“Shutter Island” – Dennis Lehane

Dennis Lehane, que assinou o inesquecível “Mystic River”, é também o autor do perturbante “Shutter Island” (Gótica), obra que foi adaptada o cinema por Martin Scorsese – Leonardo Dicaprio é o protagonista – e tem estreia marcada para 2010.

Desta vez o cenário é uma ilha misteriosa, onde está instalada uma prisão/hospital de alta segurança para assassinos perigosos com perturbações mentais. Para piorar o clima, uma tempestade assola o local e torna a ilha inacessível. Só estes ingredientes seriam bastantes para elaborar uma história de arrepiar, mas Lehane não vai pelo mais óbvio e mistura novos elementos que vão prender ainda mais o leitor.

A acção decorre no Verão de 1954, nos Estados Unidos da América, ainda na ressaca dos traumas da II Guerra Mundial, bem patentes nos protagonistas, sejam eles pacientes ou polícias. Os traumas, esses, têm efeitos nocivos, tanto nos que combateram como nos que ficaram à distância a sofrer.

Depois de “Mystic River”, Lehane voltou a escrever um thriller denso, no conteúdo mas não na escrita, com uma história que a cada passo prende o leitor, abrindo espaço a novas pistas que deixam muito que pensar. São temas aparentemente paralelos à trama central, mas que nos dão uma visão assustadora do que é capaz a mente humana, nomeadamente quando há distúrbios, “eles” sim os verdadeiros protagonistas desta obra onde Lehane prova conhecer (ou imaginar) como poucos o que de mais obscuro vai na mente de um ser humano.

O pretexto para a visita de dois US Marshalls ao hospital/prisão é a fuga, alegadamente impossível, de uma paciente, Rachel Solnado, que assassinou os três filhos. Os agentes federais Teddy Daniels e Chuck Aule começam a achar que a instituição não é um simples hospital, mas sim um local onde são feitas experiências terríveis com os pacientes – aprendidas com o que de pior tinham os nazis. Mas se a ilha não é o que parece, também os agentes tem os seus mistérios (e traumas), particularmente Teddy, que começa ele próprio a questionar o seu papel ali.

Dennis Lehane, mais uma vez foge aos desenlaces mais óbvios, mas sem entrar em tramas mirabolantes. Pelo contrário… de tão simples são ainda mais assustadoras. Como se deseja!

2 pensamentos sobre ““Shutter Island” – Dennis Lehane

  1. Pingback: Sextante lança a 13 de maio «Viver a Noite», o novo romance de Dennis Lehane | Porta-Livros

  2. Pingback: «Mystic River», de Dennis Lehane, reeditado pela Sextante | Porta-Livros

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.