Porto Editora lança novo romance de José Manuel Saraiva – «A Terra Toda» – a 3 de Março

A Terra Toda, o novo romance de José Manual Saraiva, será lançado a 3 de Março pela Porto Editora. O autor de Rosa Brava vai apresentar o seu novo trabalho a 17 de Março, no El Corte Inglés Lisboa, pelas 18h30.

Sinopse: «Abandonado por uma mulher que o traiu com outro homem, Rafael recorre às consultas de uma psicanalista, com quem acabará por se envolver. Só que ele não sabe que está com isso a ressuscitar o seu passado e a expor-se a uma traição ainda mais dolorosa.
Fazendo uma pausa no romance histórico, que o consagrou como um dos mais populares autores portugueses, José Manuel Saraiva mergulha agora nas águas mais profundas da nossa actualidade, abordando um tema escaldante que fará ainda estremecer algumas boas consciências.»

Bertrand recupera «Príncipes de Portugal», de Aquilino Ribeiro

A Bertrand vai lançar a 25 de Fevereiro mais um volume de as Obras de Aquilino Ribeiro. Trata-se de Príncipes de Portugal – suas grandezas e misérias.

Sobre o livro: «“Aquilino Ribeiro… aceitou o encargo de compor a vida dos grandes portugueses, príncipes, reinantes ou apenas caudilhos, que deixaram na história mais que uma passagem meteórica (…) O critério dele é o do romancista: interessa-lhe tudo o que não é comum. Para a história, de resto, não há apenas ouro, há também o oricalco. (…) Aquilino Ribeiro olhou para esses grandes de Portugal e pintou-os como Velásquez fazia com as tintas do arco-íris. Tais como eram. Melhor, tais como lhe pareceram. Sem deixarem de ser a obra do historiador, escreveu estes perfis o novelista.
Excerto da “Advertência ao Leitor” que Aquilino Ribeiro escreveu para ser assinada pelos primeiros editores dos Príncipes de Portugal, onde tecia diversas considerações sobre a natureza, o espírito e a forma como traçara o perfil das personagens históricas que escolhera.»

Colecção Grande Autores, da Porto Editora, apresenta Laura Restropo e «Demasiados Heróis»

24 de Fevereiro é o dia em que chega às livrarias o segundo título da colecção Grandes Autores, da Porto Editora. A escolha recaiu em Laura Restrepo, mais propriamente na sua obra Demasiados Heróis. Segundo a editora, esta militante clandestina durante a ditadura argentina trata-se de «um dos grandes nomes da literatura latino-americana».

Sinopse: «Lorenza e Mateo chegam a Buenos Aires em busca de Ramón, o antigo amante de Lorenza e pai de Mateo, por quem ela se apaixonou durante a “guerra suja” argentina, quando os dois eram fervorosos militantes que se opunham à ditadura de Videla. Agora, mãe e filho, embora se encontrem encurralados no mesmo quarto de hotel, estão muito distantes quanto à forma exacta de achar o pai.
Lorenza, que chegou à idade adulta no meio do torvelinho político dos anos sessenta, reflecte sobre as suas antigas convicções ideológicas e emocionais; o filho, um miúdo dos anos noventa que não se interessa de todo pela política nem pela ideologia, procura um pai real, de carne e osso.»

Casa das Letras lança no final de Março biografia de Fidel assinada por Norberto Fuentes

A Casa das Letras lança a 31 de Março Autobiografia de Fidel Castro, obra escrita por Norberto Fuentes, que foi membro da Revolução Cubana e próximo de Fidel. Nesse mesmo dia é editado Sem Rumo, romance de Joshua Ferris, recentemente considerado pela New Yorker um dos melhores escritores com menos de quarenta anos.

