançou recentemente A Noite de Todas as Almas, romance de estreia da norte-americana Deborah Harkness. Trata-se, segundo a editora, de “uma história arrebatadora que mistura História, magia, aventura e romance”, capaz de agradar aos leitores de Dan Brown, J.K. Rowling, Stephenie Meyer e Elizabeth Kostova.

Sinopse: «Num final de tarde de Setembro, quando a famosa historiadora de Yale, Diana Bishop, abre casualmente um misterioso manuscrito medieval alquímico há muito desaparecido, o submundo mágico de Oxford desperta. Vampiros, bruxas e daemons farão tudo para possuir o manuscrito que se crê conter poderes desconhecidos e pistas misteriosas sobre o passado e o futuro dos humanos e do mundo fantástico.
Diana vê a sua pacata vida de investigadora invadida por um passado que sempre tentou esquecer: ela é a última descendente da família Bishop, uma longa e distinta linhagem de bruxas de Salem, marcada pela morte misteriosa dos pais quando era criança. E do meio do turbilhão de criaturas mágicas despertadas pela redescoberta do manuscrito surge Matthew Clairmont, um vampiro geneticista de 1500 anos de idade, apaixonado por Darwin. Juntos vão tentar desvendar os segredos do manuscrito e impedir que caia em mãos erradas. Mas a paixão que cresce entre ambos ameaça o frágil pacto de paz que existe há séculos entre humanos e criaturas fantásticas… e o mundo de Diana nunca mais voltará a ser o mesmo…»

Edgar Allan Poe protagonista de romance editado pela Saída de Emergência

A Saída de Emergência lança em Abril um pacote variado de novidades, onde se destacam Os Olhos de Allan Poe, de Louis Bayard, um história de crime protagonizada por Edgar Allan Poe, e o perturbante conto A Caixa, de Richard Matheson, autor de Eu Sou a Lenda. Realce igualmente para A Partícula de Vénus, de Douglas Preston, disponível em três capas distintas.

Os Olhos de Allan Poe – Louis Bayard
«Pela mão do muito aclamado pela crítica Louis Bayard, chega-nos uma engenhosa história de assassínio e vingança, protagonizada por um jovem cadete chamado Edgar Allan Poe.
Corre o ano de 1830. Na Academia de West Point, a tranquilidade de um final de tarde de Outubro é perturbada pela descoberta do corpo de um jovem cadete enforcado junto ao recinto da formatura. Não é a primeira vez que se verifica um aparente suicídio num regime ríspido como o de West Point, mas, na manhã seguinte, constata-se um abominável acto ainda mais grave. Alguém assaltou o quarto onde o cadáver repousava e levou o coração.
Desesperada para evitar publicidade negativa, a academia contrata os serviços de Augustus Landor, ex-detective de renome. Viúvo, e atormentado no seu isolamento, Landor decide aceitar o caso. Nos interrogatórios iniciais, descobre um caprichoso e curioso jovem cadete com propensão para a bebida e com um passado sombrio. O nome desse cadete? Edgar Allan Poe.
Impressionado pelos astutos poderes de observação de Poe, Landor está convencido de que o poeta lhe pode ser útil — caso consiga permanecer sóbrio o tempo suficiente para colocar em acção os seus perspicazes poderes de raciocínio. Trabalhando em estrita colaboração, os dois homens desenvolvem um relacionamento surpreendentemente profundo à medida que a investigação os conduz a um oculto mundo de sociedades secretas, rituais de sacrifício e mais cadáveres. Porém, os macabros homicídios e o passado secreto de Landor ameaçam afastar os dois e terminar com a sua recente amizade.»