Autobiografia de Fidel Castro – Norberto Fuentes
«Norberto Fuentes foi um membro da Revolução Cubana e fez parte, durante anos, do círculo mais próximo de Fidel Castro. Mas, nos finais dos anos 80, quando o regime começou a enviar alguns dos seus camaradas mais antigos para o pelotão de fuzilamento, passou a ser Um Homem Que Sabia de Mais. Tendo escapado à pena de morte e agora a viver no exílio, Fuentes converteu o seu conhecimento e a sua experiência naquela a que muitos chamam a biografia definitiva de Fidel Castro, mas fê-lo na primeira pessoa, como se fosse o próprio Fidel a redigi-la.»

Sem Rumo – Joshue Ferris
«Durante vinte anos de casamento, Tim e Jane Farnsworth saborearam os frutos do trabalho dele como advogado de sucesso: vivem numa casa confortável, fazem férias em locais exóticos, não têm quaisquer preocupações financeiras. Tim venceu por duas vezes uma bizarra e inexplicável doença, mas tais episódios, embora não completamente esquecidos, fazem parte do passado. É então que a doença regressa, obrigando-o a comportar-se de uma forma assustadoramente nova.

Casper – O Gato Viajante – Susan Finden
«Casper tornou-se uma celebridade nacional quando os jornais divulgaram a história de um gato extraordinário que apanhava regularmente o autocarro número 3, fazendo viagens de dezoito quilómetros pela sua cidade, Plymouth, em Devon.
Contado de uma maneira comovente pela sua dona, que o amava profundamente, Casper, O Gato-Viajante, é a história tocante de um gato branco e preto muito especial, que viajava de autocarro e que conquistou os nossos corações.»
Nas livrarias a 21 de Março

Na Sombra do Desejo – J.R. Ward
«Nas sombras da noite da cidade de Caldwell, em Nova Iorque, trava-se uma guerra territorial entre os vampiros e seus caçadores. Ali, existe um bando secreto de irmãos sem igual — seis guerreiros vampiros, defensores da sua raça. Mas agora um aliado da Irmandade está prestes a enfrentar os seus próprios desejos obscuros…»
Nas livrarias a 28 de Março

A Morte Tem Cura e Outras 99 Curiosidades Médicas – Roger Dobson
«Já pensou porque é que os bebés chupam no dedo ou porque preferem os homens as loiras? Quer saber como os chuveiros podem fazer mal ao cérebro ou descobrir por que razão as mulheres gemem durante o sexo? Ou tem curiosidade em saber como a depilação aumenta o risco de cancro ou apenas como curar os soluços? Gostaria de saber exa­ctamente a data em que vai morrer?
Cem dessas teorias foram reunidas em A Morte Tem Cura, livro baseado numa das mais polémicas publicações médicas do mundo: a Medical Hypotheses.»
Nas livrarias a 21 de Março

«O Factor Humano» – Graham Greene

Eis um livro de espionagem que foge àquilo que é norma no género. Aqui não há agentes tipo 007, nem nada que se pareça. Acção no terreno? Casas secretas? Armas inovadoras? Gadgtes? Cenários paradisíacos? Tiroteios? Belas mulheres? Carros de alta cilindrada? Grandes cidades, como Paris, Roma, Washington? Nada disso. A única coisa que há é Londres nos anos 1970, pois é aí que decorre essencialmente a  acção, e alusões à África do Sul, no passado, pois lá está a origem do enredo deste romance de Graham Greene, um original de 1978 que foi recentemente editado em Portugal pela Casa das Letras.
Pois é precisamente a ausência dessas características típicas e literárias do mundo da espionagem um dos focos do enredo, já que uma das personagens sonha incessantemente com tais “aventuras”, em vez do seu burocrático cargo de escritório que tem no MI6. Esse aspirante a James Bond é colega de trabalho de Maurice Castle, antigo diplomata (à espera da reforma) que esteve colocado na África do Sul, de onde trouxe a sua mulher, uma negra, facto que lhe criou uma série de problemas devido ao apartheid que são o pretexto a que Greene recorreu para abordar a temática. Ao barulho surgem, também, os russos, pois em tempo de Guerra Fria espionagem era sinónimo de contenda entre ocidente e Bloco do Leste. Ora, ao tal Castle esta vida cinzenta e sem emoção era tudo aquilo a que aspirava, para poder viver em paz com a sua mulher e o filho desta, a custo resgatados da racista África do Sul. Mas uma fuga de informação lança a suspeita sobre o gabinete onde ambos trabalham e Greene mostra-nos, com recurso a um humor refinado, como o problema é solucionado e leva-nos por caminhos surpreendentes, mostrando como é esbatida a fronteira entre o bem e o mal e entre um lado e outro da Guerra Fria.
A experiência pessoal de Greene terá servido de inspiração a esta (como a outras) obras, pois ele trabalhou nos serviços secretos britânicos, precisamente no MI6 no “mercado” africano, e sob as ordens de Kim Philby, um agente duplo que serviu os interesses da União Soviética.
O Factor Humano é um livro de espionagem que está bem longe de ser um thriller, embora para o final cresça gradualmente de ritmo e nos apresente uma série de surpresas até ao clímax.
O Factor Humano é um título mais do que adequado, pois nesta história o que conta mesmo são as pessoas, mais do que estratégicas políticas ou de geopolítica. Mais do que interesses de nações ou facções, são os interesses individuais de cada um, para a sua vida quotidiana, que fazem mover o curso da história. Para lá chegar, Greene deu vida a um bom conjunto de personagens, traçando retratos psicológicos que criam laços (de afecto ou desafecto) fundamentais com o leitor.

«Complexo – Universo Paralelo» e «Oblívio», o final de As Crónicas de Allaryia, destacam-se na Presença

A Editorial Presença editou recentemente Complexo – Universo Paralelo, de Mário e Pedro Patrocínio, obra que retrata o quotidiano das favelas do Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro. Destaque ainda para Oblívio, o sétimo e último volume de As Crónicas de Allaryia, de Filipe Faria. Para assinalar a ocasião a presença editou em simultâneo uma edição de luxo em capa dura, que traz ainda um CD com a banda sonora original e o Livrete Segredos do Cronoscópio – Um olhar por detrás dos bastidores de As Crónicas de Allaryia.

Complexo – Universo Paralelo – Mário e Pedro Patrocínio
Sinopse: «O Complexo do Alemão, localizado na zona norte do Rio de Janeiro, ganhou notoriedade ao longo dos últimos anos por se ter tornado uma das zonas mais violentas da cidade, dominada pelo tráfico de droga, pelo crime organizado, pelas armas e pelos confrontos com as forças policiais. Entre 2004 e 2007, Mário e Pedro Patrocínio conseguiram o impensável e frequentaram as favelas do Complexo do Alemão, filmando um documentário que foi galardoado nos EUA com o Prémio Artivist, na categoria dos Direitos Humanos, e que tem sido recebido com aplausos no Brasil e em Portugal, onde estreou nas salas de cinema no início de 2011. Este livro baseia-se nas experiências vividas pelos dois autores e constitui um testemunho impressionante não só da realidade do tráfico, mas também do quotidiano dos cidadãos comuns nas favelas.»

Oblívio – Vol VII – As Crónicas de Allaryia – Filipe Faria
Sinopse: «Tomados pelo desânimo, os companheiros desta aventura enfrentam agora o seu maior desafio e o Oblívio ameaça a própria existência, da mesma forma que parece ser a sua única salvação. Na mais negra hora de Allaryia, a Sombra ergue-se triunfante, mas nem tudo o que parece é, e ainda falta a´O Flagelo jogar a sua última cartada… Por fim, o tão aguardado sétimo e último volume das Crónicas de Allaryia, o final da épica saga que cativou milhares de leitores e que assinala um marco no fantástico português.
A edição de luxo consta do livro em capa dura, CD com banda sonora original e o Livrete Segredos do Cronoscópio – Um olhar por detrás dos bastidores de As Crónicas de Allaryia.