A Caixa – Richard Matheson
«E se lhe dissessem que podia ganhar uma imensa fortuna bastando para isso carregar no botão de uma caixa? Mas ao pressionar esse botão estaria a causar a morte a outro ser humano algures no mundo… alguém que não conhece. Carregaria na mesma no botão?
A Caixa é um conto arrepiante sobre tentação e ganância, mas outros contos igualmente inesquecíveis fazem parte desta colectânea de um dos grandes mestres de terror e suspense, o aclamado autor de Eu Sou a Lenda.
Os enredos originais e os retratos convincentes de pessoas vulgares enredadas por forças para além do seu controlo, demonstram a razão por que Stephen King considera Richard Matheson a sua maior influência. »

A Partícula de Vénus – Douglas Preston
«1 romance. 3 capas. escolha a sua.
Um meteorito desaparecido há décadas…
Um cientista com ambição suficiente para matar…
Um monge que quer salvar o mundo…
Uma agência governamental com uma missão sinistra…
A maior descoberta científica de sempre…
Ao cavalgar pelos desertos do Novo México, Tom Broadbent encontra um homem moribundo. Chama-se Stem Weather e acaba de ser alvejado. Antes de morrer, o homem entrega a Tom um caderno de notas coberto de números misteriosos e pede-lhe que o entregue à sua filha.
Ao prometer fazer a vontade do falecido, Tom nem sonha que acaba de se transformar no novo alvo do assassino de Stem, um antigo presidiário contratado por alguém que quer encontrar os fósseis de um Tyrannosaurus Rex. Fósseis que conterão uma pista sobre a extinção de dinossauros.
Inicia-se assim uma batalha entre cientistas e uma sinistra agência governamental desesperada para ocultar o segredo explosivo. Se falharem, não evitarão outra extinção… desta vez a da própria raça humana.»

O Império da Areia – Robert Ryan
Em 1915, quando a Europa se encontra assolada pela Grande Guerra, um jovem e talentoso oficial de nome Thomas Edward Lawrence encontra-se no Cairo e está prestes a desvendar um segredo que irá mudar o curso da História.
Homem de grande energia que controla uma rede de espiões no Levante, Lawrence nutre uma paixão imensa pelo povo e cultura árabes. Confrontado com notícias do rapto de reféns britânicos na Pérsia pelo infame agente alemão Wilhelm Wassmuss, o Gabinete de Guerra de Londres decide enviar um assassino britânico, o capitão Harold Quinn, com instruções claras para abater o inimigo.
Determinados em capturar Wassmuss, Quinn e Lawrence reúnem um pequeno grupo e iniciam uma viagem traiçoeira pelo deserto para a Pérsia, onde cedo descobrem que o seu oponente alemão é um mestre de disfarce e ilusão. Mas apesar dos melhores esforços de Wassmuss, terá ele encontrado um agente à sua altura?
Neste romance épico sobre uma das figuras mais fascinantes da História Britânica, Robert Ryan revela como a perícia e cultura de Lawrence fizeram dele uma das personalidades mais respeitadas na revolta árabe da I Grande Guerra.»

O Terror – Dan Simmons
«Na primavera de 1845, Sir John Franklin comanda uma expedição de dois navios e 130 homens numa viagem arrojada para o distante e desconhecido Árctico. O seu objectivo: encontrar e mapear a lendária Passagem do Noroeste que, supostamente, ligará os oceanos Atlântico e Pacífico.
Dois anos depois, a expedição, que começou sob um espírito de optimismo e confiança, enfrenta o desastre. Franklin está morto. Os dois navios (o Erebus e o Terror) estão fatalmente presos nas garras do gelo. As rações e o carvão escasseiam e os homens, mal preparados, lutam diariamente para sobreviver ao frio letal.
Mas o seu verdadeiro inimigo é bem mais aterrorizador. Existe algo à espreita nas trevas glaciais: um predador oculto que captura marinheiros e abandona os seus corpos na vastidão de gelo…
O Terror é simultaneamente um romance histórico rigorosamente pesquisado e uma homenagem ao melhor que a literatura de horror ofereceu até hoje. Segundo Stephen King: “Um romance intenso, absorvente e arrepiante como só Dan Simmons podia escrever.”»

 

book.it lança quatro clássicos a preço reduzido

A book.it, editora do grupo Sonae, anunciou o lançamento de quatro novos títulos da sua colecção de clássicos: Jane Eyre, de Charlotte Bronte, O Monte dos Vendavais, de Emily Brontë, A Abadia de Northanger, de Jane Austin, e Bel – Ami, de Guy de Maupassant. Os livros são lançados a um preço bastante acessível, pois custa 4.90 euros cada exemplar.