A Contadora de Filmes – Hernán Rivera Letelier
Sinopse: «Quando María Margarita ganha aos quatro irmãos um concurso inventado pelo pai, inválido devido a um acidente, que consistia em saber quem contava melhor um filme depois de o ter visto, o que começa por ser um ritual familiar rapidamente acaba por se tornar um acontecimento em toda a povoação, à medida que os relatos da contadora de filmes ganham fama e um público cada vez maior os aguarda, impaciente. Através da história desta “fazedora de ilusões”, Hernán Rivera Letelier capta a vida no deserto chileno nos tempos áureos do cinema, criando um romance encantador na sua simplicidade e contundência.»

Diário – Sebastião da Gama
Sinopse: «Este volume inicia a publicação das Obras Completas de Sebastião da Gama, uma colecção que nos traz pela primeira vez na sua íntegra a produção literária do autor. Os volumes que reproduzem a obra já publicada mantêm os prefácios que nela têm constado, os títulos publicados por Sebastião da Gama surgem aqui integrados de acordo com a edição original que o próprio poeta preparou e a edição dos textos inéditos foi sempre sujeita ao confronto com o texto original. Inicia-se esta colecção com o Diário, também ele publicado pela primeira vez em versão completa e em edição anotada. Registo quotidiano das suas experiências enquanto estagiário do Ensino Técnico, revela-nos as duas faces de uma mesma fisionomia espiritual – professor e poeta – e como se integravam na realidade concreta de uma alma singular que punha em tudo a alegria da dádiva pura. É também o testemunho dos seus sinceros propósitos enquanto professor, amplamente efectivados na sua breve actividade docente.»

Desafio Celestial – Inês Maia
Sinopse: «Quando lhe é confiada uma importante missão na terra, o anjo Gabriel vê-se no corpo de um atraente jovem de quinze anos que tem pela frente a árdua tarefa de trazer de volta ao bom caminho Lisa Albuquerque, uma jovem rica da alta sociedade portuense, que está prestes a cair nas mãos do Senhor das Trevas. Conseguirá Gabriel salvar a alma de Lisa? E, se o conseguir, será capaz de se afastar dela, agora que está perdidamente apaixonado? Um romance divertido e misterioso, onde o mundo dos anjos e o das novas tecnologias se harmonizam na perfeição para criar uma atmosfera de grande originalidade.»

A Princesa Margarida e o Carrossel Mágico – O Clube da Tiara – Vivian French
Sinopse: «A Princesa Margarida está nervosa por ir andar de carrossel pela primeira vez na Real Festa de Jardim do Rei Percival.
Mas este não é um carrossel qualquer, e a Margarida revela-se muito mais corajosa do que pensava.
Existe um mundo mágico para descobrir em cada história de O Clube Tiara!»

“Um Promontório em Moledo” reúne crónicas de António Sousa Homem

A Bertrand edita a 25 de Fevereiro Um Promontório em Moledo – Crónicas de um Reaccionário Minhoto, de António Sousa Homem, uma nova compilação de crónicas. Em 2002 publicou o seu primeiro livro, Os Ricos Andam Tolos, que reunia crónicas que escritas no semanário O Independente. Depois disso, e até 2008 escreveu para a revista NS (do Diário de Notícias e do Jornal de Notícias) e hoje em dia escreve no Correio da Manhã.

«O meu médico de Viana (a quem recorro nas aflições, e que vigia o temperamento das coronárias e do fluxo renal) não o diz, mas sei que a longevidade dos Homem o aflige como um milagre da província. O segredo é só este: espremer a pasta de dentes pelo fundo, não ler demasiados romances, manter os retratos dos antepassados, levantar cedo e evitar ceder à indignação. Depois de fazer oitenta e cinco anos, já lá vão uns tempos, a família trata-me como uma página do álbum de glórias, anterior ao Titanic, destinado ao naufrágio ou ao museu. Faço o que posso, só para não os desiludir.»

Passatempo Educação Nacional – «Sentimento», de Carl Norac e Rébecca Dautremer

O Porta-Livros tem para oferecer (em parceria com a Educação Nacional) um exemplar do livro Sentimento, de Carl Norac e Rébecca Dautremer.
O vencedor será sorteado entre todos os participantes que respondam acertadamente (a partir deste momento e até às 23h59 de 28 de Fevereiro) às três questões que seguem mais abaixo.
O nome do vencedor será publicado neste blog e o mesmo será avisado por e-mail.
Para encontrar as respostas certas basta, por exemplo, fazer uma pequena busca neste blog.

1 – Qual o nome do circo que aquece os corações gelados pelo Inverno?

2 – Onde está escondido e aprisionado o sentimento?

3 – Indique o título de três obras ilustradas por Rébecca Dautremer editadas pela Educação Nacional.

As respostas devem ser enviadas por e-mail para blogportalivros@gmail.com
Juntamente com as respostas, os participantes devem enviar os seus dados, nomeadamente: NOME, MORADA e E-MAIL.
O vencedor receberá oportunamente, por correio, o livro com que foi premiado.
Só podem participar residentes em Portugal.

«Jesus, o Judeu», de César Vidal, propõe-se a revelar realidade histórica de Jesus

A Esfera dos Livros lançou Jesus, o Judeu, de César Vidal, controverso historiador espanhol especialista em Teologia e Filosofia que aqui pretende revelar a realidade histórica de Jesus.

Sinopse: «Jesus de Nazaré é uma personagem adorada, venerada e admirada por milhões de pessoas. Deus para uns, mestre para outros, a realidade é que a sua figura e os seus ensinamentos são desconhecidos por muitos dos que afirmam segui-lo. Séculos de manipulação e ocultação, esconderam a verdade de que Jesus não foi um cristão nem nasceu no meio ocidental. Jesus nasceu, viveu e morreu como judeu e tanto a sua pessoa como a sua doutrina são impossíveis de compreender sem ter em conta estes factos. O historiador espanhol César Vidal, especialista em Teologia e Filosofia, traz-nos neste livro uma tentativa sólida e audaz de revelar a realidade histórica de Jesus. Baseado numa pesquisa extensa e em documentação variada, Jesus, o Judeu pretende perceber quem foi este homem, o seu contexto familiar, quem deixou de ser, o que ensinou e qual o seu verdadeiro significado na História Universal. Uma leitura indispensável para compreender o judaísmo do Segundo Templo, as origens do cristianismo, as verdadeiras raízes da cultura em que vivemos.»

Presença lança a 2 de Março «Desaparecida na Noite – Uma História Verídica», de Sharon Hamilton

A Editorial Presença lança a 2 de Março Desaparecida na Noite – Uma História Verídica, de Sharon Hamilton, obra que aborda um dos raptos mais mediáticos da Escócia. Sharon Hamilton retrata nesta sua obra de estreia o caso ocorrido com a sua irmã, em 1991. O cadáver só viria a aparecer dezassete anos mais tarde.

Sinopse: «No dia 10 de Fevereiro de 1991, Vicky Hamilton, uma adolescente de 15 anos, esperava sozinha o autocarro que a levaria de regresso a casa depois de um animado fim-de-semana com Sharon, a irmã mais velha. Nunca chegaria ao fim da viagem. Nunca voltaria a ser vista com vida. Seguiram-se dezassete longos anos de sofrimento para a família, até ao dia em que a polícia encontra os seus restos mortais no jardim da casa do assassino em série Peter Tobin. Foi um dos raptos mais mediáticos que alguma vez tiveram lugar na Escócia, e agora que foi feita justiça, Sharon Hamilton partilha connosco, pela primeira vez, toda a história.»