Jane Eyre – Charlotte Brontë
«Tido como autobiográfico, Jane Eyre é um marco da emancipação feminina. Uma menina infeliz, órfã de pai e mãe, obrigada pela força das circunstâncias a viver com uma tia que a odeia, é enviada para um colégio interno, onde se destaca como uma das melhores alunas da instituição e, mais tarde, como professora. Sem nada que a prenda ao colégio e ávida de independência, Jane torna-se preceptora de Adéle, pupila de Mr. Rochester, o proprietário de um imponente castelo por quem se apaixona e com quem decide casar-se. Contudo, no dia do enlace descobre que ele já é casado e que a sua mulher está viva. Perante a revelação, Jane resolve fugir. É acolhida pelos Rivers e na casa deles toma conhecimento da morte de um tio que lhe deixou uma fortuna e do parentesco que a une àquela família. Decide, então, dividir a herança com os primos e procurar Mr. Rochester, o seu amor perdido. Algures entre o realismo e a ficção, Jane Eyre é, mais do que um romance (o mais afamado de Charlotte Bronte), uma lição de vida.»

Bel-Ami – Guy de Maupassant
«Bel-Ami é um dos mais afamados e mais lidos romances de Guy de Maupassant. A razão para o sucesso entre os leitores desta sarcástica história sobre a corrupta sociedade parisiense do final do século XIX são as personagens: o ambicioso Georges Duroy, a prostituta Rachel, a simpática senhora Madeleine Forestier, a atrevida Clotilde de Marelle, a proibida Virginie Walter e a sua inocente filha Suzanne. Georges – conhecido entre os amigos por Bel-Ami – é um jornalista promissor sem escrúpulos que recorre ao poder de sedução e à chantagem para enriquecer e ascender socialmente. À semelhança de outros escritos de Guy de Maupassant – como Boule de Suif, Mademoiselle Fifi, La Maison Tellier ou Le Horla –, Bel-Ami privilegia as situações psicológicas e a crítica social, um estilo de escrita que Maupassant terá aprimorado com o seu mestre e amigo Gustave Flaubert, de quem herdou as influências naturalistas.

A Abadia de Northanger – Jane Austen
«“Quem tivesse visto Catherine Morland em criança, nunca poderia supor que nascera para heroína.” Até receber o convite da família Allen para passar uns dias no balneário de Bath, em Inglaterra, a jovem Catherine sentia-se amaldiçoada pela sorte. Todavia, nas termas descobre um mundo até então desconhecido e deixa-se seduzir pelos longos passeios, pelas compras, pelo teatro e pelos bailes bem frequentados. Completamente rendida à vida mundana, Catherine faz-se amiga da bela Isabella Thorpe e perde-se de amores por dois dos mais distintos jovens da cidade: o simpático John Thorpe e o espirituoso Henry Tilney. Mas é na visita à Abadia de Northanger, propriedade ancestral dos Tilney, que a nossa heroína, fascinada pelos romances góticos, vai viver a sua maior aventura. Mergulhada no espírito sinistro da majestosa mansão e completamente toldada por visões romanescas, Catherine imagina crimes, mistérios e conspirações. Serão as suas fantasias verdadeiras?»

O Monte dos VendavaisEmily Brontë
«A recepção de O Monte dos Vendavais, publicado pela primeira vez em 1847, não foi efusiva. No início, a crítica literária inglesa achou-o estranho, confuso, improvável, ambíguo, excessivamente apaixonado e violento. Não obstante, a história da família Earnshaw e a tumultuosa paixão de Heathcliff e Catherine transformou-se num sucesso. Tudo começa com a viagem de Mr. Earnshaw a Liverpool e a adopção do menino Heathcliff, logo desprezado por Hindley e Catherine, os filhos biológicos de Mr. Earnshaw. O tempo vai passando, Catherine e Heathcliff tornam-se amigos e apaixonam-se, mas Hindley, magoado pelo afecto do pai pelo órfão, continua a ostracizá-lo. Após a morte de Mr. Earnshaw, Hindley assume o lugar de chefe de família e Catherine, numa tentativa de ascender socialmente, casa-se com o jovem mimado Edgar Linton. Rejeitado, Heathcliff vê-se obrigado a abandonar o Monte dos Vendavais, regressando anos depois, rico e disposto a levar a cabo uma tenebrosa vingança.»

«HHhH – Operação Antropóide», de Laurent Bonet, à venda a 14 de abril

A Sextante lança a 14 de Abril HHhH – Operação Antropóide, obra do francês Laurent Bonet que conquistou o Prémio Goncourt 2010 para primeiro romance. O livro tem como tema o assassínio de de Reinhard Heydrich, o chefe dos Serviços Secretos nazis e braço-direito de Himmler, comandante das Schutzstaffel (SS).

Sinopse: «Praga, Primavera de 1942, Operação Antropóide: dois paraquedistas checoslovacos são encarregados de assassinar Reinhard Heydrich, o chefe dos Serviços Secretos nazis e da Gestapo, “o homem mais perigoso do Terceiro Reich”. Heydrich era o braço-direito de Himmler e o chefe de Eichmann, e os nazis brincavam com o acrónimo HHhH: Himmlers Hirn heißt Heydrich, o cérebro de Himmler chama-se Heydrich.
Todos os personagens deste livro existiram ou existem ainda. Todas os factos relatados são autênticos. Mas por detrás dos preparativos do atentado, uma outra batalha tem lugar, a que a ficção romanesca trava com a verdade histórica. E é necessário levar a história até ao fim.»

Vampiro Lestat e «Tratado das fadas» nas novidades Europa-América

A Europa-América relançou em Abril, com nova capa, Memnoch, O Demónio, de Anne Rice, apresentado como a mais negra aventura do vampiro Lestat. Lançou na mesma altura Tratado das Fadas, de Ismaël Mérindol e Édouard Brasey. Brasey também organizou e adaptou o famoso Tratado de Vampirologia, de Abraham van Helsing (editado pela Europa-América)

Memnoch, O Demónio – Anne Rice
«Estamos em Nova Iorque. A cidade está coberta por um manto de neve. No meio dessa brancura, Lestat procura Dora, a bela e carismática filha de um barão da droga, a mulher que desperta nele sentimentos de ternura como nunca outra mortal fizera antes. Dividido entre as suas paixões de vampiro e o amor avassalador que sente por Dora, é a seguir confrontado com o misterioso e demoníaco Memnoch. Arrancado ao mundo por este adversário temível, Lestat é levado até ao reino dos Céus e depois até ao Purgatório. Aí terá de decidir se acredita em Deus ou no Demónio e, por fim, qual dos dois escolherá servir.
Nas primeiras quatro Crónicas do Vampiro, Anne Rice convocou mundos fantásticos e distantes e tornou-os tão ressonantes, reais e imediatos como o nosso. Neste romance, o mais negro e ousado de todos os que escreveu, ela transporta-nos, na companhia de Lestat, para o universo mítico que nos é mais precioso — o reino da teologia de cada indivíduo.»

Tratado das Fadas – Ismaël Mérindol e Édouard Brasey (org.)
«“Não existe nada que não tenha sido primeiro sonhado”, escreve a criança feérica Ismaël Mérindol no seu Tratado das Fadas.
Escrito e organizado sob a tradição dos autênticos grimórios do século XV, Ismaël Mérindol conta-nos o seu percurso iniciático pelo mundo maravilhoso das fadas. Através da sua pluma, fadas, ninfas, elfos, gnomos e outras criaturas do Pequeno Povo ganham vida e convidam-nos a segui-las.
Outros tratados feéricos de referência, como O Conde de Gabalis e O Silfo Enamorado, acompanham este texto inédito e permitem-nos regressar às origens da fantasia.
Partamos então ao seu encontro, sem mais demora, pelo caminho dos sonhos…»

Versão para crianças de «Quem Mexeu no meu Queijo?» de novo disponível

A ArtePlural reeditou Quem Mexeu no Meu Queijo? para Crianças, de Spencer Johnson, autor do bem sucedido Quem Mexeu no Meu Queijo. O autor juntou-se ao filho para escrever uma versão para os mais pequenos, que volta agora a estar disponível em Portugal. A primeira edição foi publicada há oito anos na Pergaminho.

Sobre o livro: «Quem Mexeu no meu Queijo? É isso que Fungadela, Correria, Pigarro e Gaguinho querem saber. Os quatro amigos vivem num grande labirinto e todas as manhãs percorrem-no em busca daquilo que os faz felizes: o queijo mágico!
Um dia encontram uma enorme quantidade de queijo, é tanto que parece que vai durar para sempre. Contudo, certa manhã, descobrem que o queijo desapareceu e é então que tudo muda.
Quem mexeu no queijo? Será que ele vai voltar? Ou será que os quatro amigos terão de se aventurar mais uma vez pelo labirinto para encontrar mais queijo? Agora os jovens leitores também podem desfrutar da história do Quem Mexeu no Meu Queijo? e aprender, de uma forma muito divertida, como lidar com a mudança.»

«Banda Sonora para um Regresso a Casa» reúne crónicas de Joel Neto

A Porto Editora publica, a 14 de abril, Banda Sonora para um Regresso a Casa, de Joel Neto, uma selecção das suas melhores crónicas, um livro que, segundo a editora, “lê-se como quem ouve um disco”. Muitas das crónicas foram publicadas na coluna Muito Bons Somos Nós, do Diário de Notícias e do Jornal de Notícias.
A apresentação oficial de Banda Sonora para um Regresso a Casa, será no LeV – Literatura em Viagem, em Matosinhos, a 16 de abril, pelas 16h45.

Sinopse: «Os vegetarianos e os nudistas. Os cães e os escritores vivos. Os telefones, o silicone e o socialismo. As raparigas demasiado magras. O Benfica. As mulheres infiéis. O cinema fantástico, os anos 80 e a bem-aventurança em geral.
Joel Neto parece colecionar inimigos ao mesmo ritmo a que vai escrevendo. E, no entanto, garante que tem coração – e que, no limite, até é capaz de comover-se.
Neste volume reúnem-se as obsessões e os ódios, os delírios e os afetos daquele que é, hoje, um dos principais cronistas portugueses. Um livro que se lê como quem ouve um disco. A caminho de casa.»

Site L’Internaute apresenta 50 obras de leitura «obrigatória» e os campeões de vendas

O site francês l’Internaute, na sua secção Livres, apresenta esta semana a sua lista de cinquenta livros que deveriam ser lidos. Da lista, que pode ser consultada aqui, constam obras como O Estrangeiro, de Albert Camus, As Benevolentes, de Jonathan Littell, O Assassinato de Roger Ackroyd, de Agatha Christie, ou Submundo, de Don DeLillo.
Entretanto, o site aproveita para lembrar quais são os maiores best-sellers do mercado. Veja aqui a lista do clube dos milhões, onde entram nomes como Dan Brown, Paulo Coelho, Tolkien, J.K. Rowlings e Stephenie Meyer, ao lado de vultos como Tolstoi, Salinger e Isaac Asimov.

«O Assédio», novo romance de Pérez-Reverte, disponível em Abril

A ASA lança em Abril o mais recente romance do espanhol Arturo Pérez-Reverte, O Assédio, cuja acção decorrem em Cádis, em 1811. Reverte, membro da Real Academia Espanhola, é autor de obras como O Mestre de Esgrima, O Cemitério dos Barcos Sem Nome, A Rainha do Sul e O Pintor de Batalhas, assim como da série “As Aventuras do Capitão Alatriste”.

Sinopse: «Cádis, 1811. Nas ruas da mais liberal cidade europeia trava-se uma batalha muito singular. Jovens mulheres são encontradas mortas. E em cada lugar, momentos antes da descoberta do cadáver, explode uma bomba francesa. Estes acontecimentos traçam um estranho mapa sobre a cidade: um complexo tabuleiro de xadrez em que a mão de um misterioso jogador – um assassino impiedoso, o acaso, a direcção do vento, o cálculo das probabilidades – move as peças que determinam o destino dos protagonistas. Enredados neste enigmático jogo estão um polícia corrupto, a herdeira de um império comercial, um corsário sem escrúpulos, um taxidermista misantropo e espião, um guerrilheiro bondoso e um excêntrico artilheiro francês.
O Assédio reconstrói a extraordinária pulsação de um mundo de oportunidades perdidas. Retrata o fim de uma era e um grupo de personagens condenadas pela História, sentenciadas a levar uma vida que, tal como a cidade que os alberga – uma Cádis equívoca, enigmática e contraditória –, nunca mais será a mesma.»